Menu
quarta, 04 de agosto de 2021
Cidade

“O Luisão está credenciado para a A2, agora é torcer para o São Carlos”, diz Barba

17 Nov 2011 - 16h10
0 - 0 -

O prefeito Oswaldo Barba vistoriou, na manhã desta quinta-feira (17), as obras que estão sendo realizadas pela Prefeitura de São Carlos no estádio Luís Augusto de Oliveira, o Luisão.

Barba, acompanhado dos secretários Jairo Salles (Obras) e Edson Ferraz (Esportes) e do presidente do São Carlos Futebol Clube, Julinho Bianchini, conferiu a instalação da arquibancada para 5 mil lugares, que já foi aprovada pela Federação Paulista de Futebol. Ver matéria completa no site da Prefeitura ou no link http://bit.ly/sZJ5QN.

"Nosso objetivo não era instalar essa arquibancada, mas sim iniciar a construção da definitiva em alvenaria. No entanto, com o acesso do São Carlos para a série A2, não tivemos outra escolha, já que a Federação exige os 15 mil lugares", destacou o prefeito. "Diante da exigência, garantimos que a arquibancada estaria pronta para a vistoria. O Luisão está credenciado para a A2, agora é torcer por um bom desempenho do São Carlos", enfatizou o prefeito Oswaldo Barba.

Julinho Bianchini disse ao prefeito que está otimista com a montagem do time e que espera reunir um bom elenco para o próximo ano. "Nesta semana já devemos definir o nome do novo técnico", comentou. O presidente do São Carlos disse ainda que novos patrocinadores estão interessados em apoiar o time.

I
nfraestrutura - O prefeito Oswaldo Barba também fez questão de vistoriar outros pontos do estádio que precisam receber manutenção. "Iremos providenciar a construção de um alambrado, melhorar a entrada no túnel da arbitragem e fazer a manutenção em locais que são necessários", explicou o prefeito.

De acordo com o prefeito, a manutenção será feita em tempo hábil e o estádio estará pronto já para sediar a 43ª Copa São Paulo de Futebol Júnior, que acontece em janeiro e reúne, em São Carlos, o atual campeão do torneio, o Flamengo/RJ, o Aquidanauense/MS, o União São João de Araras/SP e o São Carlos Futebol Clube.

Saiba mais sobre a arquibancada do Luisão

Em 2009, o ex-deputado Lobbe Neto (PSDB) indicou uma emenda ao Orçamento da União para a construção de uma arquibancada de alvenaria no Luisão com capacidade para 1 mil lugares. No início de 2010 a Prefeitura apresentou os projetos para a Caixa Econômica Federal junto com laudos do Corpo de Bombeiros. Ainda em 2010, a Prefeitura realizou uma licitação (nº 017/2010) para contratar a empresa. A abertura dos envelopes ocorreu no dia 14 de junho daquele ano. No entanto, devido aos prazos de recurso, depósito da caução e assinatura de contrato, não foi possível contratar a empresa antes do período eleitoral de 2010. O Governo Federal liberou os recursos da emenda do ex-deputado somente no início de 2011. "Neste período a empresa vencedora da licitação resolveu romper o contrato e uma nova licitação começou a ser preparada", lembra o secretário de Planejamento da Prefeitura, Rosoé Donato. "Entretanto, nesse mesmo período, o São Carlos Futebol Clube conseguiu o acesso para a Série A 2, que exige um estádio com capacidade para 15 mil lugares, o que não teríamos com os 10 mil já existentes no Luisão e mais mil lugares que seriam construídos em alvenaria", completa Donato.

Diante do novo contexto do São Carlos Futebol Clube, o prefeito Oswaldo Barba iniciou diversas tratativas para encontrar uma solução. Em 14 de junho de 2011, Barba se reuniu com o presidente da FPF, Marco Pólo Del Nero e acordou que não daria início à construção da nova arquibancada em alvenaria antes do campeonato 2012 começar. "Temos que comprovar até o dia 15 de novembro os 15 mil lugares para o campeonato, que começa no dia 28 de janeiro, mas temos tratativas com a FPF para iniciar a construção em alvenaria a partir de fevereiro", lembrou o prefeito.

Os recursos para a construção da arquibancada de alvenaria, no valor de R$ 487,5 mil do Governo Federal e R$ 100 mil da Prefeitura, estão depositados em uma conta da Caixa Econômica Federal. "É importante salientar que a construção desses mil lugares em alvenaria não resolverá o problema de capacidade do estádio, precisamos construir 5 mil lugares, cujo custo é de R$ 2,3 milhões", destacou.

O prefeito Oswaldo Barba lembra que argumentou junto ao presidente da FPF, Marco Polo Del Nero, de que a exigência de 15 mil lugares para os estádios durante a Série A 2 deveria ser revista. "O público da Série A2 é muito menor que o exigido. A média do Brasileirão é de 14 mil torcedores. Na série A2, aqui no Luisão, dificilmente teremos público maior que 10 mil pessoas por jogo", completou.

Comments system Cackle

Leia Também

Últimas Notícias