Menu
domingo, 17 de fevereiro de 2019
Informe Publicitário

Durante dois anos, trabalho eficiente e eficaz deixa São Carlos longe dos riscos do Aedes aegypti

28 Jan 2019 - 13h08Por Prefeitura Municipal de São Carlos

Um trabalho eficiente e eficaz combateu o mosquito Aedes aegypti e baixou o número de casos de dengue no município de São Carlos. A cidade terminou o ano de 2018 com 26 casos de dengue registrados, 16 autóctones e 10 importados; e 3 casos de Chikungunya importados. Em 2017, foram 41 registros de dengue, e em 2016, último ano da outra gestão, o número de casos de dengue chegou a 563.

Nos primeiros dias de 2019, foram registrados 2 casos de dengue importados de Araraquara.

Para o combate ao Aedes aegypti, as equipes de combate às endemias seguem realizando vistoria de rotina nos imóveis, bloqueio-controle de criadouros em situações de casos suspeitos de Dengue, Chikungunya, Zika e Febre Amarela, bloqueio de nebulização em casos confirmados, vistoria e pesquisa larvária em imóveis especiais e pontos estratégicos.

Todo o trabalho faz parte do Plano de Ações Contra o Mosquito Aedes aegypti 2019, encaminhado à Regional da SUCEN - SR 06 em outubro de 2018.

O município também está realizando o ADL (Avaliação de Densidade Larvária), mais conhecido como LIRAa, levantamento determinado pelo Ministério da Saúde com avaliações em janeiro, abril, julho e outubro. O objetivo do trabalho é avaliar os níveis de infestação do mosquito na cidade.

As áreas de maior risco de criadouros estão sendo monitoradas e as informações avaliadas para a realização de outras atividades, como mutirões de limpeza.

O verão éo período do ano propício para a proliferação do mosquito Aedes aegypti. Altas temperaturas, chuvas intensas e alta umidade são os ambientes preferidos do mosquito.

É preciso ficar atento a todo e qualquer recipiente que possa acumular água dentro de casa, nos quintais e nos terrenos baldios. A eliminação dos criadouros ainda é a principal medida preventiva paracombater o mosquito transmissor da Dengue, Chikungunya e Zika.

Os moradores que tiverem alguma dúvida sobre o combate ao mosquito Aedes aegypti podem entrar em contato coma Vigilância Epidemiológica pelo telefone (16) 3307-7405.

Leia Também

Últimas Notícias