segunda, 15 de agosto de 2022
Injúria

Mulher alega ter sido ameaçada após buscar filho em escola; direção nega e diz que funcionários foram humilhados

Fato teria ocorrido no dia 28 de junho.

06 Jul 2022 - 16h27Por Redação
Mulher alega ter sido ameaçada após buscar filho em escola; direção nega e diz que funcionários foram humilhados - Crédito: Arquivo/São Carlos Agora Crédito: Arquivo/São Carlos Agora

Uma mulher de 32 anos fez queixa crime e elaborou boletim de ocorrência contra uma coordenadora de uma escola e sua filha que, segundo ela, fizeram ameaças no momento em que foi buscar o filho em uma instituição localizada na Vila Carmem.

Segundo a vítima, no período da tarde recebeu uma ligação da coordenadora informando que ela teria que buscar o filho mais cedo, pois o estabelecimento de ensino iria fechar. Como estava no trabalho, disse que não tinha como. Foi dado um prazo de 20 minutos. Porém, minutos depois, por seis vezes representantes da escola voltaram a ligar e quando ela atendeu, afirmou ter sido a filha da coordenadora que, em tom ameaçador, disse que deveria ir buscar o filho em poucos minutos, serão ele iria ser colocado para fora da escola.

A mulher, acompanhada do marido, foi até a escola e disse que coordenadora e filha foram ríspidas e deselegantes. Segundo a vítima, ambas ameaçaram caso ela colocasse algo nas redes sociais. Teria feito inclusive, gestos simulando possíveis agressões. O caso foi registrado na CPJ e será apurado pela Polícia Civil.

Versão da escola

A direção da escola também registrou um boletim de ocorrência, bem como acionou o departamento jurídico. Segundo os registros policiais, a escola entrou em contato com a mãe da criança para ir busca-la, pois era dia de recuperação apenas. Ela teria informado que não conseguiria naquele momento e pediu para aguardar de 20 a 30 minutos, pois estava trabalhando, mas segundo o boletim, a mãe não apareceu, sendo que somente estava o filho na escola.

A secretária teria entrado novamente em contato com a mãe e neste momento teria sido humilhada. A funcionária informou que daria um prazo de cinco minutos para buscar o filho. Neste momento a mãe respondeu para deixa-lo na rua.

Em seguida a mulher apareceu na porta da escola acompanhada do padrasto da criança e teria feito ameaças e passou a filmar a escola, enquanto o menino permanecia dentro da unidade. Segundo declarações prestadas no boletim de ocorrência, a mãe teria chamado uma funcionária de “merda”. Em seguida teria posicionado o filho na frente da escola e feito fotos, dizendo que a funcionária havia colocado ele para fora.

A direção da escola afirmou em boletim de ocorrência que a câmera de segurança do colégio filmou a mãe encenando uma suposta agressão.

A mulher também é acusada de ter criado um perfil fake e publicado nas redes sociais imagens e mensagens difamando a reputação do colégio.

Leia Também

Últimas Notícias