terça, 23 de abril de 2024
Polícia

Fazenda Pública realiza audiência para esclarecer venda irregular de túmulo no cemitério Nossa Senhora do Carmo

21 Mai 2015 - 17h21
Advogada Claudia Cristina. (foto Divulgação) - Advogada Claudia Cristina. (foto Divulgação) -

Na tarde desta quinta-feira (21) a Fazenda Pública Estadual realizou no Fórum Cível de São Carlos uma audiência do caso da venda do túmulo dos irmãos Marco Aurélio Dias Santos, Gabriel Dias Santos e Gabriela Dias dos Santos, que faleceram prematuramente entre os anos de 1995 e 2004 em hospitais de São Carlos e seus corpos foram sepultados na sepultura 386 em 2013.

INDENIZAÇÃO

A audiência foi presidida pela Juíza Gabriela Muller Carioba Atanasio que ouviu relatos de coveiros do cemitério Nossa Senhora do Carmo, bem como o ex-chefe Paulo Roberto Damin, o atual administrador, advogados da Prefeitura Municipal de São Carlos e da família dos três irmãos que além da reconstrução do túmulo requer uma indenização de R$ 300 mil pelos danos morais causados a seus clientes.     

COMPRA

A vendedora Solange Maria Dias, 48, mãe dos irmãos disse que em abril de 2013 sentiu uma dor que não deseja a ninguém, pois o túmulo que havia comprado em 1997 para enterrar os três filhos estaria em nome de um homem e teria descoberto que além de estar desocupado o túmulo já estava sem os restos mortais de seus filhos que desapareceram após alguém violar a sepultura.

A reportagem tentou conversar com o ex-chefe do cemitério Paulo Roberto Damin, porém ele saiu rapidamente não querendo falar com a imprensa. Em seu depoimento ele teria dito que não violou o túmulo e não teria dado ordem para ninguém tomar tal atitude. Já um dos coveiros disse que havia sim venda de túmulos e até hoje o cemitério passa por problemas.

DEFINIÇÃO

Falando á reportagem a advogada Claudia Cristina Farias da Silva disse que ainda outra testemunha deverá ser ouvida em carta precatória devido estar fora de São Carlos e posteriormente a Juíza Gabriela Muller Carioba Atanasio deverá analisar o processo e dar uma decisão sobre o caso. A advogada diz que aguarda para as próximas semanas uma definição sobre o caso e não descarta a possibilidade de recorrer da decisão caso não seja os interesses de seus clientes atendidos. 

 

Leia Também

Últimas Notícias