Menu
terça, 22 de junho de 2021
Polícia

Família pede Justiça e diz que comerciante foi vítima de latrocínio no assentamento Nova São Carlos

12 Mar 2015 - 14h42
"Ceará" foi morto a pauladas em sua casa. (foto Milton Rogério). - "Ceará" foi morto a pauladas em sua casa. (foto Milton Rogério). -

A família do comerciante Antônio Augusto Filho, 61, o "Ceará", acredita que após agredi-lo covardemente as pessoas que o mataram ainda roubaram parte de seu benefício e o dinheiro que ele teria separado para pagar um caminhão que entregaria bebidas em seu bar instalado ao lado de sua residência, localizada no lote 33 do Loteamento Nova São Carlos. Moradores do local, talvez por receio optaram por calar-se e apenas acompanhar os trabalhos de policiais militares, civis e de um dos peritos do Instituto de Criminalística (IC) que já comprovou que o comerciante são-carlense foi morto com aproximadamente três golpes de madeira que chegou até quebrar-se de tanta força que foi empregada para golpear a vítima na cabeça e nuca. O caso está sendo investigado pelo 2º Distrito Policial e pela Delegacia de Investigações Gerais (DIG) que até a manhã desta quinta-feira (12) não teriam identificado os autores do crime.

SEPULTAMENTO

O corpo do comerciante foi velado e sepultado na manhã desta quarta-feira (11) no cemitério Nossa Senhora do Carmo. Um dos primos do comerciante que por muito tempo teve bar e residiu no bairro Cidade Aracy I, disse que "Ceará" era uma pessoa amiga, não tinha inimigos e nem mesmo poderia reagir a um assalto, pois anos atrás teria sofrido um acidente vascular cerebral (AVC) e "arrastava" uma das pernas e mal conseguia se locomover.

DINHEIRO

Vítima tinha um bar ao lado da residência. (foto Milton Rogério)Um dos amigos de "Ceará", que pede anonimato, informou que ele era uma pessoa amiga e sempre estava auxiliando moradores do assentamento com mantimentos e nunca teria tido conhecimento sobre o envolvimento dele com mulheres ou pessoas desconhecidas. Ele disse que o comerciante vivia sozinho e tinha seu bar na frente da casa. "Olha...foi uma grande maldade que fizeram com meu amigo "Ceará". Eu tenho certeza que uma pessoa sozinha não teria feito isto. Eu e todos amigos queremos saber quem foi que fez isto com ele", concluiu o amigo. O primo do comerciante que também pede anonimato disse que "Ceará" havia recebido na segunda-feira (9) seu benefício do INSS (cerca de R$ 2 mil) e o dinheiro desapareceu. Ele acredita que pessoas teriam descoberto que ele foi ao banco retirar a aposentadoria e já sabiam que ele tinha em casa parte do dinheiro que ele pagava a bebida. Como os amigos o primo pede Justiça e diz que os ladrões não reviraram a casa e certamente sabiam onde o comerciante guardava sua carteira com seu dinheiro. Na carteira foi localizado apenas R$ 5,00.

ENCONTRO DO CORPO

Segundo a polícia, na manhã da última terça-feira, por volta das 8h30, dois  entregadores de bebidas estiveram no bar do "Ceará", localizado no lote 33 do Assentamento Nova São Carlos, instalado no quilometro 4 da Vicinal Domingos Inocentini (Estrada do Broa), para entrega de mais bebida e recebimento de mercadorias já entregues. Eles informaram que o bar estava fechado e por diversas vezes chamaram Antônio, que residia aos fundos do bar e ouvindo os gritos dos vendedores, uma dona de casa de 49 anos, residente nas imediações do bar foi até o local e vendo que "Ceará" não os atendia foi até a janela do quarto e após forçar conseguiu abrir e encontrou o comerciante desfalecido e com sangue na cabeça, caído ao lado de sua cama. A mulher rapidamente acionou o SAMU e um médico da Unidade de Suporte Avançado (USA) ao adentrar o imóvel constatou que o comerciante estaria morto. Alertados, policiais militares, integrantes da DIG e do 2º Distrito Policial, além de um perito do Instituto de Criminalística (IC) também estiveram na casa e constaram que não havia sinais de luta corporal no imóvel, porém a perícia constatou que no momento em que se encontrava dormindo, "Ceará" teria recebido um golpe com um pedaço de madeira no rosto e chegou a tentar se levantar, batendo com a cabeça e um móvel ao lado da cama e estando no chão teria novamente sido golpeado. O corpo de "Ceará" passou pelo Instituto Médico Legal (IML) que realizou a necropsia que apontará a real causa da morte. A família afirma que as pessoas que invadiram a casa do comerciante o mataram e posteriormente fugiram levando cerca de R$ 2 mil em dinheiro, o que poderá levar o caso a ser classificado como "latrocínio" (matar para roubar).

Áudio> Primo de Ceará afirma que o comerciante foi vítima de latrocínio e que os assassinos roubaram o dinheiro de seu benefício e o dinheiro seria usado para pagar bebidas para o seu bar.

Comments system Cackle

Leia Também

Últimas Notícias