Menu
sexta, 17 de setembro de 2021
Entretenimento

SESC realiza Festa da Cultura Popular ? Batuques, cordas e temperos

02 Ago 2010 - 09h47Por Redação São Carlos Agora

Tradicional em São Carlos, a festa apresenta este ano a cultura dos instrumentos de cordas, de percussão, e também os temperos tradicionais da culinária popular. Com apresentações de grandes nomes da música e uma série de eventos tradicionais, além de espetáculos de teatro, contações de causos, poesias e uma programação infantil.
De 6 a 8 de agosto, sexta a domingo. Grátis. Livre.

6, sexta

19h30 | Orquestra amigos violeiros de São Carlos (SP)
Nascida há 10 anos pelas mãos de Antonio Carlos Dovigo, a orquestra, hoje orgulho são-carlense, apresenta com sua formação completa os grandes clássicos da música caipira.
Convivência.

21h30 | Siba e Fuloresta (Recife/PE)
Cantor e compositor, integrante do Mestre Ambrósio, vem com sua banda para apresentar ritmos rurais e dançantes do Nordeste.
Ginásio de Eventos.

7, sábado

A partir das 15h | Intervenções

Grupo Girafulô (São Carlos/SP)
O grupo tem o objetivo da prática e pesquisa das danças brasileiras, e possuem em seu repertório danças como cacuriá, caroço, coco, cirandas, jongo, entre outras.

Causos com rabeca - Grupo Prana (São Paulo/SP)
Um casal de atores, caracterizado para os festejos, caminha entre o público e conta pequenos causos e versinhos populares ao som da rabeca ao vivo.

15h30 | Contando o Brasil (São Paulo/SP)
Cia. Palavras Andantes
Espetáculo infantil que busca o resgate e a celebração do folclore e da cultura popular brasileira, invocando o espírito das rodas de histórias e cantorias onde são apresentadas lendas de várias regiões do país, intercaladas por cantigas, danças e brincadeiras populares.
Convivência. 50 min.

17h | Banda Congo da Serra (Espírito Santo/ES)
Dança folclórica do Espírito Santo. Seu surgimento se remete ao ano de 1856 quando numa das viagens de um navio negreiro, durante iminente naufrágio, 25 tripulantes salvaram-se por milagre. Do episódio surgiu as bandas de congo, com um formato de 25 componentes que tocam e louvam o seu santo negro em agradecimento ao livramento daquele naufrágio.
Ginásio de Eventos.

18h30 | Seu Manelim de Oliveira e Paulo Freire (Minas Gerais/MG)
O violeiro Paulo Freire apresenta-se com seu mestre de viola do sertão de Minas Gerais: Manoel de Oliveira. Para este encontro, prepararam músicas e causos compartilhados em trinta anos de amizade e aprendizado. Num clima de prosa na roça, tocarão lundus, toques de viola e falarão dos segredos da viola, como o canto da inhuma e o pacto com o tinhoso.
Convivência.   

19h30 | Renata Rosa (São Paulo/SP)
A cantora adota a rabeca como eixo de sua obra “Manto dos Sonhos” (Prêmio da Música Brasileira de Melhor Cantora Regional) e traz elementos do coco, do cavalo-marinho, da ciranda, dos xangôs, de ritmos indígenas.
Ginásio de Eventos.

21h30 | Renato Teixeira (Santos/SP)
O músico apresenta seus grandes sucessos como “Um Violeiro Toca”, “Romaria”.
Ginásio de Eventos.

8, domingo

A partir das 15h | Intervenções

Maracatu de baque virado | Grupo Rochedo de Ouro (São Carlos/SP)
O Rochedo de Ouro é um grupo artístico que vivencia a cultura do Maracatu de Baque Virado através de sua música e dança. Um trabalho que valoriza a cultura tradicional em São Carlos.

A Oficina do Zeca da rabeca | Grupo Prana (São Paulo/SP)
O boneco Zeca é um artesão que constrói rabecas e faz experimentos sonoros com materiais inusitados.
De sua imaginação vão surgindo as ferramentas e os instrumentos musicais.

15h30 | Rimas contadas e improvisadas (São Paulo/SP)
César Obeid apresenta muitas rimas, movimento e alegria com a participação da platéia. Histórias contadas com figuras de barbantes, poesias e brincadeiras com rimas serão ditas com magia e primor em versos contagiantes. Trata-se de um verdadeiro reconto das tradições populares.
Convivência. 50 min.

16h30 | Grupo Urucungos (Campinas/SP)
Coletânea que reúne danças cuja essência procede de manifestações negras do ambiente de trabalho, como o plantio e colheita de café, laranja, cana de açúcar, onde se evidencia a simplicidade e a alegria como meios de aliviar a dura rotina do trabalho braçal.
Ginásio de Eventos.

18h | Pé de mulambo (São Paulo/SP)
Grupo que traz a rabeca e a viola caipira como elementos-chave, sempre acompanhados de triângulo e zabumba, resultando num autêntico “pé-de-serra power trio”. No repertório, adaptações de gêneros regionais nordestinos, influências de fandangos e folias, composições próprias e releituras de autores como Genival Lacerda, Assisão e Rosil Cavalcanti.
Convivência.

19h | Grupo coco de roda xique xique (Maceió/AL)
O Coco de Roda é a mais primitiva manifestação do Coco e a de coreografia mais simples.
Formada a roda de dançadores, na cadência das palmas e dos cantos entoados, uma ou duas parelhas fazem o sapateado no centro, enquanto os demais permanecem em seus lugares. A seguir, dirigem-se até outra parelha, em qualquer parte da roda, e através da umbigada escolhem-na para substituí-los no centro da roda, tomando o seu lugar.
Ginásio de Eventos.

20h30 | Homenagem a Pena Branca com Zé Mulato & Cassiano e Rodrigo Zanc (Passa Bem/MG; Araraquara/SP)
A grande dupla mineira faz, com outro grande representante da música raiz de São Carlos, show em homenagem a um dos grandes ícones da música caipira: Pena Branca.
Ginásio de Eventos.

Serviço:
Data: De 6 a 8 de agosto, sexta a domingo.
Ingressos: Grátis.
Local: SESC São Carlos – Av. Comendador Alfredo Maffei, 700 – Jd. Gibertoni – São Carlos – SP
Mais informações pelo telefone: 3373-2333

Comments system Cackle

Leia Também

Últimas Notícias