Menu
quinta, 24 de setembro de 2020
Qualidade de Vida

Cãibra ou Câimbra

06 Set 2018 - 07h00Por (*) Paulo Rogério Gianlorenço
Cãibra ou Câimbra -

A câimbra, ou cãibra, é uma contração rápida involuntária e dolorosa de um músculo que pode afetar qualquer parte do corpo que costumam surgir após exercícios físicos intenso, refeições e até mesmo durante o sono ou por falta de exercícios e alimentação, normalmente surgem nos pés, mãos, pernas, especialmente na panturrilha e na parte de trás da coxa, e surgem em algumas outras partes do corpo através de relatos de pacientes em consultórios Médicos e Fisioterápicos.

São clássicas as cenas do jogador de futebol, que pega a bola, sai em disparada rumo ao gol, quase certo, e de repente cai, contorcendo-se de dor nos músculos da perna.

Existem duas explicações para o aparecimento das cãibras:

De acordo com a primeira, o ácido lático, substância produzida a partir da queima da glicose durante um esforço físico, se acumula em excesso e faz o músculo entrar em fadiga, a conseqüência disso são os espasmos musculares. A outra explicação está em um desequilíbrio de sais minerais, se a atividade dura mais de uma hora ou é muito intensa, o suor faz o organismo eliminar bastante sódio e potássio, essas moléculas ajudam a coordenar o trabalho das fibras musculares, se não são repostas, digamos que o músculo fica descoordenado, contraindo demais sem relaxar em seguida vêm aquelas fisgadas.

Geralmente, as câimbras não são graves e duram menos de 10 minutos, surgindo especialmente após fazer exercício físico intenso, devido à falta de água no músculo. No entanto, também podem acontecer durante a gravidez ou devido a problemas de saúde como falta de minerais, diabetes, doenças no fígado ou miopatia, por exemplo.

Em geral, as câimbras musculares são causadas pela prática de esportes ou por determinadas atividades profissionais, as câimbras noturnas na perna, muitas vezes não têm causa aparente, mas sugerem a associação com algumas doenças sistêmicas.

Entre as causas mais comuns das câimbras, estão:

Uso exagerado da musculatura são as câimbras típicas dos atletas que praticam exercícios que sobrecarregam determinados músculos, elas podem ocorrer, também, nas mãos, nos braços e no pescoço como resultado de atividades como escrever, digitar ou trabalhar com ferramentas na mesma posição durante muito tempo.

Desidratação, a água facilita as contrações e o relaxamento das fibras musculares e dos tendões, a falta dela deixa-os mais sujeitos a espasmos.

Baixas temperaturas, o frio faz com que a musculatura fique mais tensa e contraída, o que facilita a ocorrência de espasmos musculares.

Má circulação, nos mais velhos, o estreitamento das artérias que irrigam os membros inferiores causado por placas de aterosclerose pode provocar câimbras, quando a musculatura é solicitada com mais intensidade.

Compressão de raízes nervosas, Artroses e perda de elasticidade dos discos que ficam entre as vértebras da coluna lombar podem comprimir os nervos, que saem para inervar os membros inferiores, e provocar dor. Essa dor fica mais forte à medida que a pessoa anda e pode adquirir as características típicas das câimbras.

Carência de sais minerais, falta de potássio, cálcio ou magnésio na dieta alimentar pode estar por trás de quadros de câimbras freqüentes. Pessoas hipertensas que tomam diuréticos geralmente perdem potássio.

Portadores de diabetesanemia, insuficiência renal, doenças da tireóide, degenerações neurológicas, desequilíbrios hormonais e mulheres grávidas estão mais sujeitos a desenvolver episódios dolorosos de câimbras.

Quando a câimbra surge mais de uma vez por dia ou demora mais de 10 minutos para passar é recomendado consultar o clinico geral para identificar a causa da câimbra e iniciar o tratamento adequado. Na maior parte dos casos, a cãibra não é um problema grave, porém, existem casos em que pode indicar falta de minerais no organismo ou outros problemas.

Sinais e Sintomas: Sensação de fisgada em um músculo, Dor intensa na musculatura que não melhora após 10 minutos, Surgimento de inchaço e vermelhidão no local da cãibra, Desenvolvimento de fraqueza no músculo após a cãibra, Câimbras que surgem muitas vezes em poucos dias.

A câimbra na gravidez é normal e muito freqüente, especialmente durante o 1º semestre de gestação, devido ao aumento do tamanho e peso do útero que provocam repuxamento sobre os músculos do abdômen da grávida, causando câimbras na barriga.

Prevenção: Câimbras não têm cura, mas alguns cuidados simples podem prevenir a repetição das crises.

Boa hidratação Tome bastante líquido durante o dia, especialmente antes de praticar exercícios vigorosos. Bem hidratados, os músculos se contraem e relaxam com mais facilidade.

Exercícios de alongamento, o alongamento deve ser feito antes e depois de qualquer exercício mais prolongado. Se as câimbras ocorrerem mais à noite, faça os alongamentos antes de deitar-se.

Alimentação balanceada inclua frutas e verduras na sua dieta habitual. Esses alimentos são ricos em vitaminas e sais minerais, nutrientes importantes para o funcionamento não só dos músculos, mas de todo o organismo.

Na maioria das vezes, os episódios dolorosos são ocasionais, duram menos de um minuto e desaparecem espontaneamente. Analgésicos e anti-inflamatórios não têm utilidade nenhuma no tratamento das câimbras, nas crises, algumas medidas simples podem representar a melhor forma de tratamento.

Alongamento e massagem, alongar o músculo em espasmo e massagear a área afetada com movimentos circulares são técnicas fundamentais para promover o relaxamento da musculatura e alívio da dor.

Quando as câimbras se manifestam nas pernas, a pessoa deve ficar em pé e colocar o peso sobre a perna acometida. Se não conseguir ficar em pé, deve sentar-se, e esticar a perna e puxar os pés para trás com as mãos.

Aplicação de calor no local, o aumento da temperatura favorece o relaxamento dos músculos.

A tática mais segura é respirar fundo, relaxar dentro do possível, alongar levemente e massagear com cuidado o local estirado com movimentos circulares. Se elas persistirem, procure um médico.

O autor é graduado em Fisioterapia pela Universidade Paulista Crefito-3/243875-f Especialista em Fisioterapia Geriátrica pela Universidade de São Carlos e Ortopedia.

Esta coluna é uma peça de opinião e não necessariamente reflete a opinião do São Carlos Agora sobre o assunto.

comments powered by Disqus

Leia Também

Últimas Notícias