Menu
domingo, 24 de junho de 2018
Polícia

Operação Strike ?derruba? contraventores de São Carlos

15 Jun 2007 - 23h15Por Redação São Carlos Agora
A Polícia Civil de São Paulo realizou ontem uma megaoperação nos 645 municípios do Estado. Participam da "Operação Strike" na área da Delegacia Seccional de São Carlos 140 policiais e mais de 50 viaturas que tiveram o apoio de fiscais municipais, agentes de trânsito, Defesa Civil e Guarda Municipal. Após 11 horas de operação foram apreendidas 263 máquinas caça-níqueis e vídeo-pôquer em vários estabelecimentos que exploravam esses jogos de azar, mais de 10 mil itens piratas como cd´s, dvd´s, calçados e roupas, além de drogas e armas. Mais de 250 veículos foram vistoriados e 380 pessoas abordadas. Para o delegado seccional da Polícia Civil em São Carlos. Em todo o Estado a operação contou com a participação de 18.217 policiais civis, 4.206 viaturas e apoio de cerca de 800 peritos do Instituto de Criminalística.A operação Strike em São Carlos teve início às 6h com a concentração das viaturas em frente à Delegacia Seccional na Vila Marina. As equipes inicialmente fizeram uma saturação na região Sul da cidade para dar cumprimento a mandados de buscas e apreensões e prisões de alguns suspeitos.Na Rua Goiás, 520, os policiais prenderam C.S.S. de 23 anos. O mesmo estava sendo investigado pela Delegacia de Entorpecentes há algum tempo. Na casa foi localizado um pote contendo 58 invólucros de cocaína, além de 10 celulares, R$ 400,00 em dinheiro e duas máquinas fotográficas. C.S.S., foi autuado em flagrante por tráfico de drogas e encaminhado para o Anexo de Detenção Provisório da PII de Itirapina.Após a saturação na Zona Sul, os policiais acompanhados de fiscais da Prefeitura, Guardas Municipais e fiscais da Prefeitura fizeram uma batida na baixada do mercado municipal e na praça do comércio com vistas a produtos piratas. Nesta região foram apreendidas milhares de mercadorias irregulares, falsificados e sem notas fiscais, como cds, dvds e tênis e roupas. Os fiscais notificaram quatro estabelecimentos a apresentar o Alvará de Licença.Outras equipes começaram a se deslocar para bairros como Vila Monteiro, Santa Felícia, São Carlos III, Parque Iguatemi e no Centro para localizar estabelecimentos que exploravam jogos de azar por meio de máquinas caça-níqueis, vídeo-pôquer e similares. Curiosamente todos os estabelecimentos estavam fechados. Mas a Polícia estava prevendo que isso poderia acontecer e com o auxilio de um chaveiro passou a abrir todos estes estabelecimentos. Em um depósito localizado na Rua Silvério Ignara Sobrinho, ao lado do número 836 e na Rua Marcolino Lopes Barreto, 392, os policiais e fiscais encontraram 125 gabinetes de maquinas de caça níqueis e 22 monitores. Os locais estavam servindo como depósito deste tipo de equipamentos.Na Rua Mario Pizani no São Carlos III, dois estabelecimentos foram encontrados fechados, mas foram fiscalizados. No primeiro o responsável franqueou a entrada dos policiais e no local havia 10 máquinas. A menos de 100 metros, a Polícia recebeu a denúncia que um outro prédio explorava jogos de azar. O local estava fechado, chaveiro após uma hora conseguiu abrir a casa de jogos onde havia mais 27 máquinas. O responsável pelo imóvel não foi localizado e nem se apresentou a Polícia.Na Rua Brasilino Silva no Jardim Iguatemi, a Polícia havia recebido uma informação de que o dono de um prédio havia armazenado na noite anterior algumas máquinas eletrônicas. Quando as equipes da DIG e do 5º chegaram, encontraram 10 máquinas.As apreensões ocorreram em outras regiões da cidade em bares e lanchonetes.À tarde equipes da DIG e DISE, receberam uma denúncia feita ao disque denúncia na Capital onde informavam que dentro do Mercado Municipal próximo a uma casa lotérica havia dezenas de máquinas em funcionamento.A reportagem acompanhou a chegada dos policiais no local e a exemplo dos demais, o estabelecimento estava fechado. Com auxilio de uma escada um policial constatou que a denúncia era verdadeira. Após o chaveiro abrir a porta de um box, foi constatado que havia no local 29 máquinas.Todas as máquinas foram apreendidas e encaminhadas para um depósito localizado na região Norte da cidade onde deverão ser periciadas pela Polícia Científica. O delegado seccional, Marcos César Borges disse que os responsáveis por essas máquinas responderam pelo crime previsto no artigo 58 das Leis de Contravenções Penais que trata sobre os jogos de azar. Após os exames periciais se ficar comprovado que há componentes eletrônicos importados os responsáveis também poderão ser indiciados por contrabando. “Existem vários artigos que as pessoas que tinham posse dessas máquinas e os seus proprietários poderão incorrer, vamos agora fazer todos os exames necessários e implicar as pessoas que tinham essas máquinas em suas posses”, disse Borges.No final da tarde, Borges disse que a operação foi um sucesso na cidade e região e comemorou o resultado.“O trabalho desenvolvido pela Polícia Civil aqui em São Carlos com auxilio de alguns setores da Prefeitura foi muito salutar, tivemos números excelentes e esse é o nosso objetivo, mostrar o nosso serviço à população, fazer com que as coisas a ordem e a lei sejam sempre respeitadas”.  
comments powered by Disqus

Leia Também

Últimas Notícias