Menu
sexta, 14 de dezembro de 2018
Polícia

Dois afogamentos marcam o domingo de carnaval

23 Fev 2009 - 08h30Por Redação São Carlos Agora
Na tarde deste domingo de carnaval, o Corpo de Bombeiros registrou dois afogamentos às margens da rodovia SP 215, na região de São Carlos e em um dos casos, um auditor de qualidade paulistano acabou perdendo a vida em uma das represas do parque Itaipu, onde segundo um dos amigos que participava de um churrasco, aquele auditor não sabia nadar e mesmo assim teria mergulhado de um trampolim, desaparecendo na represa que não seria dotada de salva-vidas.

No primeiro afogamento, um estudante de 16 anos sobreviveu após permanecer por cinco minutos afogado.Segundo apurado, no início da tarde deste domingo, por volta das 12h30, os irmãos Ademilson Venâncio de Oliveira, 16 e Adenilton Venâncio de Oliveira, 15, após se reunirem com aproximadamente 10 amigos no bairro Cidade Aracy II, resolveram se refrescar na represa de um antigo Pesque Pague, localizado no quilometro 155 da SP 215 – rodovia Professor Luiz Augusto de Oliveira.
Quando deixavam o bairro, os irmãos foram abordados pelo estudante Lucas Henrique Gonçalves, 16, que tomando conhecimento que os amigos iriam nadar na tarde quente de domingo, disse que também iria para a represa e acompanhando o grupo, caminharam pela margem da rodovia rumo a represa.

Já por volta das 14h, quando todos brincavam nas águas do Pesque Pague desativado, Ademilson passou a nadar para outra margem quando ao perceber que estava sendo seguido por Lucas, diminuiu as braçadas e então pode notar que estava a uma profundidade de 2 metros, percebendo então que o amigo, passando mal, havia afundado.

Rapidamente Ademilson mergulhou e conseguiu localizar o amigo, o qual voltou a nadar desnorteado, porém, de repente, afundou não sendo mais localizado. Regressando às margens, Ademilton olhou para trás e percebeu que o amigo havia novamente afundado, momento em que gritou para os outros colegas que passaram a procurar por Lucas.

Um outro rapaz que estava nas margens da represa, saiu correndo e regressou ao bairro Cidade Aracy, onde ligou para o Corpo de Bombeiros que enviou à represa a Unidade Resgate com o sargento Viganon, cabo Oziel e soldado Dimas. Ao chegarem no antigo pesque pague, os bombeiros notaram que os amigos após procurar por Lucas, por aproximadamente 5 minutos, conseguiram localizá-lo e já desfalecido o arrastaram para as margens, onde um rapaz deu início à Ressuscitarão Cardio Pulmonar (RCP), que foi assumida pelos homens do Corpo de Bombeiros, os quais conseguiram reanimar ainda nas margens da represa, Lucas que foi colocado na Unidade Resgate para ser transportado em segurança já com auxílio de aparelhos para o Serviço Médico de Urgência (SMU). Lucas foi levado com urgência para o SMU, onde recebeu os primeiros atendimentos, sendo posteriormente internado.

Segundo os médicos, Lucas passa bem, porém hoje deverá passar por exames especializados para averiguar se não há água em seus pulmões. 

Segundo afogamento
Quando os bombeiros da Unidade Resgate terminavam seus depoimentos no Plantão da Polícia Civil, por volta das 17h25, foram eles alertados de um segundo afogamento desta feita na SP 215 – rodovia Dr. Paulo Lauro (sentido São Carlos - Descalvado), onde testemunhas informavam os bombeiros que o analista de qualidade Bráulio Vicente da Silva, 30, teria mergulhado de um trampolim e desaparecido em uma das três represas do Parque Itaipu.

Morte
Chegando a represa, os bombeiros perceberam que os amigos de Bráulio conseguindo localizá-lo, o retiraram das águas já desfalecido e também aplicavam a Ressuscitarão Cardio Pulmonar (RCP), o que levou os bombeiros a prestar o atendimento de urgência levando aquela vítima para a Santa Casa onde o mesmo deu entrada ainda com vida, porém durante o atendimento, o mesmo que já apresentava um quadro gravíssimo, veio a falecer.

Amigos do auditor de qualidade que chegavam ao hospital, ao tomarem conhecimento de sua morte se desesperavam.

Um deles M.R.E., 36, falando a reportagem, disse que Bráulio trabalhava e morava em São Paulo. Segundo ele, o amigo estaria separado, mas teria dois filhos na capital e namorava uma garota em São Carlos, onde também possuía parentes. Ainda segundo o amigo, Bráulio não sabia nadar e inexplicavelmente correu e mergulhou do trampolim. Ele também diz que não avistou placas dizendo sobre os perigos da represa.

Neste segundo mês de 2.009, o Corpo de Bombeiros já registrou três afogamentos com duas vítimas fatais. Segundo os bombeiros, a principal causa para os afogamentos são os abusos e o desconhecimento do local.
comments powered by Disqus

Leia Também

Últimas Notícias