terça, 17 de maio de 2022
Eleições 2020

UPA Infantil e transporte a R$ 2 são as propostas de Netto Donato

Para a Saúde, candidato do PSDB defende a informatização do sistema.

27 Out 2020 - 10h26Por Redação São Carlos Agora
Netto: “Para você marcar uma consulta, são poucas as datas disponíveis, ou seja, você precisa escolher uma data para ficar doente. Não dá” - Crédito: DivulgaçãoNetto: “Para você marcar uma consulta, são poucas as datas disponíveis, ou seja, você precisa escolher uma data para ficar doente. Não dá” - Crédito: Divulgação

Nesta terça-feira (27), o candidato Netto Donato é o entrevistado do São Carlos Agora. Ele concorre, pela segunda vez, ao cargo de prefeito de São Carlos. Na Saúde, o candidato do PSDB entende a necessidade de uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) para atender às crianças e adolescentes.

Netto Donato classifica como “ousada” a proposta do transporte público a R$ 2. “Não é proposta eleitoreira”, ressalta.

“Temos um sistema de transporte público desorganizado, uma licitação que não se faz há mais de seis anos. E nós começamos a achar que isso é proposital. Uma empresa com contrato, com uma licitação decente – e que vou fazer no meu primeiro ano de governo – é o primeiro passo. Depois, quem vai receber o recurso do transporte não é a empresa; é a Prefeitura, de posse dos relatórios de transporte, GPS e com o controle das carteirinhas de passagem. Nós teremos todo esse controle. Vamos controlar as catracas”, confessa.

Sobre casas populares: “A nossa proposta é de duas mil moradias. Percebemos a urgência de construção de novas casas populares”. Foto Divulgação

Acompanhe a entrevista

  1. Porque ser prefeito de São Carlos?

Sou advogado, especialista em direito público, tenho mestrado em gestão e políticas públicas, há 14 anos trabalho diariamente com Prefeitura e Câmara, advogando para as causas públicas. Vejo que a gente pode muito mais. Está na hora de sairmos da inércia, levantarmos da cadeira para trabalhar. Me incomoda ver a cidade como está. São Carlos está parada no tempo. Vejo que a força jovem, atrelada à experiência, dá para transformar São Carlos.

  1. Qual é a sua opinião sobre a saúde? e o que pode ser melhorado?

Não temos a tecnologia disponível na saúde. Para você marcar uma consulta, são poucas as datas disponíveis, ou seja, você precisa escolher uma data para ficar doente. Não dá. O cidadão precisa se dirigir à Unidade Básica de Saúde (UBS) para marcar uma consulta. Hoje temos tecnologia para marcar uma consulta por celular, por aplicativo... tudo isso queremos trazer para a saúde de São Carlos. O prontuário eletrônico se faz necessário. Estamos parados no tempo. Precisamos interligar o sistema de saúde que, hoje, não se conversa. É possível fazer isso, em parceria com as nossas universidades, também com empresas que prestam esse tipo de serviço. A saúde precisa de modernidade, o servidor precisa ser tratado de forma adequada, ter carinho e capacitação ao servidor público e estrutura para trabalhar. Não adianta uma Unidade Básica de Saúde sem estrutura. O nosso foco, também, é uma UPA (Unidade de Pronto Atendimento) Infantil para atender os pacientes de 0 a 14 anos. Isso é necessário e viável. Além disso, vamos firmar parcerias com o Hospital Universitário, que será um grande parceiro do município.

  1. O que você acha da Educação Municipal? Quais são as suas propostas para o tema?

O primeiro passo é uma reestruturação na Secretaria de Educação, reformular e revisar o Estatuto da Educação. Professor de apoio e atribuição de aula, que são questões bagunçadas. Precisamos dar condições claras de trabalho aos professores. Tem professor que diz que não consegue comer o peru tranquilo no Natal, pois não sabe onde vai trabalhar no próximo ano. O foco do professor é a criança e o adolescente. Resolvendo a parte interna, lembramos que a rede é dotada de professores com mestrado e doutorado, a rede é qualificada, o que a gente precisa é aproveitar isso, trazer a criança para dentro da escola e no próximo momento, trabalhar pela educação em tempo integral e cuidar da educação de maneira integral no contraturno, com uma equipe multidisciplinar para entender a realidade do aluno. Em muitos casos, as refeições dos alunos são apenas as que são oferecidas na escola. Precisamos estar atentos a isso.  Precisamos de um olhar atento ao transporte rural. A educação de São Carlos pode ser referência no Brasil, em função, também, das nossas universidades.

  1. São Carlos está há seis anos sem a licitação do transporte público. O que você pretende fazer?

Essa é a mais ousada das minhas propostas. Transporte a R$ 2 não é proposta eleitoreira. Eu trabalho em gestão pública. Sei o que estou falando. Todos falam que a empresa do transporte público é uma caixa preta, que tem muito lucro... eu estou colocando o dedo na ferida. Temos um sistema de transporte público desorganizado, uma licitação que não se faz há mais de seis anos. E nós começamos a achar que isso é proposital. Uma empresa com contrato, com uma licitação decente – e que vou fazer no meu primeiro ano de governo – é o primeiro passo. Depois, quem vai receber o recurso do transporte não é a empresa; é a Prefeitura, de posse dos relatórios de transporte, GPS, com o controle das carteirinhas de passagem. Nós teremos todo esse controle. Vamos controlar as catracas. Se reduzirmos o valor das passagens, teremos mais pessoas interessadas em usar ônibus, isso é óbvio. Todos esses detalhes foram analisados. Eu jamais faria uma promessa dessa se não conseguisse cumpri-la. Precisamos pensar na mobilidade urbana. São Carlos é uma das cidades que mais carros têm nas ruas. Como será o centro daqui alguns anos? Precisamos, portanto, de um transporte com qualidade, com uma frota mínima – 20% - de energia limpa e que incentive o cidadão a deixar o carro em casa para usá-lo.

  1. São Carlos é a Capital Nacional da Tecnologia. Como potencializar esta condição? Existe uma proximidade entre universidade, centros de pesquisa, Prefeitura e comunidade?

Quem administra uma cidade, necessita de parceiros. Como prefeito, preciso organizar a cidade e estabelecer parcerias com as universidades públicas e privadas. Temos tecnologia de ponta, mas que não está disponível ao cidadão, dentro dos serviços da Prefeitura. Para se retirar uma certidão, você tem quer ir ao SIM (Serviços Integrados do Município). Vamos modernizar o SIM, a Secretaria de Habitação também está nos nossos planos. Chega de processo dentro de gaveta. Precisamos informatizar a Prefeitura toda. Temos técnicos dentro da Prefeitura que são capazes disso. As parcerias com as universidades são importantes na produção de projetos. A cidade perde muitos recursos porque não tem projetos. Na minha gestão, teremos um núcleo exclusivo para isso.

  1. Quais são as suas propostas para melhorar o emprego em São Carlos? De que forma atrair novas empresas?

Precisamos de empresas e de capacitação da massa trabalhadora.  A última grande empresa que se instalou em São Carlos foi a Serasa. As startups estão crescendo de forma absurda. São Carlos se reinventa na geração de empregos, mas não podemos nos esquecer de uma Tecumseh, de uma Electrolux, de uma Volkswagen. Precisamos requalificar a mão de obra e incentivar essas empresas. São Carlos precisa voltar a ser pujante.

  1. Políticas públicas para os jovens. O que você pretende fazer?

Existem algumas secretarias que têm orçamento para o gasto com pessoal. Assim, não dá. Secretarias sem projetos e acostumadas como mínimo. O jovem precisa ser assistido, ter projetos culturais. O Exposhow pode ser um grande centro de inserção cultural do jovem na sociedade. É só investir naquilo que temos.

  1. O que você propõe para melhorar a arrecadação do município?

Trazer empresas e revisar os contratos que existem. Não tenho acordos empresariais. O meu compromisso é com a população de São Carlos. Precisamos revisar algumas questões tributárias, pois existem pessoas pagando além. A população não aguenta mais tantos impostos. Insisto: São Carlos é uma cidade atraente para empresas, mas não há um gestor que se preocupa em dar publicidade ao potencial do município.

  1. Hoje, o SAAE tem reclamações de desabastecimento em vários bairros e vazamento de água tratada. De que forma melhorar a gestão dos serviços?

Não dá para admitir um SAAE, com o potencial que tem, ser sucateado há duas gestões. Parece que o pessoal tem vontade de vender o SAAE. O servidor é desvalorizado, o servidor é desrespeitado e não tem as condições de trabalho que se fazem necessárias. O servidor do SAAE não está contente pela falta de estruturação e os trabalhadores do SAAE são eficientes. Não concordo com a privatização do SAAE e na minha gestão não haverá privatização. Vamos colocá-lo no patamar que merece. A troca da tubulação se faz necessária. É um valor alto, mas necessário. Temos como encaminhar projetos de captação de recursos, mas ninguém dá esse encaminhamento. Veja só: fazem o recape e toda vez rasgam o asfalto para consertar canalização antiga. E o juro da operação recape é altíssimo.

  1. Quais são os seus planos para evitar as enchentes em São Carlos?

Esse tema fica adormecido. Os políticos despertam o interesse quando ocorre uma nova enchente nos últimos três anos, não falaram nada de enchente. Obras para melhoria? Não fizeram nada. Os governos não mandaram recursos para combater as enchentes porque a cidade não tem projeto. Quais foram os técnicos que foram aos governos federal e estadual pedirem recursos? Nenhum. Não é algo rápido e barato a ser feito, mas precisamos viabilizar obras.

  1. As políticas habitacionais dos governos estadual e federal foram reduzidas. De que forma, então, reduzir o déficit habitacional?

A nossa proposta é de duas mil moradias. Percebemos a urgência de construção de novas casas populares.

  1. O que você promete de diferente dos seus adversários?

A postura e a palavra firme. O que o Netto fala, o Netto cumpre. E o mais importante: temos uma postura de ajudar a população, com o conhecimento de como fazer. Eu conheço a administração do começo ao fim. Eu tenho coragem e disposição para mudar, além de fé em Deus.

As suas considerações finais

Peço que acompanhem as propostas e a vida de cada candidato. O que fizeram para o cidadão. Eu quero governar a cidade de um jeito diferente. Vou abrir a agenda com dois dias da semana para atender ao munícipe. São Carlos pode muito mais com Netto Donato 45.