terça, 21 de maio de 2024
Artigo Rui Sintra

Trás-os-Montes... Sempre em evidência

19 Abr 2024 - 08h42Por (*) Rui Sintra
Trás-os-Montes... Sempre em evidência -

A emigração tem sido desde longa data uma caraterística constante dos portugueses, com seu início marcado lá atrás, durante a expansão marítima, em pleno século X, quando os portugueses começaram a povoar diferentes continentes. Conforme Afonso Henriques Carvalho, orientando de Francisco Azevedo Mendes, em sua Dissertação de Mestrado em História, é nos séculos XVIII e XIX que essa emigração de portugueses se acentua, integrada no contexto das migrações europeias oitocentistas que se dirigiram principalmente para territórios do Novo Mundo. “Nos anos de oitocentos, a emigração portuguesa foi dominada pela atração brasileira para onde se dirigiu o grosso das gentes que temporária ou definitivamente saía do país, procurando uma solução para as dificuldades económicas nacionais que se faziam sentir devido a diversas conjunturas, ao mesmo tempo que respondiam às necessidades crescentes de mão-de-obra que no Brasil se faziam sentir, devido à progressivo crescimento económico da jovem Nação. A grande emigração portuguesa rumo ao Brasil teve origem, desde o século XVIII, no noroeste português, região do Entre Douro e Minho, começando depois a alastrar-se às regiões mais interiores do território nacional a partir da década de 1850”, principalmente a partir de Trás-os-Montes. E, se Trás-os-Montes era classificada como uma província extremamente pobre, quase desertificada, com o passar dos anos e após a “Revolução dos Cravos” (1974) ela começou a ressurgir como uma das mais belas regiões do país, muito contribuindo para a riqueza nacional. E, neste sentido, queria aqui salientar uma ação extremamente importante que anualmente ocorre no mês de abril na vila de Torre de Moncorvo (Trás-os-Montes) e que adiciona história, cultura e educação. Trata-se da "Feira Medieval de Torre de Moncorvo", cujo tema deste ano foi "O Foral Dionisino d’El Rei Povoador", sendo que se manteve como figura de destaque El Rei D. Dinis, aliado ao documento régio que criou o concelho da Torre de Mem Corvo: a carta de foral. E esta edição de 2024 iniciou-se precisamente no dia em que se assinalou a comemoração dos 739 anos da atribuição da carta de foral de D. Dinis à Torre de Mem Corvo, precisamente a 12 de abril de 1285. A “Feira Medieval” contou com 10 espaços de animação, a participação de 792 alunos de 15 escolas de Portugal e Espanha e a presença de 102 artesãos, mercadores, místicos e tabernas no mercado medieval. Na programação destacaram-se o cortejo do Rei D. Dinis e sua corte à Torre de Mem Corvo, a leitura da Carta de Feira, treino de cavaleiros, demonstração de cavalaria medieval, carta de caminheiros, torneio d’armas a cavalo, pracear das aves batizado medieval, cerimónia de investidura dos escudeiros Pedro Mendes e Gonçalo Godinho como cavaleiros do Templo e cortejo de despedida de El Rei D. Dinis da Torre de Mem Corvo. Por seu turno, à noite realizaram-se os espetáculos de “Vídeo Mapping – Torre de Mem Corvo: das origens ao reinado de D. Dinis”, a concessão de Carta de Foral aos Moradores de Torre de Mem Corvo, o espetáculo de “Cetraria - Fénix Renascida”, o “Funeral do Leproso Pero Gafo” e a “Audiência e Penas do Foral d’El Rei D. Dinis”. Por outro lado e integrado neste evento, a Câmara Municipal de Torre de Moncorvo (prefeitura) em parceria com o Agrupamento de Escolas de Torre de Moncorvo promoveu mais uma edição do "Concurso Reis Por um Dia", que selecionou os alunos que interpretaram o papel de Rei e Rainha no primeiro dia da “Feira Medieval de Torre de Moncorvo”. O Município de Torre de Moncorvo convidou os alunos do 10º, 11º e 12º ano do Agrupamento de Escolas de Torre de Moncorvo a regressarem à idade média, vestindo-se à época, para uma sessão fotográfica que teve lugar no dia 7 de março, num cenário criado para o efeito na Biblioteca Municipal de Torre de Moncorvo, sendo que os protagonistas das duas fotografias vencedoras assumiram as interpretações de rei e rainha da Feira Medieval, no 12 de abril de 2024, dia em que as escolas participaram ativamente na feira. Está aí uma forma inteligente de dar a conhecer quase profundamente a história da região e, inevitavelmente, parte da História de Portugal. Aos meus leitores que um dia decidirem visitar Portugal em abril, sugiro que assistam e participem nesta “Feira Medieval de Torre de Moncorvo”, onde, em paralelo, são sempre servidas as comidas mais saborosas da região. É a província de Trás-os-Montes em evidência, porque Portugal é muito mais do que Lisboa e Porto. Clique nos links a seguir para assistir a dois pequenos resumos deste evento -  https://fb.watch/rwUKPcKBvP/ / https://www.facebook.com/municipiotorredemoncorvo/videos/237307009428771

O autor é jornalista profissional/correspondente para a Europa pela GNS Press Association / EUCJ - European Chamber of Journalists/European News Agency) - MTB 66181/SP.

Esta coluna é uma peça de opinião e não necessariamente reflete a opinião do São Carlos Agora sobre o assunto.

Leia Também

Últimas Notícias