Menu
segunda, 19 de abril de 2021
Colunistas

QUALIDADE DE VIDA: Artrose não tem cura, mas há tratamentos específicos

08 Nov 2017 - 03h08Por (*) Paulo Rogério Gianlorenço
Foto: Divulgação - Foto: Divulgação -

A Artrose (grego artros = articulação, e do latim ose = desgaste) é conhecida também por "osteoartrose" e "osteoartrite", provoca a degeneração e frouxidão das articulações (juntas) do corpo humano, causando, conseqüentemente, inchaço, dor e rigidez nas juntas, bem como a dificuldade para realizar movimentos.

A artrose é uma doença que ataca as articulações promovendo, principalmente o desgaste da cartilagem que recobre as extremidades dos ossos, mas que também danifica outros componentes articulares como os ligamentos, a membrana sinovial e o líquido sinovial, a cartilagem articular tem por função promover o deslizamento, sem atrito, entre duas extremidades ósseas durante o movimento de uma articulação, no corpo humano temos várias articulações, exemplos joelho, tornozelo, coluna, cotovelo e algumas mais que podem ser afetadas pela Artrose, seu comprometimento pode gerar dor, inchaço e limitação funcional, apesar de poder danificar qualquer junta (articulação) do corpo, a artrose afeta mais comumente as articulações das mãos, da coluna, joelhos e quadris. Esta complicação tem início com o aumento do atrito entre os ossos, que evolui para uma destruição total da cartilagem podendo afetar tanto uma só quanto mais de uma articulação.

A artrose piora progressivamente com o tempo, e não existe cura, mas os tratamentos podem retardar a progressão da doença, aliviar a dor e melhorar a função articular proporcionando qualidade de vida a pessoa acometida pelos sintomas.

Sua principal característica é ser degenerativa crônica, a artrose não tem cura, mas há tratamento específico, por meio do uso de medicamentos e fisioterapia. Ela é a doença de causa mais freqüente em relação a dores do sistema musculoesquelético e, também, a que mais causa incapacidade para o trabalho, no Brasil e no mundo.

Segundo dados do Ministério da Saúde, a artrose atinge 15 milhões de pessoas no Brasil. Além disso, a Organização Mundial de Saúde (OMS) afirma que a artrose é a quarta doença que mais reduz a qualidade de vida para cada ano vivido.

A artrose primária ocorre principalmente devido ao uso excessivo de uma articulação, mas também pelo envelhecimento natural do indivíduo, o uso repetitivo das articulações ao longo dos anos causa danos à cartilagem, que levam a dor nas articulações e inchaço. Com o passar dos anos, o fluído que existe entre as articulações (líquido sinovial) se degenera, bem como a cartilagem que recobre esse líquido, chamada de membrana sinovial, e o uso repetitivo das articulações ao longo dos anos causa danos à cartilagem, que leva a dor nas articulações e inchaço. Em casos avançados, há uma perda total da cartilagem que envolve as extremidades ósseas nas articulações isso provoca o atrito direto entre os ossos, causando dor e limitação da mobilidade articular.

Danos à cartilagem também pode estimular calcificações em alguns pontos em torno das articulações, formando os Osteófitos, que são também chamados de bicos de papagaio quando acometem a coluna. A artrose primária freqüentemente pode ser encontrada em vários membros da mesma família, o que sugere que ela possa ter características hereditárias.

Já a artrose secundária é uma conseqüência de doenças ou condições que a pessoa tenha. Problemas que podem levar a artrose secundária incluem obesidade, trauma repetido ou cirurgia das estruturas articulares, articulações anormais no nascimento (anomalias congênitas), gotaartrite reumatóidediabetes e outros distúrbios hormonais.

Contudo, a Artrose apresenta várias causas:

Desgaste natural das articulações, devido envelhecimento natural do corpo humano, geralmente após os 50 anos de idade.

Trabalhos que sobrecarregam algumas articulações, como nas profissões de trabalhos domésticos, cabeleireiros, etc.

Esportes que sobrecarregam repetitivamente certas articulações ou que exijam constantes movimentos de torção como: futebol, beisebol, futebol americano, etc.

Fraqueza na parte superior das pernas.

Atividades nas quais é necessário agachar ou ajoelhar repetitivamente ao levantar objetos pesados.

Excesso de peso, o qual provoca um maior desgaste especialmente nas articulações das pernas ou da coluna.

Traumatismos: fraturas, torções ou pancadas que afetem a articulação.

Histórico familiar: por mais que esta doença tenha certa origem genética, não se pode esquecer também que este problema pode ser comum em todas as idades.

Entre os principais sintomas estão:

Dor na articulação afetada.

Dificuldade para realizar movimentos que precisem da articulação afetada.

Inchaço e rigidez na articulação afetada.

Conforme os sintomas progridem, pode ocorrer o surgimento de deformações na região das articulações afetadas.

O paciente com suspeita de Artrose deverá procurar por um Ortopedista ou Reumatologista, estes especialistas poderão fazer o diagnóstico por meio de Análise e observação de sintomas de dor, inchaço, rigidez e dificuldade em movimentar a articulação.

Exame de raio-X.

Ressonância magnética: para confirmar o diagnóstico.

Exames de sangue, eles podem ajudar a excluir outras causas de dor nas articulações, como a artrite reumatóide.

Análise do líquido articular, é usada uma agulha para extrair o líquido para fora da articulação afetada. O fluído então é examinado e pode determinar se há inflamação e se a dor é causada por gota ou uma infecção.

A artrose não tem cura, apenas tratamento, o qual pode ser:

Acompanhamento de nutricionista

Quando a artrose relaciona-se com o excesso de peso, esses pacientes devem ter acompanhamento para uma dieta para perda de peso.

Medicamentoso

Remédios antiinflamatórios e analgésicos, os quais reduzem a dor e inflamação das articulações. O médico poderá indicar para aliviar a dor e o inchaço.

Fisioterapia

A fisioterapia e os exercícios devem ser realizados diariamente, pois serão responsáveis pelo fortalecimento das articulações e colaborarem para um melhor movimento delas, em algumas sessões há o uso de aparelhos eletroestimuladores e de ultrassom, pois eles ajudam a estimular a articulação, diminuindo a inflamação e, conseqüentemente, facilitando a cicatrização e controlando a dor, a hidroterapia é muito indicada por diminuir o impacto nas articulações.

Pacientes com má postura devem ter uma reeducação postural global, a qual auxiliará na diminuição das compensações e dores geradas pela má postura.

Em geral, todos esses tratamentos citados são suficientes para controlar a artrose. Contudo, nos casos mais graves o médico pode optar pela colocação de uma prótese articular no paciente. Pois já são casos em que não existem melhoras e a dor tende a permanecer.

(*) O autor é graduado em Fisioterapia pela Universidade Paulista - Crefito-3/243875-f Especialista em Fisioterapia Geriátrica pela Universidade de São Carlos e Ortopedia. Dúvidas e Sugestões: paulinhok10@hotmail.com. Facebook: Paulinho Rogério Gianlorenço.

comments powered by Disqus

Leia Também

Últimas Notícias