Menu
terça, 18 de dezembro de 2018
Polícia

Homicídio contra travesti e esclarecido pelo 1º DP

15 Set 2007 - 13h14Por Redação São Carlos Agora
Policiais do 1º Distrito Policial da Vila Nery chefiados pelo delegado Adriano Calssen Alexandrino conseguiram esclarecer na última terça-feira (11) o assassinato de Moacir Inocêncio de Farias ocorrido em abril do ano passado na Vila Jacobucci. Na época a vítima tinha 31 anos e foi encontrado desfalecido com várias fraturas no crânio. Ele chegou a ser socorrido até a Santa Casa, mas não resistiu aos ferimentos e morreu horas após. A demora na identificação do assassino e conclusão do inquérito ocorreu por que o acusado estava internado até o início deste mês na Fundação Casa (antiga Febem) de Taquaritinga. Na terça-feira o suspeito foi detido em sua residência e confessou a autoria do crime. A.C.A.S. de 18 anos declarou que matou Farias que era travesti por causa de quatro pedras de crack.Este rapaz que completou 18 anos em março deste ano foi preso na última terça em sua residência na rua El Salvador, bairro Nova Estância. Na delegacia, declarou que dias antes do crime havia escondido quatro pedras de crack avaliadas em R$ 20,00 debaixo de uma pedra em uma rua da Vila Jacobucci perto da casa da avó. Ele deixou o local e após caminhar100 metrosviu Farias furtando as drogas.A.C.A.S., foi cobrá-lo em frente de um bar no mesmo bairro e começou a agredi-lo com socos e pontapés, mesmo assim a vítima não pagou o que devia.Em 16 de abril do ano passado, dia do crime, ele retornava de uma festa em uma boate na região do Tangará quando encontrou Farias na rua Júlio Prestes de Albuquerque próximo a rodovia Washington Luís. O acusado alegou que estava sozinho e embriagado e resolveu cobrar novamente a dívida. Ele chegou dando socos a princípio, depois começou a chutar e pisar na cabeça da vítima até perceber que o mesmo começou a sangrar pela boca e rosto. A.C.A.S., foi embora e no outro dia ficou sabendo que o travesti havia morrido por causa das agressões. Depois deste crime o acusado chegou a ser preso pela Polícia pelo seu envolvimento com o tráfico de drogas e ficou na Fundação Casa de Taquaritinga até o início deste mês.Os investigadores do 1º Distrito Policial conseguiram chegar até ao acusado após receber informações de que o autor do homicídio seria sobrinho de um outro travesti. Há cerca de um mês os policiais identificaram A.C.A.S., mas resolveram aguardar sua saída da Fundação Casa para interrogá-lo.Como na época do fato, A.C.A.S., era menor de idade ele deverá ser sindicado pelo crime de homicídio, por ter menos de 21 anos, se condenado ele pode iniciar o cumprimento da pena em uma unidade de internação para adolescente infrator.
comments powered by Disqus

Leia Também

Últimas Notícias