quinta, 11 de agosto de 2022
Problema considerado comum

Dor lombar pode interferir nas atividades diárias de mães de bebês e gestantes

Estudo da UFSCar busca voluntárias para elaborar material de intervenção

21 Dez 2021 - 10h26Por Redação
Dor lombar pode interferir nas atividades diárias de mães de bebês e gestantes -

Uma pesquisa de doutorado desenvolvida no Programa de Pós-Graduação em Terapia Ocupacional (PPGTO) da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) está recrutando voluntárias para verificar quais atividades as mães relacionam ao papel materno e quais dessas tarefas sofrem interferência da dor lombar. O problema é comum entre gestantes e mães de bebês e pode ter impactos na rotina delas. O estudo "Participação ocupacional de mães com dor lombar nos cuidados com o bebê" é realizado pela doutoranda Luciana Buin, com orientação de Regina Vitale Torkomian Joaquim, docente do Departamento de Terapia Ocupacional (DTO) da UFSCar. De acordo com a pesquisadora, a literatura da área aponta que a dor lombar atinge 50% das gestantes, em especial no terceiro trimestre de gestação, podendo perdurar até o período de puerpério em 75% dos casos. "Entre os fatores de risco, encontramos a idade materna - mulheres mais jovens têm maior risco -, trabalho de parto mais intenso, número de gestações anteriores, dor lombar anterior e dor lombar e pélvica durante a gestação anterior", elenca Buin. A coluna lombar é a região inferior da coluna vertebral, próxima à bacia, e a dor nesse local pode resultar em problemas de movimento e, consequentemente, na execução de atividades. "O medo de sentir dor ou a própria dor pode levar a pessoa a evitar alguns movimentos e/ou causar dificuldade de realizá-los, impactando no desempenho de tarefas diárias", complementa a doutoranda da UFSCar.  Buin explica que há diversas intervenções e abordagens que podem ser utilizadas para o manejo da dor e melhora da função lombar e que, a partir dos dados coletados nessa etapa da pesquisa, a expectativa é elaborar um vídeo com orientações em uma fase posterior do estudo. "Gostaríamos de ouvir as mães sobre suas experiências para podermos construir um material mais direcionado. E selecionamos mães de bebês até seis meses de idade para que as atividades desempenhadas com o bebê sejam mais homogêneas. Conforme a criança cresce, as demandas se modificam", aponta ela. Para desenvolver o estudo, estão sendo convidadas mulheres de qualquer região do País, que tenham dor lombar proveniente da gravidez e cujos bebês tenham até seis meses. As voluntárias devem responder este questionário online (https://bit.ly/3GtNrWk) até o dia 15 de janeiro de 2022.

Leia Também

Últimas Notícias