Menu
domingo, 28 de fevereiro de 2021
Região

Mulher é assassinada ao lado da pista de caminhada do Jardim Botânico, em Araraquara

01 Out 2016 - 08h10Por Claudio Dias/Araraquaraja.com

Uma mulher foi encontrada morta, na tarde desta sexta-feira, praticamente ao lado da pista de caminhada do bosque do Jardim Botânico, em Araraquara. A vítima de 59 anos, cujo nome a família pediu para ser preservado, segundo a Polícia Militar (PM), foi assassinada com requintes de crueldade.

Ela estava amordaçada e com as mãos e pés amarrados com a própria roupa. A informação é que ela saiu para caminhar pela manhã e não voltou mais gerando a desconfiança dos parentes donos de um empresa na cidade. Ela também tinha um compromisso e não apareceu e seu carro foi encontrado na entrada.

Policiais civis da Delegacia de Investigações Gerais (DIG) detiveram, por volta das 19 horas desta sexta-feira, em um apartamento no conjunto habitacional do Jardim Dom Pedro, um homem suspeito de ter cometido o crime. 

Com ele, foi apreendido o telefone celular da vítima. Ele foi encontrado dormindo e apresenta uma série de machucados, aparentemente causados pela mulher na tentativa de se defender. Por enquanto, o suspeito nega o crime. O rapaz tem passagem criminal por furto e tem histórico de uso de drogas.

Conhecido entre os vizinhos por apresentar uma série de problemas psiquiátricos, Edmilson Rocha de Matos, de 38 anos, já havia sido preso pela polícia no mesmo dia por furtar uma bicicleta, mas acabou solto na delegacia. Ele estava internado, mas fugiu no final de semana. Desde então, pode ter cometido mais crimes pela cidade.

Ele pegou uma 'bike' dentro de uma casa na Vila Harmonia. Foi encaminhado até o plantão, mas foi solto por não estar em situação de flagrante e já tinha histórico criminal, foi detido anteriormente por desacato e tráfico de drogas, era usuário de drogas e já respondeu processo por um outro assassinato.

Uma denúncia indicou que ele estava nos arredores do Bosque do Botânico. Policiais civis da Delegacia de Investigações Gerais (DIG) e Investigações Sobre Entorpecentes (Dise), 1º e 3º Distritos Policiais e Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) com apoio da Polícia Militar o encontraram dormindo em um apartamento no conjunto habitacional do Jardim Dom Pedro, mais conhecido como Pedregal.

Com ele, foi apreendido o telefone celular da vítima. Desde então, ele nega o crime cometido a poucos metros da pista de caminhada usada por dezenas de pessoas todos os dias. O delegado Gustavo Maio, que responde interinamente pela DIG, o prendeu em flagrante com base nos indícios. "Ele diz ter encontrado o telefone, mas as falas são confusas. Vivia em um lugar fora do comum, pois criava galinhas no apartamento"

Foi colhido material para verificar a série de machucados, aparentemente causados pela mulher na tentativa de se defender. Peritos do Instituto de Criminalística também foram até o apartamento e na delegacia para fazer a análise do material apreendido. Em uma bermuda existem vestígios de sangue humano. Duas facas passarão por análise mais detalhada para verificar a presença de algo suspeito.

O delegado diz que o acusado tem problemas sérios psiquiátricos. Estava internado até o último final de semana na Casa Caibar Schutel, em Araraquara, mas fugiu. Nesta semana, outros dois casos podem terminar com a participação dele: um roubo e uma tentativa de estupro. A DDM vai apurar. O acusado perdeu o controle da vida há pouco mais de dez anos. Antes, era protético, casado e com três filhos. Hoje, eles são adolescentes.

O acusado está preso em flagrante por homicídio e roubo. Para o delegado, o caso não foi latrocínio, pois provavelmente ele pegou o telefone depois do assassinato. Ele ficará na cadeia de São Carlos neste final de semana e deve ser transferido para a Penitenciária de Araraquara na segunda-feira.

 

 

comments powered by Disqus

Leia Também

Últimas Notícias