quarta, 10 de agosto de 2022
Prevenção

Guarda Municipal de Ibaté visita escolas municipais e fala sobre proibição do uso de cerol

A ação faz parte da campanha “Cerol Mata”, que é realizada todos os anos e tem como objetivo orientar a população

05 Jul 2022 - 07h49Por Redação
Guarda Municipal de Ibaté visita escolas municipais e fala sobre proibição do uso de cerol - Crédito: Divulgação Crédito: Divulgação

Em parceria com a Secretaria Municipal de Educação e Cultura, a Guarda Civil Municipal de Ibaté visitou as sete escolas municipais de ensino fundamental [EM Professora Alice Rossito Cervoni; EM Brasilina Teixeira Ianoni; EM Julio Benedito Mendes; EM Antonio Deval; EM Professora Vera Helena Trinta Pulcinelli; EM Professora Neusa Milori Freddi; e EM Professora Maria Luiza Batistela Danieli], nesta segunda-feira, 4 de julho, para conversar e conscientizar os alunos sobre os riscos do uso de linhas cortantes para empinar papagaios, durante as férias.

O comandante da GCM, Vitor Reis, ressalta que a corporação levou diversas latas envolvidas com linha chilena e linhas com cerol, que já estão sendo apreendidas, para fazer demonstrações sobre o poder de corte deste material, que foram demonstrados com o uso de legumes e frutas, cortados como se os fios fossem uma faca, diante dos estudantes. “Os alunos puderam ver como o uso desse tipo de material pode causar acidentes graves e até mortes no trânsito, além de prejudicar até quem o utiliza”, afirmou.

A ação faz parte da campanha “Cerol Mata”, que é realizada todos os anos e tem como objetivo orientar a população sobre a proibição e o risco de usar o material cortante em linhas de pipa. Além de mostrar os riscos para as crianças da rede municipal de Ensino, os agentes da Guarda Municipal destacaram que o uso de linhas cortantes é crime. “Quem for flagrado usando ou vendendo pode ser multado”, destacou Vitor Reis.

Para ajudar na fiscalização, em 2005, foi sancionada pelo atual prefeito de Ibaté, José Luiz Parella, a Lei Municipal n° 2172/05, que proíbe o comércio, a fabricação e o uso de cerol, resultando em multa para quem for pego com o material cortante. As multas variam de R$ 191,82 para quem for flagrado soltando pipa com o cortante e R$ 639,40 para quem for flagrado vendendo esse tipo de material, podendo ser ainda punido criminalmente, nos casos em que o cerol ou a linha chilena causar vítimas de ferimentos ou de morte.

Quem for flagrado usando linhas cortantes e não entregar espontaneamente o material, ao ser abordado por um guarda municipal, está sujeito a ser imediatamente encaminhado a uma unidade policial.

Alexandre Gaspar, secretário municipal de Educação e Cultura, comentou sobre a campanha. “O papel da Guarda Civil Municipal é ser uma guarda amiga, e assim, fazer com que os menores sejam agentes multiplicadores de boas ações. As linhas cortantes colocam em risco a saúde de motociclistas, ciclistas e pedestres”, comentou Gaspar. “Agradeço ao Comandante Vitor Reis e sua equipe, que orientaram nossos alunos sobre o uso do cerol, afinal, o ambiente escolar é o local onde passamos boa parte da vida, e essas ações tem o intuito de salvar vidas. Além disso, os alunos ao chegarem em suas casas realizam um importante papel, que é de multiplicar as informações que aprenderam na escola”, concluiu.

Leia Também

Últimas Notícias