Menu
quarta, 23 de setembro de 2020
Região

Briga de casal motiva incêndio em casa no Jardim São Rafael em Araraquara

30 Set 2014 - 08h05
Elizete Cavalcanti, empregada doméstica, morava na casa que, segundo suspeita, foi incendiada pelo marido no Jardim São Rafael (Deivide Leme/Tribuna Impressa) - Elizete Cavalcanti, empregada doméstica, morava na casa que, segundo suspeita, foi incendiada pelo marido no Jardim São Rafael (Deivide Leme/Tribuna Impressa) -

“Eu espero que alguém o encontre. Quem vai pagar isso tudo? Eu não tenho onde morar”, diz, aos prantos, a empregada doméstica Elizete Cavalcanti, 42 anos e mãe de três filhos, que teve sua casa incendiada na tarde de ontem.

O Corpo de Bombeiros foi acionado para um incêndio em residência, no Jardim São Rafael. O boato de que um homem que morava com sua esposa na casa havia colocado fogo na residência chegou aos ouvidos dos bombeiros. Segundo moradores do local, eles brigaram há alguns dias e a mulher saiu de casa por medo. “Eles sempre estavam discutindo e ele a ameaçava”, conta um morador, que não quis se identificar.

De acordo com os Bombeiros que atenderam a ocorrência, as chamas fizeram estrago e queimaram todos os móveis da casa, exceto uma máquina de lavar roupas, que estava do lado de fora.

A casa deverá ser interditada e um engenheiro da Defesa Civil terá que analisar toda a infraestrutura, pois o fogo abalou o alicerce e ela pode desabar a qualquer momento.

Tristeza

Até aquele momento, Elizete não sabia do ocorrido, já que não estava em casa havia 15 dias. A doméstica chegou na sua residência, quase uma hora depois do incêndio e, ao encontrar sua casa toda destruída, ficou sem saber o que fazer. “Ainda estou tentando entender o que aconteceu”, disse.

Em entrevista à Tribuna Impressa, a doméstica contou que o marido a ameaçava constantemente. “Ele sempre ameaçava queBombeiros retiraram todos os móveis de dentro da casa, que ficaram completamente destruídos (Deivide Leme/Tribuna Impressa) ia colocar fogo na casa, mas eu nunca pensei que seria capaz disso. Agora não sei o que vou fazer.”

De acordo com Elizete, ela tinha uma medida protetiva contra o marido, por causa das constantes ameaças. “Ele me pedia para voltar para casa. Eu dizia que não ia voltar, por que ele ia me matar. Eu tinha medo, já que ele dizia que ia incendiar nossa casa. Graças a Deus que não tinha ninguém.”

Sem casa, a doméstica vai ficar na sua irmã até saber o que fazer com a sua residência. “Eu já estava lá com ela. Eu vou ficar sem casa”, disse, chorando.

A Polícia Militar foi ao local, elaborou um boletim de ocorrência, e agora a Polícia Civil vai investigar o caso.

Fogo simultâneo

Quase que simultaneamente ao incêndio da residência no Jardim São Rafael, um carro, que estava estacionado em um estabelecimento comercial na avenida Bento de Abreu, pegou fogo na bateria. O dono do automóvel, o empresário Glen Aun, diz ter ligado o carro e este explodiu. “Tentei ligar o carro e não ligou.

Tinha acabado de sair do posto e o carro não ligava. Liguei e explodiu”, informou. Ninguém ficou ferido. 

comments powered by Disqus

Leia Também

Últimas Notícias