Menu
segunda, 19 de abril de 2021
Política

GM usa tribuna livre para esclarecer polêmica com Guerreiro na UPA

10 Abr 2019 - 08h42Por Redação
GM usa tribuna livre para esclarecer polêmica com Guerreiro na UPA - Crédito: Divulgação Crédito: Divulgação
A Guarda Municipal de São Carlos usou a tribuna livre da Câmara na tarde desta terça-feira (9) para esclarecer e se manifestar contra conduta do vereador Leandro Guerreiro (PSB) na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da Vila Prado. O episódio aconteceu no dia 1º de abril e causou rebuliço nos corredores da UPA.
 
Guerreiro fez uma transmissão ao vivo no Facebook afirmando que a GM tinha maltratado cidadãos. O vereador disse que idosos e mulheres foram empurrados para fora da unidade de saúde porque reclamavam do atendimento e pessoas foram obrigadas a apagar gravações em seus aparelhos de celular. 
 
Para a GM o discurso do vereador e os vídeos viralizados nas redes sociais denegriram a imagem dos integrantes da GM. 
 
A Associação da Guarda Municipal apresentou na sessão desta terça-feira uma versão diferente. 
 
A guarda municipal Joana D’arc Goulart explicou na data um paciente com surto psicótico, após ser devidamente medicado, evadiu-se da UPA enquanto aguardava vaga para internação.  Seus pais acionaram a PM na tentativa de trazê-lo de volta, porém a PM não poderia fazer devido à falta de documentação que justificasse tal procedimento. Então no retorno a UPA, a mãe, já muito nervosa, caiu no chão e gritava devido ao descontrole emocional. Enquanto a equipe de enfermagem auxiliava na tentativa de acalmá-la, os guardas orientavam o pai.
GM Joana D’arc Goulart
Joana disse que de repente uma senhora e um rapaz adentram na UPA e começaram a filmar com o celular. Eles foram orientados pelos GMS que não deveriam filmar a cena por se tratar de um sofrimento de uma mãe. De acordo com a GM, eles foram instruídos que se retirassem do local. Na ocasião o filho foi resgatado por outros GMs e conduzido ao médico.
 
Segundo Joana, a partir deste momento teve grito do vereador com palavras ofensivas, provocações e ameaças aos GMs.
 
“Os guardas não conseguiram dialogar com e vereador e o clima ficou tenso” disse.
 
Após a chegada do Coronel Samir e do Comandante da Guarda Municipal, Michel Yabuki, a ordem foi restabelecida
 
O guarda Municipal Paulo Thiago Anselmo de  Oliveira salientou que a corporação ficou ofendida
 
“Todas as ações da GM são pautas pela legalidade. Nós lamentamos o episódio e os impropérios ditos pelo vereador que não procurou os meios éticos e  legais para esclarecimento do ocorrido. Toda uma corporação se sentiu ofendida”, disse Paulo.
 
A GM pediu para o presidente do Legislativo Lucão Fernandes (MDB) tomar providência a respeito da conduta do vereador.
comments powered by Disqus

Leia Também

Últimas Notícias