Menu
domingo, 17 de novembro de 2019
Na Imobiliária Cardinali

Coronel Telhada vem a São Carlos e ouve reivindicações

27 Set 2019 - 16h28Por Marcos Escrivani
Telhada, Airton Garcia e o empresário Italinho Cardinalli - Crédito: Marcos EscrivaniTelhada, Airton Garcia e o empresário Italinho Cardinalli - Crédito: Marcos Escrivani

A convite do diretor da Imobiliária Cardinali, Ítalo Cardinali Filho, o deputado estadual pelo PP, Paulo Adriano Lopes Lucinda Telhada, conhecido como Coronel Telhada, esteve em São Carlos na tarde desta sexta-feira, 27, quando reuniu-se com o prefeito municipal Airton Garcia (PSB) e autoridades políticas da cidade e região.

Na oportunidade, Telhada ouviu diversas reivindicações e mostrou-se disposto a ajudar para que as demandas sejam atendidas.

Durante a visita, concedeu uma entrevista coletiva à imprensa, onde abordou alguns temas que tem sido polêmicos e atinge a sociedade brasileira.

DEMANDAS

O primeiro assunto abordado pelo parlamentar foi quanto ao atendimento de demandas para que verbas sejam destinadas para atender a população são-carlense.

“Agradeço primeiramente o convite para estar em São Carlos e estou aqui para ouvir as necessidades e ser útil. Poder ajudar na medida do possível. Estarei sempre à disposição e vamos cobrar os governos para que os pedidos sejam atendidos. Este primeiro contato é importante”, emendou.

ESCOLA CÍVICO-MILITAR

Telhada que afirmou estar envolvido com o militarismo desde os 17 anos, afirmou que instituições de ensino com esta filosofia de ensino é a melhor coisa que pode ter para a sociedade. “Sou favorável a implantação”, resumiu.

O parlamentar afirmou que uma escola cívico-militar proporciona disciplina, hierarquia e um bom ensino. “Considero isso importante para o futuro da juventude. Acredito que quem não quer disciplina, hierarquia e ordem, não quer uma sociedade estável”, ponderou.

CASO ÁGATHA

A morte de Ágatha Felix, 8 anos, ocorrida no dia 20, sexta-feira, quando estava dentro de uma kombi com a mãe, quando foi baleada nas costas no Complexo do Alemão/RJ e cujos disparos são atribuídos a policiais militares foi alvo de ponderação de Telhada. 

Deputado foi um dos mais votados na última eleição

“Na Alesp criei um seriado e dei o nome Bala Perdida – a culpa é da PM. Coloco vídeos diários onde mostra criminosos e vagabundos atirando a esmo. Em um tiroteio, o policial militar é treinado para atirar e se um dia uma pessoa for ferida por uma bala da PM é uma fatalidade. Ninguém quer isso. Uma deputada disse em uma oportunidade na assembleia que cinco crianças morreram em tiroteios por bala perdida. Realmente isso é uma fatalidade. Mas essa parlamentar esqueceu de dizer que aproximadamente 50 policiais militares foram mortos no Rio de Janeiro. Fora trabalhadores e pais de família. Portanto vejo que é uma forma hipócrita e perigosa de se ver esta realidade, pois estamos valorizando o crime. Quando diz que a PM não sabe trabalhar, engrandece a criminalidade. Mas temos que fazer justamente o contrário. Temos que exigir uma PM forte. O caso Ágatha é uma fatalidade. Ninguém quer ver jamais um inocente ferido. Ainda mais sendo uma criança. Mas isso não deve ser explorado. Ninguém fala que a criminalidade no Rio de Janeiro diminuiu. Como a população se sente. O cidadão de bem e ordeiro quer o bandido na cadeia”, garantiu.

REESTRUTURAÇÃO

Outro ponto abordado pelo parlamentar pepessista é com relação a reestruturação das polícias militar e civil. Ele acredita no empenho do atual governador (João Doria – PSDB).

“O Doria tem dado apoio total a segurança. Acenou com reajuste salarial aos policiais, além de investimento em viaturas e equipamentos. O ex-governador Geraldo Alckmin promoveu um afastamento com a polícia e até do funcionamento público. Mas sinto uma pré-disposição do atual governo em trabalhar forte não somente na segurança, mas na saúde e educação. As perspectivas são muito boas”, finalizou.

comments powered by Disqus

Leia Também

Últimas Notícias