Menu
quarta, 26 de fevereiro de 2020
“Servidores públicos não são parasitas"

Azuaite repudia ofensa do ministro Paulo Guedes aos funcionários públicos

13 Fev 2020 - 16h14Por Redação
Azuaite fala na sessão da Câmara: “Quem tem de ser tratado de forma depreciativa é o ministro” - Crédito: DivulgaçãoAzuaite fala na sessão da Câmara: “Quem tem de ser tratado de forma depreciativa é o ministro” - Crédito: Divulgação

O vereador Azuaite Martins de França (Cidadania), em pronunciamento na tribuna da Câmara na sessão plenária da última terça-feira (11), expressou a posição de seu partido em repúdio à referência negativa feita pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, que no último dia 7, em palestra no Rio de Janeiro, chamou os funcionários públicos de parasitas.

“Servidores públicos não são parasitas, são trabalhadores, na sua grande maioria entram pela porta da frente, pela porta do concurso público de provas e títulos, mas existem aqueles que entram por indicação política e o ministro Paulo Guedes entrou por essa porta; quem tem de ser tratado de forma depreciativa é ele e não o conjunto dos servidores públicos”, declarou Azuaite.

Na avaliação do vereador, o ministro da Economia “tem tendências antidemocráticas e totalitárias porque quem propõe PECs (propostas de emendas constitucionais) para buscar a diminuição até a eliminação dos recursos para o funcionamento do Legislativo e do Judiciário é alguém que quer o Executivo uno e único, e o nome disso é totalitarismo”.

O parlamentar ponderou que talvez o ministro estivesse fazendo uma autocrítica quando fez a declaração: “Ele certamente estava olhando para o espelho, estava enxergando um servidor público, olhou para a cara dele e disse: esse é um parasita, não percebeu que estava vendo a si mesmo”.

A declaração do ministro teve intensa repercussão no país e mereceu a repulsa de diversos segmentos. Em Brasília, foi alvo de pronunciamentos de deputados da oposição e da base governista também na terça-feira, 11.

comments powered by Disqus

Leia Também

Últimas Notícias