Menu
sexta, 26 de fevereiro de 2021
Polícia

Polícia investiga furto contra ateliê que preparava fantasias para o carnaval de 2017

20 Mai 2016 - 19h44Por Pedro Maciel

A Polícia Civil continua investigando um estranho ataque contra o ateliê de um comerciante e carnavalesco são-carlense de 34 anos, que já preparava fantasias de luxo encomendadas por tradicionais escolas de sambas do Rio de Janeiro e São Paulo para o carnaval 2017. O carnavalesco que corre contra o tempo diz que o crime deixou um grande prejuízo a seu estabelecimento e ele não consegue ainda calcular o valor do material levado por marginais que agiram durante a madrugada da última segunda-feira  (16) e segundo ele, sabiam o que queriam e agiram com muita cautela e com muito tempo.

FANTASIAS LUXUOSAS 

O misterioso crime vem sendo analisado e investigado pela equipe do delegado Aldo Donisete Del Santo, do 3º Distrito Policial, que vem tentando descobrir que tipo de veículo foi usado para levar o material do ateliê e quantas pessoas teriam participado da ação e ainda se o crime teria ou não sido encomendado. O carnavalesco que concordou em falar com a reportagem sem ser identificado diz que o material levado só tem uma finalidade: montar fantasias luxuosas para o carnaval e para concurso de fantasias. Segundo ele o material já tratado tem um alto custo e somente empresários especializados no ramo comercializam estes materiais para empresas e pessoas que vivem do carnaval e desfiles de fantasias em todo país como o são-carlense que anualmente disputa concursos de fantasias e produz fantasias luxuosas que são destaques em carros alegóricos na Marques de Sapucaí (sambódromo do Rio de Janeiro) e no sambódromo da capital paulista.

CRIME

O crime foi descoberto somente na manhã da última segunda-feira (16), por volta das 8 horas, quando o comerciante e carnavalesco chegou com uma de suas funcionárias para o trabalho em seu salão que tem aos fundos seu ateliê, localizado na rua Capitão Alberto Mendes Junior, na vila Costa do Sol, região norte de São Carlos e logo na entrada percebeu que o luminoso com a logo marca de seu salão teria sido subtraído.

ARROMBAMENTO

Ao adentrar o prédio o carnavalesco constatou que marginais teriam arrombado uma janela de acesso à cozinha e as portas dos fundos de seu ateliê e atacaram somente o depósito do ateliê onde estavam armazenadas diversos materiais que seriam utilizados em fantasias de destaques já encomendadas por escolas de samba de São Paulo e Rio de Janeiro.

CARNAVAL DO RIO DE JANEIRO E SÃO PAULO

Ainda segundo a vítima, para levar o material além de cuidados especiais os marginais certamente utilizaram um caminhão para transportar enormes sacos pretos com: aproximadamente 700 penas tratadas de Faisão na cor marrom, 2 mil penas de faisão albino, 4 mil penas de pavão já desidratadas (preparadas), 3 mil penas de pavão na cor laranja, 3 mil penas de pavão na cor Pink, 3 mil penas de avestruz na cor Pink, 2 mil penas avestruz brancas e 5 mil penas azuis de avestruz na cor azul, material que seria utilizado para confecção de fantasias de luxo utilizadas por inúmeros destaques e atrizes que devem desfilar nos carnavais de São Paulo e Rio de Janeiro. O carnavalesco, que também participa de desfiles de fantasias de luxo nos grande centros brasileiros, também diz que as pessoas que atacaram seu ateliê tiveram toda cautela para transportar o material que são penas de porte médio e grande e portanto não teriam sido transportadas em veículo de médio porte e sim em caminhão e que o ataque contra seu ateliê teria sido encomendado. Sobre o prejuízo financeiro, ele diz que ainda está calculando e que o valor é muito alto.

O crime de furto qualificado, segue sendo investigado pelo 3º Distrito Policial e inúmeras pessoas do meio carnavalesco ficaram sensibilizadas com o ataque ao ateliê do são-carlense que espera que a polícia chegue rapidamente nos autores do crime. 

 

comments powered by Disqus

Leia Também

Últimas Notícias