Menu
domingo, 07 de março de 2021
Polícia

Polícia instaura inquérito para apurar divulgação de fotos e vídeos íntimos

09 Mar 2016 - 16h59
Delegada Denise, responsável por investigar o caso. - Delegada Denise, responsável por investigar o caso. -

Na tarde desta quarta-feira (9) a delegada Denise Gobbi Szakal da Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) de São Carlos instaurou um inquérito policial sobre averiguação de estupro e difamação. A vítima é uma garota que acompanhado do pai e de um advogado esteve na delegacia para acusar um homem, que já foi candidato a vereador em eleições passadas, já identificado pela Polícia Civil de filmar e tirar fotos comprometedoras e divulgar sem sua autorização pelo Whatsapp e Facebook.

A garota que foi ouvida por várias horas pela manhã desta quarta-feira relata que a imagem dela e de outra garota estão sendo divulgadas em várias redes sociais e isto já vem trazendo sérios problemas não só para ela como para a família. Ouvida pela reportagem a delegada Denise Gobbi Szakal informou que apenas uma das garotas esteve na DDM relatando todo caso em Registro Digital de Ocorrência (RDO). A delegada também informou que espera em 30 dias terminar parte das investigações e o responsável pela divulgação das imagens deve ser intimado ainda nesta semana para falar sobre o fato.

Redes sociais

A garota e a amiga estariam em um local público, mas, fechado e teriam sido abordadas pelo homem que uma delas acusa de ser o autor dos crimes de levá-las para uma casa, onde mantiveram relações sexuais e ato libidinosos e teria filmado o relacionamento e posteriormente esteve divulgando em redes sociais (Whatsapp e Facebook), cujas imagens estariam sendo repassadas e tal fato já estaria causando grande comentário a respeito da reputação da garota e de seus familiares. 

A jovem que já é maior de idade fez questão de informar a autoridade policial que deseja representar criminalmente contra o rapaz que gravou e tirou fotos do encontro e divulgou em redes sociais. A garota disse que se sentiu humilhada e ofendida e diz que não imaginava que o rapaz iria ter tal atitude. Ela ainda disse ainda que quando o fato ocorreu o rapaz teria insistido para que ela bebesse e teria ficado alcoolizada como as demais pessoas e quando percebeu que o autor estaria gravando teria solicitado que o ele apagasse todas as suas imagens do celular e ele teria dito que não havia filmado nada e posteriormente recebeu vídeos e fotos pelo Whatsapp e Facebook.

Vídeos e fotos

O caso segue sob investigações e a delegada Denise Gobbi Szakal disse que já está no inquérito policial cerca de 30 imagens com fotos e vídeos que comprovam o crime. A delegada fez questão de frisar que se ficar provado que a garota foi induzida a beber e posteriormente ocorreram os fatos gravados e divulgados em redes sociais, estará qualificado o crime de estupro, além de difamação na esfera cível.

Ouça a entrevista com a delegada Denise Gobbi Szakal

comments powered by Disqus

Leia Também

Últimas Notícias