Menu
domingo, 23 de fevereiro de 2020
"Provas contuntendes'

Indícios desmontam álibi e delegado diz que empresário está envolvido na morte de Chiquinho Campaner

07 Jan 2020 - 10h12Por Marcos Escrivani
Delegado Geraldo Souza Filho - Crédito: Maycon MaximinoDelegado Geraldo Souza Filho - Crédito: Maycon Maximino

O delegado Geraldo Souza Filho reuniu a imprensa na manhã desta terça-feira (7) para atualizar as informações sobre o assassinato do Prefeito Chiquinho Campaner. O crime ocorreu em uma estrada de Ribeirão Bonito, no dia 26 de dezembro de 2019.

Souza Filho informou que a novidade é o fato de desmontar o álibi do empresário no ramo de transportes, Manoel Bento Santana da Cruz, acusado de arquitetar o crime.

“Ele disse por várias vezes que não estaria envolvido no assassinato. Mas já temos provas que ele estava no veículo (Honda Fit) no momento dos disparos”, disse o delegado, salientando que o vigilante Cícero Alves Peixoto foi contratado para fazer a ‘logística’ do crime, mas não conhecia o prefeito.

Durante a entrevista, o delegado informou ainda que há possibilidade de uma terceira pessoa estar envolvida no assassinato de Campaner. “Estamos investigando. Mas em segredo. No momento certo será revelado”.

QUEM APERTOU O GATILHO?

Souza Filho foi ‘bombardeado’ com indagações de quem teria atirado contra o prefeito de Ribeirão Bonito. Entretanto, ele voltou a frisar que tudo será revelado em “momento oportuno”.

“Nós sabemos quem apertou o gatilho. Mas por hora não iremos revelar. Em depoimento de três horas, Cícero confessou a participação no crime, disse que conheceu o empresário há um ano. Nossa obrigação é checar todas as informações e desmontar a história. Até lá há muito trabalho. Ontem (segunda-feira, 5), estivemos em toda a região e ouvimos várias testemunhas. Estamos montando pedra por pedra e construindo uma história. Os suspeitos estão presos (um em São Carlos e outro em Santa Ernestina, por 30 dias – prisão temporária). Dependendo do que apurarmos podemos solicitar ainda a prisão preventiva”, informou Souza Filho.

ARMA, ACAREAÇÃO, RECONSTITUIÇÂO

O delegado da DIG informou durante a entrevista que a arma utilizada para matar Campaner não foi localizada pela Polícia. Disse ainda que será feita nas próximas semanas a acareação entre os suspeitos e a reconstituição do crime.

“Já está tudo programação. Mas não iremos divulgar no momento a data. Temos que desmontar a história revelada por ambos, buscar a verdade e finalizar as investigações”, comentou.

IRREGULARIDADES NA PREFEITURA

Outro ponto divulgado por Souza Filho é que foram apuradas irregularidades na Prefeitura Municipal quanto a licitações do transporte público, contratos verbais. Contudo, o delegado revelou que sua meta é elucidar o assassinato de Campaner.

“Será realizada uma outra investigação para apurar essas irregularidades. Posso dizer que quando fomos a Prefeitura para buscar provas que motivaram o crime, os envolvidos na situação, chegamos às irregularidades em licitações. Mas não iremos apurar esses delitos. Uma outra investigação paralela será realizada”, resumiu o delegado. “Tudo será checado e apurado”, finalizou.

comments powered by Disqus

Leia Também

Últimas Notícias