Menu
segunda, 16 de setembro de 2019
Polícia

DIG conclui investigação sobre morte de mecânico na Vila Isabel

24 Ago 2019 - 10h19Por redação
DIG conclui investigação sobre morte de mecânico na Vila Isabel - Crédito: São Carlos Agora Crédito: São Carlos Agora
Nesta semana, durante as investigações do homicídio do mecânico de automóveis Reginaldo Celso Marcomini, 50 anos, a Delegacia de Investigações Gerais (DIG), deparou-se com outro crime, a execução do desempregado Márcio Rodrigo dos Santos Xavier, 29 anos, o “Índio”, um dos acusados de matar Reginaldo.
 
"Índio" foi morto na noite da última terça-feira (20), a pauladas e treze facadas, sendo dez delas pelas costas, por dois homens não identificados, durante uma discussão ocorrida próximo a uma empresa localizada na rua José Mancini, no Jardim São Paulo,  região da avenida Getúlio Vargas, na área sul de São Carlos.
 
Já Reginaldo foi assassinado na madrugada de 12 de julho, com pedradas na cabeça e seu corpo foi encontrado com as pernas e mãos amarradas com fitas plásticas, em uma mata além da rua Santa Gertrudes, na Vila Isabel.
 
 
GAROTA DE PROGRAMAS
 
A equipe de investigadores da DIG, sob o comando do delegado Gilberto de Aquino, conseguiu esclarecer toda a trama,
que envolvia drogas e uma garota de programa que frequentava a avenida Getúlio Vargas.
 
De acordo com as investigações, essa garota de programa mantinha um relacionamento amoroso com o "Índio", ou  “Marcinho”, como ela o chamava e na madrugada daquele dia 12 de julho, eles estavam juntos, nas proximidades de uma empresa na Vila Isabel, quando ela viu Reginaldo caminhando em direção a eles e disse a Márcio que na noite anterior aquele homem a teria forçado a fazer sexo, estuprando-a e que não pagou pelo programa. 
 
Diante da acusação, Márcio chamou Reginaldo para conversar, próximo do local, onde ocorreria o crime.
 
 
TRIBUNAL DO CRIME
 
Os investigadores da DIG conseguiram captar imagens da câmera de segurança de uma das empresas da Vila Isabel, que mostram Reginaldo conversando com Márcio, quando chegou outro indivíduo, Bruno Bukwezer. Reginaldo senta-se, enquanto Márcio e Bruno permanecem em pé e continuam conversando de uma maneira que dá a impressão que Reginaldo está sendo inquirido. Depois, chega a garota de programa, que fica por cerca de dois ou três minutos e vai embora.
 
Em seguida, Reginaldo é visto caminhando para o fundo da mata, com os outros dois atrás dele e pouco depois retornam apenas Bruno e Márcio.
 
Quando amanheceu um homem acionou a Polícia Militar com a denúncia que havia encontrado, por volta das 11 horas, Reginaldo Celso Marcomini, 50 anos, com pés e mãos amarrados com fitas plásticas e morto a pedradas, com a cabeça estourada e traumatismo craniano.

Embora nem Márcio e nem Bruno pertençam a uma facção criminosa, a forma como Reginaldo foi executado e as imagens da câmera apontam que ele tenha sido submetido ao chamado “tribunal do júri”, pois os procedimentos teriam sido idênticos.
 
A garota de programa contou a polícia que realmente apontou a vítima como sendo o homem que a estuprou, mas quando foi chamada durante o "julgamento" de Reginaldo, negou o fato, disse que não tinha certeza, e pediu que ele não fizesse nada, mas Márcio prosseguiu com a execução e disse que já estava feito.
 
 
MOTOCICLETA
 
Tanto Reginaldo quanto Márcio e Bruno seriam usuários de crack e na madrugada em que foi assassinado, Reginaldo havia ido ao CDHU, com sua motocicleta, para comprar drogas, mas ele já estava devendo aos traficantes, por isso teve que deixar sua Honda CB 750, verde, no local como garantia enquanto ia buscar o dinheiro para pagar a dívida e foi nesse momento em que encontrou com Márcio que o chamou para conversar.
 
 
PRISÕES TEMPORÁRIAS
 
Após tomar ciência desta investigação o próprio Ministério Público Estadual (MPE) se manifestou e solicitou ao Poder Judiciário os mandados de prisão temporária do desempregado Márcio Rodrigo dos Santos Xavier, 29 anos, o “Índio”, e de Bruno Bukwezer, tendo sido este último preso na semana passada, com temporária decretada por 30 dias.
 
Quando a polícia tentava localizar Márcio, que era morador dos sem-terra, para prendê-lo, ele foi assassinado por
supostos comparsas do narcotráfico da região sul de São Carlos.
 
O delegado Gilberto de Aquino disse que o caso Reginaldo já está praticamente fechado, aguardando apenas alguns detalhes, porém os autores são, com certeza, Márcio e Bruno. Ele disse ainda que não acredita que “Índio” tenha sido morto apenas para vingar a morte do mecânico, pois segundo ele todos seriam usuários de “crack” e o envolvimento com a droga já induz à criminalidade.
 
A motocicleta de Reginaldo foi apreendida na manhã do dia 12 e recolhida ao pátio da Ciretran.
 
As investigações ainda prosseguem na próxima semana, algumas pessoas ainda serão ouvidas e a equipe da DIG tenta identificar agora quem são os envolvidos na execução de "Índio".
comments powered by Disqus

Leia Também

Últimas Notícias