Menu
segunda, 06 de dezembro de 2021
Polícia

Acusado de matar mulher no Jockey Clube alega que agiu por raiva

Moisés foi preso dentro de um hotel, no Centro da cidade.

19 Mai 2021 - 17h10Por Redação São Carlos Agora
Moisés presta depoimento na DIG - Crédito: Maycon MaximinoMoisés presta depoimento na DIG - Crédito: Maycon Maximino

Em uma resposta rápida à sociedade, policiais da Delegacia de Investigações Gerais (DIG) prenderam na tarde desta quarta-feira (19), o acusado pelo assassinato de Ivonilda Silva Santos, de 43 anos. Ela foi morta com oito facadas na noite da última segunda-feira (17), na casa do namorado, na rua Rio Amazonas, no Jockey Clube.

Moisés Jesus dos Santos, foi encontrado escondido dentro de um hotel, na rua General Osório, no Centro de São Carlos. Segundo o delegado Gilberto de Aquino, ele estava pronto para fugir da cidade e a suspeita é que o destino seria o estado da Bahia. Contudo, o acusado alega que pretendia se apresentar nas próximas horas acompanhado de um advogado.

Em depoimento na sede da DIG, Moisés disse que foi motivado por raiva, pois alega que logo após ter terminado o relacionamento com Ivonilda, ela passou a ficar com o primo dele.

Moisés tinha um histórico de ameaças contra a mulher, inclusive chegou a ficar preso com base na Lei Maria da Penha e quando foi solto, mesmo tendo uma medida protetiva contra si, voltou a ameaçá-la, até cometer o feminicídio.

Ao final do depoimento, Moisés foi conduzido até o Centro de Triagem, onde deve cumprir a prisão de temporária de 30 dias. Em seguida, será levado a um presídio da região para cumprir a pena de feminicídio e tentativa de homicídio, já que ao esfaquear a ex-mulher, também tentou atingir o próprio primo.

Permaneceu calado

Por meio de nota, o defensor de Moisés, Dr. Rodney Henrique Bendassolli, esclareceu que as investigações ainda se encontram em fase inicial, motivo pelo qual, perante a autoridade policial, o investigado fez uso de seu direito constitucional de somente se manifestar em juízo, quando então, após apuradas todas as circunstancias do crime, prestará todos os esclarecimentos que forem necessários. 
 
Portanto, oficialmente, não houve confissão, por parte do averiguado, tampouco o reconhecimento, por ele, de que a motivação do crime tenha sido por ciúmes ou que ele não tenha apresentado arrependimento.
 
Ivonilda prestava serviços de segurança na USP e deixou três filhos. foto Arquivo Pessoal

O crime

De acordo com o boletim de ocorrência registrado no Plantão Policial, Ivonilda estava na casa do namorado, quando foi surpreendida pelo ex, que pulou o muro do vizinho e passou a desferir as facadas.

O namorado tentou ajudar a mulher, mas evitou entrar em luta corporal, já que o autor estava armado com a faca. Por isso ele passou a gritar por socorro, pedindo ajuda ao irmão que mora no andar superior do sobrado.

Após o assassino esfaquear a mulher, também tentou atacar o namorado. Em seguida ele fugiu pulando o muro vizinho, mas deixou para trás um celular.

Uma testemunha chegou a ver Moises de Jesus Souza fugindo pelas ruas do bairro, mas não imaginou que ele havia acabado de praticar o crime.

O Samu foi chamado e a Unidade de Suporte Avançado (USA) compareceu no local. O médico Fabrizio Albertini encontrou a mulher já sem vida, com quatro perfurações, sendo três no pescoço e um nas costas, o que indica que ela foi atacada por trás.

 

Comments system Cackle

Leia Também

Últimas Notícias