Menu
terça, 18 de fevereiro de 2020
Na virada do ano

Formanda veterinária dá dicas para evitar sofrimento dos animais de estimação

31 Dez 2019 - 07h34Por Marcos Escrivani
Formanda veterinária dá dicas para evitar sofrimento dos animais de estimação - Crédito: Divulgação Crédito: Divulgação

São Carlos possui uma lei municipal (18.059, de 22 de dezembro de 2016) que proíbe fogos de artifício com estampido (rojões). Nela há ainda itens que diz que o cão não pode caminhar sem coleiras pelas ruas e até mesmo defecar, com a obrigatoriedade de os proprietários coletarem as fezes do animal.

Mas estamos a poucas horas de virar o ano e como é tradição, muitas pessoas para marcar a data, na virada, utilizam-se de rojões para comemorar a entrada do novo ano, no caso, 2020.

A lei está especificada no blog da educadora física Michele Catoia denominado Cachorro e Você (no link http://cachorroevoce.com/codigo-municipal-de-protecao-animal/  está a lei em sua íntegra) e com o intuito de auxiliar as famílias que possuem animais de estimação em casa, o São Carlos Agora buscou informações junto a formanda em veterinária Julyenne Christynne Escrivani que realiza em Ribeirão Preto, paralelamente, especialização em comportamento animal.

O portal solicitou à formanda informações para que os apaixonados por pets possam se prevenir e amenizar o sofrimento dos seus animais de estimação na noite desta terça-feira, 31.

Abaixo, o texto elaborado especialmente para o SCA pela formanda em veterinária:

OS CUIDADOS

“Dezembro é um mês de comemorações, confraternizações, reuniões em família e com isso, a casa que nem sempre é movimentada toma uma proporção enorme de pessoas diferentes, cheiros estranhos, um mundo novo a apresentar aos nossos cães e gatos de uma maneira repentina, sabemos que assim como nós, nem todos os animais respondem de maneira positiva a essas mudanças, ainda mais devido a isso tudo acompanhar os temidos fogos de artifício, ou seja, o território do animalzinho altera e a parte de fora também, lembrando que a percepção deles para sons e cheiros são bem mais desenvolvidas que a nossa.

“Pois bem: o que fazer para minimizar o máximo possível esse desconforto e passar por momentos agradáveis com nossos amores por perto? Como principalmente as duas últimas semanas do ano vem acompanhadas de luzes e cheiros diferentes todas essas informações repentinas vem acompanhadas de comportamentos de medo de leve a moderado, como seguir o dono (humano de referência), tremores e os gatos se entocam no local de maior segurança para eles. Outros cães podem apresentar resposta de fobia extrema se desesperando, correndo de um lado pro outro tentando sair da casa, atravessam porta de vidros, lugares estreitos podendo até se ferir, e essa experiência traumática pode desencadear comportamentos indesejáveis que acompanharam, as vezes, o cão e o gato pro resto de suas vidas, podendo inclusive interferir na ansiedade de seus tutores.

“Independente do grau do medo do seu amor, vamos preparar uma força tarefa pra enfrentar a virada de ano e tentar deixar o ambiente o mais agradável possível para nós e minimizar o sofrimento e desespero dos cães e gatos.

“Comece nunca deixando o animal sozinho, se vai sair, contrate alguém que tenha experiência em potencial (conheça o comportamento dos cães e dos gatos) pra ficar na casa.

“Se o cão ou gato é fóbico, converse com seu médico veterinário clínico pra controlar isso com medicações naturais, importante testar antes e usar conforme orientação, nunca comprar por conta ou orientações de terceiros, pois cada animal tem suas necessidades e somente o veterinário pode identificar isso.

“No grande dia dê aquela canseira nos bichos, passeie em lugares diferentes, passeios longos (para cães saudáveis), faça brincadeiras diferentes, compre brinquedos novos para os cães e os gatos, faça o gato pular com varinhas, peninhas e bolinhas com penas, permite que ele explore a casa colocando petiscos escondidos, ou seja, o dia vai ser deles também.

“No dia da virada as refeições da manhã e da tarde deve ser feito em menor quantidade (de forma leve para que a noite que será fornecido aquele banquete ele se interesse, lembrando que não deve ser fornecido alimentos humanos e nenhum tipo de comida que eles não estejam habituados a comer.

“A noite vai chegando e a casa/apartamento tem que estar aprova de barulhos, feche cortinas, ligue ventiladores e/ou ar condicionado, aumentar o som ambiente com músicas relaxantes (consulte um comportamentalista) de modo que ele abafe a barulheira que está por vir de lá de fora. Nessa hora se o cão está acostumado com fones de ouvido pra cães medrosos pode usar.

“O mais importante disso tudo é não se contagiar com o medo do cão e do gato, pois o tutor é a referência do animalzinho e se ele perceber que você está assustado, ele vai se contagiar com isso e potencializar seu medo.

“Escolha o local mais seguro da casa (levando em consideração os critérios acima) com a finalidade de criar um porto seguro.

“Dias antes (se possível) escolher o cômodo da casa que o animal mais goste (podendo até ser a caixa de transporte, se ele é acostumado a ela), identificando esse local, deixá-lo o mais confortável possível, com seus cheiros (paninhos, roupinhas), brinquedos, comece a oferecer petiscos (frutas, por exemplo), coloque brinquedos de forma que o cão ou o gato associe esse local como sua segurança e esqueça ou minimize o que acontece lá fora.

“Espalhe feromônios sintéticos nesse porto seguro (consulte o médico veterinário) são produtos que liberem feromônios que o cão e o gato secretam quando estão tranquilos mimetizando um cheiro agradável.

“Para o próximo ano, dias antes procure um médico veterinário comportamentalista para treinar os cães e os gatos com os sons de fogos de artificio e aos poucos ir dessensibilizando essa fobia o mesmo ir acostumando com esse barulho.

“Quando começarem os fogos ir com brincadeiras levando os cães ao porto seguro, ou os gatos com mimetizando de caça e brincadeiras, importante não forçar a ida, e sim agir com naturalidade e fazer com que ele se interesse pelo local (brinquedos, petiscos e recompensa positiva, lembre-se você é a referência dele), se ele quiser se entocar tudo bem, deixe o ambiente como citado acima e a cada folga dos fogos tente interagir de forma amorosa e calma, sempre oferecendo coisas que ele gosta pra tentar tirar o cão ou o gato daquele estado petrificado.

“Quando chegar perto da meia noite essa será a hora do banquete, aquele alimento que ele gosta mais em forma de pasta, petisco seco, frutas, aquilo que o animal mais ama e servir, esse banquete pode ser congelado para ajudar a distrair mais ainda o animal que vai gastar tempo maior lambendo o alimento, lembrando que não deve ser fornecido nada que nunca foi dado antes ou alimentos humanos para evitar problemas.

“Fique com seu amor, fique calmo, à medida que ele se entretém com o banquete e os brinquedos volte e comprimente a família e depois que a barulheira passar pode ir deixando o animalzinho aos poucos ver que está tudo bem, sempre com recompensa positiva, e um feliz ano novo. Consulte o instagram @catlovevet para maiores informações”.

comments powered by Disqus

Leia Também

Últimas Notícias