Menu
segunda, 13 de julho de 2020
Atividades seguras

Triatletas treinam em casa para manter condicionamento físico

06 Mai 2020 - 08h20Por Marcos Escrivani
Triatletas treinam em casa para manter condicionamento físico - Crédito: Divulgação Crédito: Divulgação

A pandemia do novo coronavírus afeta duramente a sociedade brasileira que sofre com a crise da saúde. Com isso, as autoridades sanitárias e governos mantém diversas orientações para a população para manter o isolamento no sentido de evitar aglomeração e a consequente propagação da infecção.

No esporte, todos os eventos foram cancelados, suspensos e/ou adiados. Entretanto, no intuito de manter o condicionamento físico atletas das mais variadas modalidades esportivas continuam as atividades, mas feitas em seus domicílios.

O triathlon do Sesi São Carlos é uma delas. As equipes de base e olímpica realizam atividades sob orientação, respectivamente, dos técnicos Juliano Veloso e Eduardo Brás. Os contatos são mantidos através dos grupos de WhatsApp, por onde são enviadas as planilhas.

A equipe de base/rendimento realiza somente treinos em casa, com séries de bike no rolo (equipamento para pedalar sem deslocamento) e fortalecimento também em casa com exercícios propostos por um fisioterapeuta e pelo técnico.

O time olímpico tem atividades ainda mais específica. Treinam em separado e foi disponibilizada esteira para cada triatleta. Além dos treinos de rolo para bike. A natação é feita em uma academia (que está fechada), com um atleta de cada vez para não ter aglomeração. Mesmo com o adiamento das Olimpíadas para 2021, todos fazem manutenção do condicionamento visando o segundo semestre.

“Todas nossas provas foram adiadas por agora, e o grande objetivo da base além da tentativa de manutenção de condicionamento, é manter a motivação em casa da equipe”, disse Juliano Veloso. “Não estamos estimulando treinos outdoor por segurança dos atletas e pelo combate à transmissão da Covid-19. Nossa programação tem contato com treinos diários de bike com rolo em casa e fortalecimentos com educativos de corrida para fazerem em casa também. A natação fica mais difícil pois requer uma piscina. Equipamento que a maioria não tem em casa, então adaptamos os treinos para que se mantenham ativos e motivados”, disse.

EQUIPE OLÍMPICA

Segundo Eduardo Brás, técnico do Sesi São Carlos que trabalha os atletas olímpicos, o adiamento dos Jogos que serão em 2021 no Japão interfira diretamente no trabalho, a realização do mesmo em julho seria inviável. “Estamos enfrentando uma epidemia que tem modificado a rotina de muitas áreas e no esporte não poderia ser diferente. Para mim, a decisão foi acertada”, disse.

Ele relatou que a equipe veio de uma preparação inicial em altitude, e os atletas estavam em uma forma física bem elevada. “Entraríamos agora em um momento de cargas específicas para a disputa de algumas provas para o ranking olímpico. Agora estamos com cargas bem mais reduzidas, treinando indoor, priorizando trabalhos de força, exercícios funcionais, algo que não conseguimos priorizar quando estamos em meio da temporada” relatou.

Segundo Brás, é natural que o momento gere ansiedade, mas os triatletas estão muito bem focados no trabalho. “Sabemos que teremos que renovar as energias diariamente para poder manter o foco. Acho que esse momento será para desenvolver a resiliência, aspecto comportamental tão inerente a nossa modalidade. Como a maioria dos atletas são bem jovens, estamos encarando esse ano a mais do ciclo olímpico como uma oportunidade de evolução de nível. Costumo dizer que para um atleta, faz-se necessário em média 10 anos de prática em alto rendimento, para que possam atingir o pico de performance individual. Então com mais um ano de preparação, nos aproximaremos ainda mais desse tempo de desenvolvimento”, analisou.

comments powered by Disqus

Leia Também

Últimas Notícias