Menu
quarta, 14 de abril de 2021
Luta na justiça desde 2016

Julinho Bianchim pode retornar a presidência do São Carlos em julho

26 Mar 2019 - 12h52Por Marcos Escrivani
Julinho Bianchim pode retornar a presidência do São Carlos em julho - Crédito: Marcos Escrivani Crédito: Marcos Escrivani

A decisão cabe ao juiz da 1ª Vara, Milton Coutinho Gordo, mas o empresário Julinho Bianchim pode retornar à presidência do São Carlos, recentemente rebaixado à Segunda Divisão do Futebol Paulista e hoje presidido por Carlos Antunes.

Julinho busca na Justiça o direito de ser o presidente desde 2016 e em julho deve ser dado o veredito sobre o processo onde solicita a posse e o cancelamento de um contrato feito em 2013.

“Se eu ganhar a causa e o contrato com Antunes for cancelado, retorno à presidência. Mas o juiz poderá optar também por um interventor”, disse Julinho ao São Carlos Agora, acreditando que tem grandes chances de ganhar o processo. O seu advogado é Marcos Rogério Zangotti.

LUTA QUE DURA 3 ANOS

Na manhã desta terça-feira, 26, Julinho Bianchim recebeu a reportagem do SCA em seu estabelecimento comercial na Vila Monteiro e detalhou os problemas que afetam seriamente o São Carlos.

Acreditando nas intenções de Carlos Antunes que injetaria recursos no clube, assinou um contrato e passou a ser vice-presidente. Desde então acompanha as campanhas da Águia apenas como torcedor.

“Pelo contrato fiquei proibido de ter acessos aos documentos e naquela época eu não conseguia mais administrar como queria. Faltava recursos financeiros. Então me reuni com o Carlos Antunes e firmamos o acordo com a promessa dele assumir todas as responsabilidades. Mas com o passar dos anos, ele cumpriu apenas 30% do que está no contrato. Os demais 70% ficou só na promessa”, disse.

PÉSSIMOS INDÍCIOS

Passados quatro anos, Julinho começou a constatar indícios de que a administração de Antunes não ocorria como deveria ser. “Entrei na Justiça reaver o São Carlos naquele ano. Desde então, consegui algumas vitórias e derrotas na Justiça. Mas aguardo o parecer final. Não sei se irá demorar muito. Mas vou conseguir”, disse, com otimismo, salientando que um dos motivos que o levou a seguir tal caminho foi o fato da gestão de Antunes afetar sua pessoa física.

“Ele (Antunes) assume compromissos e não paga”, afirmou ao se referir a funcionários (administrativos e atletas) e fornecedores. “Se ele deixa de pagar, aqueles que se sentem prejudicados entram na justiça e a conta sobra para mim e até para minha esposa. Já fui obrigado a pagar muitas contas”, assegurou, sem emitir valores. “Prefiro não dizer quanto. Mas foi uma quantia razoável”, disse.

100 PROCESSOS

A preocupação de Julinho é grande. Ele afirmou que o São Carlos sofre hoje com mais de 100 processos trabalhistas na Justiça. “Mas não tenho acesso a nenhum deles”, antecipou salientando que se sente envergonhado.

“Sou uma pessoa idônea, correta. Como cidadão, como empresário, nunca sofri um processo trabalhista. Como dirigente, sai do São Carlos em 2013 com o clube sem nenhum processo. Estava tudo no azul”.

ÁGUIA MORRE?

Indagado se existe a possibilidade do São Carlos encerrar as atividades profissionais, com um semblante preocupado Julinho não descartou a possibilidade.

“Pode sim. O São Carlos pode fechar. Não sei como está o clube administrativamente. Não sei a vida financeira do clube. Como prever um futuro otimista assim?”, indagou.

VEXATÓRIO, HUMILHANTE, RIDÍCULO...

Em 2019, 14 jogos com cinco empates e nove derrotas. Esta é a campanha do São Carlos na A3. Em 15 anos de existência, esta é a pior participação do time em um campeonato oficial.

“Amo minha cidade e o clube que eu fundei. Vejo isso com tristeza, como está sendo tratado. É como a gente ver um filho se tornar um andarilho. É ridículo, humilhante, vexatório”, afirmou o empresário ao se referir ao novo rebaixamento para a Segunda Divisão.

A possibilidade de retornar ao comando da Águia ameniza a preocupação e ele já pontuou como será o trabalho. “Uma administração correta e séria. Quero estar presente diariamente e cumprir todos os compromissos. Não prometo resultado, pois futebol não é ciência exata. Mas vexame não acontecerá. Quero recuperar o clube e fazer com que ele chegue até a Série A1 do Paulistão. Este é o meu sonho”, assegurou.

PRESIDENTE FUJÃO

O último item da entrevista foi sobre possíveis diálogos com Carlos Antunes. Julinho disse que nunca conseguiu falar com o atual presidente da Águia. “Ele se recusa a falar comigo”, afirmou. “Ele foge”.

Julinho afirmou que anos atrás, quando pretendia conversar com o dirigente era no intuito de ajudar e fazer com que o São Carlos evoluísse como um clube profissional.

“Mas quando percebi a linha de trabalho de Antunes recuei e comecei a analisar alguns documentos administrativos. Quando vi indícios de irregularidades fiz uma notificação extrajudicial. Mesmo assim ele se recusou a dialogar. Então o último recurso foi entrar na Justiça para reaver o clube. A Justiça é imprevisível e uma decisão final pode demorar. Mas tenho fé que terei o São Carlos novamente e irei fazer uma administração para que todos os torcedores sintam orgulho de serem são-carlenses”, finalizou.

comments powered by Disqus

Leia Também

Últimas Notícias