Menu
segunda, 01 de março de 2021
Esportes

Copa Evangélica: Gui Langhi salienta campanha da Quem Procura Acha, mas prevê decisão complicada

12 Mai 2016 - 05h58Por Gustavo Curvelo (colaborador)
Para o jogador, coletividade é o ponto forte da equipe. Foto: Gustavo Curvelo/Divulgação - Para o jogador, coletividade é o ponto forte da equipe. Foto: Gustavo Curvelo/Divulgação -

Com retrospecto de sete vitórias, duas derrotas e a conquista do torneio início, a Quem Procura Acha chega à final da Copa Evangélica de futebol de campo com méritos e acreditando na vitória. Por isto, o time orientado pelo treinador Luiz Antônio Almeida "Zinho" trabalha visando a partida única diante da Nazareno, que dará ao vencedor o título de campeão geral.

Como último passo para chegar à decisão, a equipe enfrentou a Pentecostal da Bíblia/Missão Atos e atestou a boa fase: diante de um adversário que ainda não havia sido derrotado, os alvinegros não titubearam e triunfaram por respeitáveis 7 a 3. Os gols foram anotados por Alex (3), Gamarra, Wilson Roque, Rubens e Dodô.

Na visão de Gui Langhi, que já foi às redes por três vezes na competição, as dificuldades eram evidentes, mas a tática adotada foi fundamental para a construção do placar. "A gente sabia que o time deles tem qualidade, pois quem chega na semifinal não chega por acaso. Optamos por um propósito de jogar concentrado e fechado, buscando o erro do adversário, e o resultado veio naturalmente", disse o meio-campista.

Para ele, o fato de ter iniciado a partida em vantagem no marcador foi importante para obter a vaga na decisão. "Quando isso acontece, em jogo único, a equipe que está perdendo precisase expor. Então, com cautela, aproveitamos a situação, colocamos a bola no chão, criamos as oportunidades e conseguimos a vitória", analisa.

Ao ser questionado sobre as qualidades do time, que soma 31 gols marcados e 16 sofridos, Gui é enfático: os conceitos de ataque e defesa são reflexos da atuação coletiva, que, segundo ele, é o principal aspecto a ser ressaltado da Quem Procura Acha.

"Creio que é o nosso ponto forte é o conjunto todo, desde o goleiro ao centroavante. Estamos jogando num sistema que todos correm por todos, e isso vem dando certo. Fora de campo o time também é muito unido, o que ajuda no entrosamento", comenta.

E, para a final diante da Nazareno, a expectativa é de mais uma partida complicada. "Será mais uma vez muito difícil, com muita pegada, vontade e dedicação. No nosso caso, todos correndo por todos e por uma bola. Queremos também que a torcida compareça novamente, pois ela vem nos apoiando desde o primeiro jogo e dando força para conquistar os resultados", completa Gui Langhi.

A partida entre Quem Procura Acha e Nazareno acontece neste sábado, 14, às 14h45, no estádio municipal Luiz Estevan de Siqueira, o Zuzão, na Vila São José, com entrada gratuita ao público. Em caso de empate, o duelo vai à prorrogação e, posteriormente, às cobranças de pênalti.

comments powered by Disqus

Leia Também

Últimas Notícias