Menu
domingo, 17 de outubro de 2021
Ninguém pode perder

Clássico entre Lobo e Águia será decisivo no Luisão

Dérbi nº 2 entre as duas equipes ganhou contornos de emoção já que campeonato se afunila e as duas equipes jogam pela vitória

18 Set 2021 - 09h56Por Marcos Escrivani
No dérbi nº 1, ninguém levou a melhor: Águia e Lobo terminaram em 1 a 1 - Crédito: Brendow Felipe/São Carlos FCNo dérbi nº 1, ninguém levou a melhor: Águia e Lobo terminaram em 1 a 1 - Crédito: Brendow Felipe/São Carlos FC

Vencer ou vencer. Com este lema, Grêmio São-carlense e São Carlos se enfrentam a partir das 10h deste domingo, 19, no estádio municipal Professor Luís Augusto de Oliveira. A partida será válida pela oitava rodada da fase de classificação do Campeonato Paulista da Série B.

Será ainda o dérbi nº 2 entre as duas equipes. No primeiro, ainda pelo turno inicial, ninguém levou a melhor e um disputado empate em 1 a 1 premiou a determinação dos atletas de Lobo e Águia.

Mas agora a situação será diferente, pois o campeonato se afunila. Restam apenas três rodadas para o encerramento da fase de classificação, quando serão conhecidas as 16 equipes qualificadas para as oitavas de final e que marca o início do ‘mata-mata’ do torneio.

No grupo 3, o Lobo está momentaneamente em vantagem, pois está na segunda colocação com 12 pontos positivos. O São Carlos, com 10 pontos, está na quarta colocação e por ora, fora da segunda fase.

Com os números na mesa, os técnicos Marcus Vinícius e João Batista prepararam as duas equipes. O treinador do Lobo terá força total. Já o comandante da Águia, deverá contar com Hudson. Zanini, expulso contra a Itapirense, está suspenso. Fabrycio e Vitor Santos também desfalcam a equipe.

VITÓRIA É O QUE INTERESSA

Com time completo ou não, em entrevista, os dois técnicos afirmaram que buscaram armar suas equipes de olho na vitória, único resultado que interessa. Para o Grêmio praticamente garantir a vaga ou para o São Carlos, que irá manter boas as chances de classificação.

Mas, independentemente qual seja o resultado final, os treinadores salientaram ainda a importância do dérbi para o futebol de São Carlos a importância do respeito mútuo, que marca uma rivalidade sadia entre as duas agremiações.

“COMPROMETIMENTO SEMPRE”

São Carlos Agora - Em segundo lugar no grupo e próximo da classificação. É motivo de maior comprometimento ou existe algum tipo de relaxamento?

Marcus Vinícius - Comprometimento sempre. A competição não permite você relaxar em hipótese alguma. E estar próximo não quer dizer que estamos classificados então temos que continuar focados para alcançar esse objetivo.

SCA - Em uma fase decisiva, vencer fora, dá mais moral e confiança aos jogadores?

Marcus Vinícuis - Importante vencer fora, pois assim recuperamos os pontos perdidos dentro de casa e isso te dá confiança para sequência.

SCA - Em Limeira, os erros defensivos diminuíram sensivelmente. É reflexo dos treinos? Do foco dos atletas?

Marcus Vinícius - Temos um grupo muito comprometido que gosta de trabalhar e aprender. Isso acaba facilitando e ajuda no processo de evolução da equipe.

SCA - Domingo, um jogo decisivo que pode selar a classificação e justamente em um clássico de dois times locais. Qual o peso desta partida?

Marcus Vinícius - Acho que para a cidade é bacana o dérbi. No campo cada equipe vai buscar fazer o seu melhor em busca da vitória e acredito que quem errar menos terá mais chances de vencer. O respeito e a responsabilidade do jogo será o mesmo contra qualquer adversário.

SCA - Acredita que a rivalidade esportiva pode falar mais alto?

Marcus Vinícius - Acredito em uma nova história sendo construída na cidade com o dérbi e que seja de muito respeito. Claro que dentro do campo cada agremiação vai buscar sempre o melhor a ela.

APESAR DA DOR, SEM LAMENTO E FOCO NA VITÓRIA

São Carlos Agora - A surpreendente derrota para o lanterna abateu os jogadores?

João Batista - Na verdade, você usou muito bem o termo: uma surpreendente derrota. Não que a nossa equipe seja imbatível, mas é pela circunstância do bom resultado que tivemos fora diante do Mogi Mirim, da evolução emocional do time e também fizemos um bom jogo lá. Nos surpreende por isso, porém não pelo futebol. O futebol sempre apresenta esse tipo de surpresa. A gente teve bastante dificuldade no jogo, acabamos sofrendo um gol com dois minutos de jogo e isso realmente causa uma dificuldade maior dentro da partida principalmente jogando em casa que você tem que se desdobrar para empatar e reverter o placar, depois tivemos a expulsão do Zanini e ficamos quase 55 minutos com um jogador a menos.

SCA - Como recuperar o grupo em tão pouco espaço de tempo?

João Batista - Essa recuperação se faz trabalhando mesmo porque a gente não tem muito tempo para ficar lamentando. É complicado, difícil e doloroso perder uma partida dessa forma principalmente um jogo que nos daria uma tranquilidade maior para esse dérbi contra o Grêmio São-Carlense. Conversamos, tentamos passar para o grupo a necessidade de superar o mais rápido possível essa derrota, pois o futebol é assim. Agora é procurar se recuperar o mais rápido possível, trabalhar, preparar o melhor possível para o jogo de domingo que é de suma importância. A nossa permanência na briga pela classificação depende muito do resultado desse jogo de domingo.

SCA - Encarar o Grêmio em um clássico local pela Série B como é avaliado? O jogo ganha em emoção e adrenalina?

João Batista - Dérbi é sempre difícil, mexe realmente com o emocional, adrenalina lá em cima e é um jogo muito disputado. No primeiro confronto houve um empate em um jogo de bastante alternativas, onde o São Carlos teve várias oportunidades de matar o jogo e infelizmente não fomos felizes nas finalizações, mas criamos bastante chances. Clássico é sempre complicado principalmente pelo lado emocional, são jogadores jovens, mas precisamos ter equilíbrio. É importante ter a adrenalina no alto, mas saber controlar para manter o nível de concentração alto. A gente vai se preparar bem, ter tranquilidade sabendo que as coisas não se resolvem em um lance ou um minuto. É um jogo muito complicado, de marcação e bastante garra. O mais importante é manter o nível de contração alto para não acontecer o que aconteceu contra a Itapirense no último jogo

SCA - O São Carlos está em 4º lugar com 10 pontos. A vitória é considerada ainda mais fundamental?

João Batista - Hoje estamos fora da zona de classificação e a vitória é fundamental. Estaríamos fora de uma possível quarta colocação no geral. A situação é preocupante, mas é bom saber que dependemos somente de nós. Temos três jogos, dois em casa e um fora, jogos difíceis e o campeonato afunilou, pois temos quatro equipes para três vagas. Será um jogo complicado e de certa forma fundamental. Uma vitória nos deixa em uma condição muito boa para classificar e um resultado adverso nos deixa em uma situação bastante difícil. A gente tem essa consciência, vamos procurar dar bastante tranquilidade para o grupo e não jogar tanta pressão mesmo sabendo que quando se escolhe jogar futebol a pressão vai existir todos os dias e não podemos fugir disso. Creio que manter a serenidade, tranquilidade é possível superar todas as situações adversas que podem prejudicar.

SCA - A necessidade pela vitória fará com que possa armar uma equipe mais ofensiva?

João Batista - A gente não vai mudar muito. A nossa formação era a mesma, até antes da minha chegada, com três atacantes e um meia atacante. Realmente é uma equipe muito ofensiva e que busca o gol o tempo todo, mas sabemos que precisamos equilibrar esses setores tanto que temos intensificado esse trabalho de linha alta para dificultar a saída de bola do adversário para que a gente possa recuperar a bola sem ter que fazer grandes esforços correndo ou rodando. Diante da Itapirense tivemos dificuldade na bola longa e precisamos melhorar isso, pois nessa divisão principalmente com marcação pressão linha alta a ligação direta é constante. Então se a gente quer criar uma situação para o adversário quebrar a bola precisamos melhorar muito essa disputa da primeira e segunda bola. A gente tem conversado muito em relação a isso, trabalhando nesse sentido e vamos ver se evoluímos mais. Nossa equipe tem pecado muito nas finalizações também. A gente tem perdido muitos gols. Contra a Itapirense foi assim. A gente poderia ter empatado e virado, pois eles fizeram o gol e não tiveram mais chances. Tem sido uma constante, a gente perde as oportunidades e depois acaba sendo penalizado. A gente precisa ter bastante concentração para definir quando essas oportunidades surgirem para que a gente saia em vantagem e jogue no desespero do adversário.

Comments system Cackle

Leia Também

Últimas Notícias