Menu
segunda, 19 de abril de 2021
Esportes

Campeão mundial: Com ‘sangue competitivo’ na veia, são-carlense comemora o Mister Olympia

Rafael Ferreira se dedicou à natação durante 14 anos onde conquistou títulos; agora dedica-se ao fisiculturismo

05 Out 2017 - 09h37
Foto: Divulgação - Foto: Divulgação -

O atleta Rafael Ferreira comemora o bom momento. Recentemente levou o troféu de Mister Olympia, título conquistado em terras americanas. Treinado por Victor Kurita, garante ter "sangue competitivo" nas veias. Afinal, é um atleta em sua essência, pois está em atividade desde os oito anos de idade.

Rafael lembra que até os 22 anos de idade praticou natação sob o comando técnico de João Carlos Fernandes da Silva (in memoriam) e chegou a disputar torneios regionais, paulista e brasileiro. "Guardo na memória a minha maior conquista nesta modalidade esportiva, quando conquistei três medalhas de ouro e duas de prata nos Jogos Regionais realizados em São Carlos (2005). Os técnicos eram o Joãozinho e o Mitcho Bianchi", lembra.

Mas hoje pratica o fisiculturismo na categoria Fitness Model. Comerciante e administrador de empresas, tem um dia a dia atribulado. "Tenho minhas responsabilidades e procuro cumprir todos os compromissos.

NATAÇÃO/FISICULTURISMO

Enquanto nadava, Rafael, paralelamente, praticava musculação. "São 18 anos de treinos". Mas desde que deixou a piscina, intensificou as atividades em academia e hoje sua dedicação é integral, com 2h30 de treinos. "É uma forma de agregar qualidade de vida. Cuidar do corpo é importante".

Mas Rafael admitiu que tem "sangue competitivo". "Não gosto de perder nem no par ou ímpar. Com o tempo veio a ideia de começar a competir. Passei a ser treinado pelo Victor Kurita e competir há quatro anos", afirmou.

INÍCIO

Com uma alimentação regrada (ingere um quilo e meio/dia de frango grelhado, legumes, carboidratos e sucos verdes) e muito treino, Rafael dedica-se 24h ao fisiculturismo. Mais específico a categoria Mister Olímpia.

"A competitividade está no sangue e espírito vem desde quando praticava a natação. Me sinto realizado, cheio de vontade e sempre quero mais. Me dedico aos esportes individuais, onde eu cobro a minha performance. Sou perfeccionista e busco a superação diária".

Desta forma, Rafael tem, nos últimos quatro anos, buscando novas conquistas que começaram a vir em 2016, com o primeiro lugar no Arnold Classic Brasil e este ano, com o título no Arnold Classic Ohio/EUA e mais recentemente no Mister Olympia, realizado em Las Vegas, quando enfrentou 60 adversários de aproximadamente 30 países. A competição foi realizada nos dias 14 e 15 de setembro.

"Ser o campeão, não nego, é uma realização pessoal. Mas hoje eu sei que sou a vidraça, pois chegar ao topo é uma coisa. Se manter, é muito mais difícil. Portanto, a partir de agora tenho que me dedicar ainda mais, evoluir sempre e melhorar minha assimetria corporal, a definição dos músculos", explicou.

PARCEIRA, CÚMPLICE, AMIGA

Rafael tem uma parceira, uma cúmplice, uma amiga. Carol Ratti Ferreira, 27 anos, advogada. Sua esposa há oito meses. Diariamente, uma companheira em todas as atividades.

Carol também faz musculação e acompanha Rafael nos treinos. "A gente se aproxima mais. Tem as mesmas vontades e objetivos. A cumplicidade é grande, pois traçamos as metas juntos. Poder estar ao lado dele nos treinos, é uma forma de estar bem compartilhando o dia a dia no sentido literal da palavra", afirmou.

Entretanto, Carol revelou que treina há três anos. Antes assumiu ser "sedentária de carteirinha". "O Rafael me incentivava e cuidava de mim e fez eu sair da minha zona de conforto e malhar. Agora eu não tenho vida fácil não", disse, com um sorriso de satisfação.

E, conviver com um campeão, para ela, é um incentivo diário. "Faz com que sempre possamos buscar o melhor em todos os sentidos. Ele é um exemplo", finalizou.

MISTER OLYMPIA

O Mr. Olympia é uma competição de fisiculturismo, realizada anualmente pela Federação Internacional de Culturismo e Fitness (IFBB). Em 1963, Joe Weider pensou na possibilidade de criar uma competição no intuito de manter ativo o bodybuilding e também manter todos os grandes campeões do Mr. Universo no esporte. Ele pesquisou títulos de musculação disponíveis e notou que não havia um concurso digno para os talentos dos fisiculturistas. Para que o fisiculturismo crescesse no futuro, Weider percebeu que os campeões deveriam obter remuneração para competir, como os outros atletas profissionais de outros esportes.

Então em 1965, Weider lançou o concurso titulado de Mr. Olympia para o prêmio de melhor físico, transformando para sempre o mundo da musculação. A estreia do concurso aconteceu no dia 18 de setembro de 1965, na Academia de Música do Brooklyn, com uma enorme multidão que aguardava ansiosamente pelo legendário Larry Scott.

comments powered by Disqus

Leia Também

Últimas Notícias