Menu
quarta, 03 de junho de 2020
Entretenimento

XI Semana da Engenharia Aeronáutica na EESC-USP tem público recorde e programação voltada à aviação comercial

01 Set 2014 - 09h56
0 - 0 -

Com uma programação diversificada, composta por palestras, minicursos, visitas técnicas e um passeio cultural, ocorreu de 18 a 22 de agosto, na Escola de Engenharia de São Carlos da USP (EESC-USP), a XI Semana da Engenharia Aeronáutica (SEA).

A organização foi realizada pelos alunos de graduação do curso de Engenharia Aeronáutica da EESC-USP sob a coordenação do professor e chefe do Departamento de Engenharia Aeronáutica da Escola, Fernando Martini Catalano, e o tema principal escolhido para este ano foi a aviação comercial. 

De acordo com a comissão organizadora, esta edição contou com o maior número de participantes da história recente da SEA, alcançando 402 inscrições, incluindo alunos do Instituto Federal de São Paulo (IFSP), Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), Centro Universitário Central Paulista (Unicep), Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e de unidades do campus da USP em São Carlos. 

“Conseguimos aumentar o número de participantes e o ‘feedback’ foi muito positivo, foram diversos elogios ao evento, o campus, a organização etc. Além disso, os professores participantes destacaram que o tema escolhido foi bem debatido e que a XI SEA resultou em uma das melhores de todas as edições do evento”, explicou Evandro Surjan Passero, integrante da organização. 

Ainda segundo Passero, a programação buscou destacar a aviação comercial porque recentemente esse tema teve muita repercussão, tanto pelos vários desastres aéreos que ocorreram como pelas operações diferenciadas da aviação durante a copa do mundo.

Compondo a Semana o evento Quinta Cultural propiciou aos participantes uma visita ao Observatório da USP em São Carlos, resultando em uma noite agradável e culturalmente efervescente. “Muitos alunos, apesar de morarem na cidade, nunca haviam visitado o local e se surpreenderam bastante”, ressaltou o organizador.

Solidariedade foi outra ação praticada pela organização que, durante a semana, doou um litro de leite em caixinha ou o valor de R$ 3,00 para cada inscrição efetivada pelos participantes. Foram arrecadados 30 litros de leite, além de vinagre, fraldas e absorventes geriátricos para o asilo Maria Jacinta em São Carlos.

O professor Catalano destacou que para os alunos é uma oportunidade única de desenvolver atividades dificilmente exercidas na grade curricular, desde o contato com os principais vetores da indústria aeroespacial brasileira e internacional até a organização de coffee break. “É uma atividade bem variada e um grande investimento nas carreiras dos graduandos. A organização do evento muda a cada ano e a equipe vai evoluindo hierarquicamente”, disse o docente.

Um dos principais destaques apontados pela organização foi a palestra proferida pelo fundador da Embraer, Ozires Silva, o qual é uma referencia no setor aeronáutico brasileiro e que até hojese destaca pelo engajamento no desenvolvimento social, principalmente educacional na área da aviação. Da Universidade da Dakota do Norte, esteve presente o professor George Bibel, um estudioso no campo de desastres sob a óptica da engenheira, tendo vários livros publicados, notadamente sobre desastres aéreos e ferroviários. 

Outra palestra de grande relevância foi apresentada pelo astronauta Marcos Pontes, o único brasileiro a ir ao espaço, que compartilhou as experiências e a importância de se desejar algo e conquistar. “A principal receita do sucesso é ter um sonho e acreditar nele; por mais adversa que seja a condição, o mais importante é que a pessoa tenha consciência de que faz parte do processo e que pode mudar as coisas através do seu trabalho”, afirmou Pontes.

Além das palestras, foram oferecidos minicursos sobre o uso de calculadora gráfica científica, planilha eletrônica para engenheiros, introdução ao Maintenance Steering Guide (MSG), desempenho de decolagem de aeronaves e propriedades de massa.  Entre as atividades da programação foi realizado também o Desafio Aeronáutico – uma competição entre os participantes, que deveriam cumprir os requisitos estabelecidos para a construção e operação de um modelo em escala de uma aeronave. “Os participantes receberam a ‘missão’ no começo da semana e trabalharam nos aviões para realizarem os melhores voos”, comentou Passero.

Com o encerramento desta edição, a comissão de organização já estabeleceu como meta continuar o crescimento do evento, com novas vertentes e temáticas. “Para o próximo ano desejamos aumentar o número de visitantes externos, além de abordar mais temas atrativos para os estudantes da EESC-USP, tanto da Aeronáutica como de outras engenharias. Além disso, a SEA deve ampliar o viés cultural e social, além de uma abordagem mais específica para o lado ambiental e sustentável”, disse o organizador.

comments powered by Disqus

Leia Também

Últimas Notícias