Menu
quarta, 16 de junho de 2021
Entretenimento

Moda de Viola homenageia Tião Carreiro

Nesta quinta-feira, faz 22 anos do falecimento de Tião Carreiro, o mestre da viola caipira; vídeo está disponível no youtube

14 Out 2015 - 06h26
Na sua carreira, Tião Carreiro teve outros três parceiros, além do Pardinho, ao são-carlense considerado como a “excelência da primeira voz”. Foto: Arquivo - Na sua carreira, Tião Carreiro teve outros três parceiros, além do Pardinho, ao são-carlense considerado como a “excelência da primeira voz”. Foto: Arquivo -

A TV Educativa de São Carlos, através de um especial do Moda de Viola, prestou uma homenagem a Tião Carreiro, da dupla Tião Carreiro e Pardinho. Programa disponível no youtube (pesquisar: TVE São Carlos Tião Carreiro - é o primeiro resultado que aparece).

Além de dados biográficos e musicais de Tião Carreiro, o programa exibe vídeos do solo de viola de Pagode de Brasília (Tião Carreiro e Almir Sater) e das músicas Preto Velho (Tião Carreiro e Pardinho), Candieiro da Fazenda (Tião Carreiro e Paraíso), Pagode (Tião Carreiro e Almir Sater), Minha Vida (Tião Carreiro), Viola Divina (Bruna Viola), No Som da Viola (Peão Dourado e Mulato), Saudade (Rodrigo Mattos e Praiano) e Trono da Saudade (Alexandre e Paranaense), mais a declamação de letra da música Boi Soberano, por José Angelo, o apresentador do programa.

José Dias Nunes, o Tião Carreiro, nasceu em Montes Claros - MG, em 13/12/1934. Ainda criança, sua família mudou-se para o interior de São Paulo. Morando em Araçatuba é que formou a extraordinária dupla com Pardinho.

Na sua carreira, Tião Carreiro teve outros três parceiros, além do Pardinho, ao são-carlense considerado como a "excelência da primeira voz". E Tião Carreiro inovou o estilo de cantar em dupla, colocando a segunda voz, mais grave, com mais destaque do que a primeira. Estilo que foi, e continua sendo, seguido por muitas duplas.

Antes de Tião Carreiro, a viola era usada mais para acompanhamento, nas duplas sertanejas. Tião Carreiro deu mais destaque à viola e criou uma nova maneira de toca viola, o ritmo que foi batizado de pagode, o pagode de viola. A primeira música composta nesse ritmo recebeu o título de "Pagode" e foi gravada em 1953, com Carreirinho, co-autor da música.

A dupla Tião Carreiro e Pardinho formou-se em 1954 e gravou seu primeiro disco em 1956, um 78 rotações. Sem desmanchar a dupla com Pardinho, em paralelo Tião Carreiro gravou discos com Carreirinho, de 1958 a 1962, começando com um 78 rotações que tinha a música Rei do Gado e culminando com o único LP da dupla Tião Carreiro e Carreirinho, intitulado Meu Carro é Minha Viola.

Voltando ao pagode, criado por Tião Carreiro, o primeiro que fez grande sucesso foi o Pagode em Brasília, gravado por Tião Carreiro e Pardinho, num 78 rotações, em 1960. Oficialmente os autores dessa música são apenas Lourival do Santos e Teddy Vieira, apesar de Tião Carreiro ser o autor da melodia.

Tião Carreiro e Pardinho se separaram de 1978 a 1982. Nesse período, Tião Carreiro formou dupla com Paraíso, gravando 4 LPs.

O violeiro Tião Carreiro foi inspiração para muita gente tocar viola. Até hoje há muitos seguidores de Tião Carreiro, com destaque para a quantidade de jovens aprendendo a tocar viola, inclusive mulheres; atualmente temos uma verdadeira safra jovem de violeiras.

Tião Carreiro também teve uma atuação destacada como compositor. É dele a autoria ou coautoria de inúmeros sucessos das duplas de que ele participou, muitos deles regravados por outras duplas.

Praiano foi o último parceiro de Tião Carreiro. A dupla Tião Carreiro e Praiano gravou um único LP, em 1992. Tião Carreiro veio a falecer em 15/10/1993, com 58 anos de idade. 

Comments system Cackle

Leia Também

Últimas Notícias