Menu
sábado, 16 de janeiro de 2021
Entretenimento

Exposição "Fotografar São Carlos - 155 anos" chega ao ICMC

24 Jun 2013 - 12h37
0 - 0 -

Relação entre velocidade e abertura, enquadramento, diagonais. Esses termos que fazem parte do universo matemático também estão presentes na vida dos fotógrafos, pois muitos conceitos científicos ajudam a compreender os fundamentos da arte fotográfica. Essa é a opinião do professor do Instituto de Ciências Matemáticas e da Computação (ICMC) da USP São Carlos, Marinho Andrade. Ele é um dos 16 fotógrafos responsáveis por registrar as mil faces de São Carlos na exposição Fotografar São Carlos - 155 anos, que foi inaugurada na sexta-feira, 21 de junho, e ocupa o saguão e o primeiro andar da Biblioteca Achille Bassi, no ICMC, até dia 10 de agosto.

"É um hobbie que eu levo muito a sério", revelou o professor. Ele explicou que a exposição é resultado de um projeto realizado na Oficina Cultural Sergio Buarque de Hollanda e coordenado pelo fotógrafo Carlos Altino entre junho e outubro de 2011. "A ideia surgiu quando Carlos Altino identificou que os últimos registros fotográficos da cidade - excluindo-se os pontos turísticos - datavam de cerca de 100 anos atrás. Então, surgiu a proposta de reunir um grupo de fotógrafos da cidade para que, divididos em grupos, pudessem percorrer os bairros", contou Andrade.
 
Segundo a presidente da Comissão de Cultura e Extensão do ICMC, Solange Rezende, essa é a maior exposição fotográfica já exibida no Instituto: "É fundamental trazer a história da nossa cidade para cá e possibilitar que nossos alunos e toda a comunidade possam ver essas fotografias".
 
No total, mais de 6 mil imagens foram registradas, em aproximadamente 900 horas de trabalho. O passeio pelas 230 imagens selecionadas para a exposição remete os espectadores a lembranças das ruas percorridas na infância, aos personagens anônimos que habitam a cidade, às transformações ocorridas na paisagem. "Se fotografássemos apenas os pontos turísticos de São Carlos, não poderíamos fazer as pessoas sentirem essa nostalgia", diz Andrade.
 
"É um trabalho mais documental que artístico", explicou Altino, acrescentando que a filosofia que rege esse grupo de fotógrafos pode ser resumida em duas premissas: "fotografar é preciso" e "a vida sem fotografia não tem graça".
 
Para conferir as imagens, basta ir até o saguão e o primeiro andar da Biblioteca do ICMC. A visitação é gratuita e pode ser realizada de segunda a sexta-feira, das 8 às 18 horas. Antes de chegar à USP, as imagens ficaram expostas na Oficina Cultura Sergio Buarque de Hollanda, de novembro do ano passado até janeiro deste ano.
 

Mais informações
Assessoria de Comunicação do ICMC
Tel.: (16) 3373-9666
comunica@icmc.usp.br

comments powered by Disqus

Leia Também

Últimas Notícias