terça, 17 de maio de 2022
Eleições 2020

Airton Garcia diz: “quero acabar com a falta de água no segundo mandato”

O atual prefeito de São Carlos fala das dificuldades em concluir a licitação do transporte público e salienta que tem cobrado melhoria na prestação do serviço

26 Out 2020 - 10h06Por Redação São Carlos Agora
Airton Garcia: “acordo pela manhã e vou à luta, sou assim desde pequeno, e não quero que esse trabalho pare” - Crédito: DivulgaçãoAirton Garcia: “acordo pela manhã e vou à luta, sou assim desde pequeno, e não quero que esse trabalho pare” - Crédito: Divulgação

O São Carlos Agora inicia a terceira – e última – semana de entrevista com os candidatos a prefeito de São Carlos. Nesta segunda-feira (26) é a vez do atual prefeito Airton Garcia, que concorre pelo PSL. Nos últimos meses, parcela expressiva dos bairros sofreu com o desabastecimento. O chefe do Poder Executivo, que concorre ao segundo mandato, reconhece o problema. “O SAAE sempre apresentou problemas em todas as administrações por isso sempre quiseram privatizar o SAAE, eu não privatizei e não vou privatizar o SAAE. Muitas cidades que privatizaram a água e esgoto a população hoje paga caro e os problemas não foram solucionados”, reforçou.

Airton disse que investiu na perfuração de um poço na Vila Nery, assim como interligou outros postos de abastecimento e cravou: “Assim como na minha primeira administração o recape resolveu a questão da ‘buraqueira’, no segundo eu quero acabar de vez com a falta de água”.

Acompanhe a entrevista:

Sobre habitação: “Hoje o município não tem condições de fazer um projeto habitacional apenas com recursos próprios, mas vamos atrás onde eles podem estar, nos Governos Federal e Estadual” Foto Divulgação

Porque ser prefeito de São Carlos?

Quando assumi a prefeitura, a cidade estava endividada, paguei as contas, mais de R$ 100 milhões, e aos poucos fomos fazendo as coisas acontecerem. Retomamos as obras de saúde e educação, e hoje não temos mais obras paradas na cidade. Conseguimos reorganizar os trabalhos de limpeza pública, iluminação e revitalização das praças e locais públicos, investimos na segurança por meio da criação da secretaria de segurança e equipamentos para a Guarda. Muitas coisas boas foram feitas e executadas nesses 4 anos. Quero continuar como prefeito para esse trabalho de avanço não sofrer interrupção.

Qual é a sua opinião sobre a saúde? E o que pode ser melhorado?

A saúde de São Carlos melhorou muito, antes não tinha remédios nas unidades de saúde. Resolvemos os problemas relacionados às demandas das UPAS, e hoje as unidades funcionam, sem risco de fechar. Quando assumi, a UPA do Cidade Aracy não tinha gente para trabalhar e a UPA do Santa Felícia estava em situação irregular. Finalizei três Unidades de Saúde da Família. A primeira foi a USF Santa Angelina, A segunda USF finalizada pelo foi a da Cidade Aracy. E a terceira USF que coloquei para funcionar foi a do Jardim Zavaglia, obra parada desde 2013. Inauguramos a USF da CDHU, a quarta unidade, obra que também estava parada. Levei mais saúde perto da população e a Saúde sempre andou lado a lado com as instituições de São Carlos por meio de convênios para melhorar o atendimento no que for preciso. Hoje investimos 25,5% do orçamento do município em Saúde, a constituição manda investir 15%.

3. O que você acha da Educação Municipal? Quais são as suas propostas para o tema?

A Educação foi um dos meus lemas na campanha passada, muitos me criticaram por não fazer uma creche por mês, realmente não fiz porque não era necessário, não havia demanda pra tudo isso. Nossa solução para a questão da educação municipal, a curto prazo, foi buscar convênios para ampliar a rede de atendimento à educação infantil, e ir atrás de recursos para expandir salas de aula e construir novas escolas.

Em 2017, só na educação infantil, que inclui as creches, eram atendidos 8.600 alunos. Em 2020, já são 12.200 - um aumento de quase 42%. No ensino fundamental, lá em 2017, eram atendidos 5.600 alunos. Agora, são quase 6.300. Um aumento de 12%. O EJA (Educação de Jovens e Adultos), que em 2017 tinha 460 alunos, em 2020 passou para 519. Também um aumento de 12%. A Rede Municipal de Ensino, nos quatro anos de meu governo, teve uma expansão de vagas que chegou perto dos 30%.

Ampliei várias escolas e construímos 5 novas. Uma EMEB no Eduardo Abdelnur, maior escola municipal de São Carlos, uma EMEB no Jardim Araucária, um CEMEI no Parque Novo Mundo, um CEMEI no Residencial Eduardo Abdelnur e outra CEMEI no Jardim Embaré. Hoje servimos 40 mil refeições todos os dias e agora, durante a pandemia, criamos o cartão merenda que dá um auxílio de R$ 50 por mês para cada aluno matriculado na rede. Sabemos que a merenda precisa continuar sendo de qualidade porque ela é um fator determinante para frear a evasão escolar, já que muitas crianças vão à escola por causa da merenda.

4. São Carlos está há seis anos sem a licitação do transporte público. O que você pretende fazer?

Sobre a questão do transporte público seguimos o que determina a lei, todo o processo de licitação gira em torno disso. Tem cidade que há mais de 20 anos tenta e não consegue concluir uma licitação. O desenrolar desse processo é que irá determinar a contratação, ou não, de uma nova empresa para São Carlos. Enquanto isso, cumpro o nosso compromisso com as contas do transporte público e cobramos melhorias da empresa que presta serviço na cidade.

5. São Carlos é a Capital Nacional da Tecnologia. Como potencializar esta condição? Existe uma proximidade entre universidade, centros de pesquisa, Prefeitura e comunidade?

A cidade é considerada a Capital Nacional da Alta Tecnologia, mas é preciso olhar para a outra parte da cidade que são as pessoas que não têm condições nem de comer. A minha ideia é continuar e ampliar as parcerias com as universidades e centros de pesquisa, como as duas unidades da Embrapa, para novos programas que eles podem oferecer junto aos órgãos da prefeitura. Um bom exemplo foi a união com a UFSCar e o Hospital Universitário na questão da pandemia em testes para a Covid-19.

6. Quais são as suas propostas para melhorar o emprego em São Carlos? De que forma atrair novas empresas?

Sobre a questão de trabalho, temos dois cenários: o que fizemos antes da pandemia e o que vamos pensar no que fazer, já que a pandemia mexeu com o mercado e novos investimentos. Na questão da Casa do Trabalhador nestes 4 anos já realizamos mais de 200 mil atendimentos, conseguindo números expressivos de recolocação no mercado de trabalho. Investimos em qualificação profissional, firmamos parcerias como SENAC, ETEC, Sebrae, entre outros. Liberamos microcréditos e créditos para pequenos negócios durante a pandemia por meio do Banco do Povo.

7. Políticas públicas para os jovens. O que você pretende fazer?

Nós queremos ampliar o trabalho  de atendimento nos Centros da Juventude “Elaine Viviane” e “Lauriberto José Reyes”, com mais oferta de projetos e ações na área socioassistencial e, com isso, estender a mão às famílias que mais precisam do olhar e do braço da Prefeitura. Ajudar e dar apoio aos dois Conselhos Tutelares para que atuem de forma mais prática e objetiva na fiscalização e preservação dos direitos de crianças e adolescentes. Devemos realizar, também, um trabalho conjunto entre as Secretarias de Cidadania e Assistência Social, Secretaria Especial da Infância e Juventude e Secretaria de Esportes e Cultura de modo que a intersecção entre elas possa tirar muitos jovens da ociosidade e, com isso, afastá-los da possibilidade da cooptação do tráfico de drogas e incentivar a ideia do primeiro emprego. Essa geração do futuro, com certeza, deve ser nossa preocupação sempre presente.

8. O que você propõe para melhorar a arrecadação do município?

Durante minha gestão ampliamos o programa de Refis para arrecadação, hoje o bolso anda curto para todo mundo, com isso damos oportunidade para as pessoas quitarem suas dívidas em uma modelo de pagamento que não fere o bolso de todos. A cidade tem grande potencial de atrair mais investidores com a internacionalização do aeroporto, estamos atentos para isso:  gerar mais arrecadação, sem aumentar impostos, gerar mais emprego e  mais renda.

 

9. Hoje, o SAAE tem reclamações de desabastecimento em vários bairros e vazamento de água tratada. De que forma melhorar a gestão dos serviços?

O SAAE sempre apresentou problemas em todas as administrações por isso sempre quiseram privatizar o SAAE, eu não privatizei e não vou privatizar o SAAE. Muitas cidades que privatizaram a água e esgoto a população hoje paga caro e os problemas não foram solucionados. Nesta gestão eu investi no SAAE, conseguimos a renovação da frota, perfuração do poço tubular profundo na rua Rui Barbosa, interligação de abastecimento de água entre o Residencial Eduardo Abdelnur e Jardim Zavaglia, um sistema de coleta de esgoto no Varjão e a construção de um reservatório apoiado no Centro de Reservação da Vila Nery. No último mês, surgiu um grande problema de abastecimento de água em diversos pontos da cidade, sabemos e reconhecemos isso. Mas assim como na minha primeira administração o recape resolveu a questão da ‘buraqueira’, no segundo eu quero acabar de vez com a falta de água.

10. Quais são os seus planos para evitar as enchentes em São Carlos?

O problema de enchentes no centro da cidade sempre existiu, por muitos anos já foram investidos muito dinheiro para conter as enchentes, mas nada foi resolvido. Estamos investindo para resolver o problema da CDHU com o piscinão, que terá a capacidade de 108 mil metros cúbicos de água, com 6 metros de profundidade, isso também irá aliviar 15% o volume de água que chega na região do Mercado Municipal. Até o momento nem o governo federal, nem o governo do estado, liberaram recursos para as obras de enchentes. Já temos um plano de contenção de enchentes no centro e não vou desistir de ir atrás de recursos para isso.

11. As políticas habitacionais dos governos estadual e federal foram reduzidas. De que forma, então, reduzir o déficit habitacional?

Como o dinheiro é curto, estamos correndo para trazer mais recursos para zerar o déficit habitacional. Fizemos as trocas de telhados, forros e instalações elétricas de casas populares de Santa Eudóxia e Cidade Aracy. Nossa última conquista para a habitação foi resolver a questão do assentamento “Em busca de um Sonho” no Antenor Garcia, que conta com 120 famílias. Um TAC (Termo de Ajuste de Conduta) que foi discutido por 7 anos e só agora conseguimos desenrolar a situação, oferecendo toda infraestrutura. Hoje o município não tem condições de fazer um projeto habitacional apenas com recursos próprios, mas vamos atrás onde eles podem estar, nos Governos Federal e Estadual.

12. O que você promete de diferente dos seus adversários?

O que prometo de diferente dos meus adversários, é a minha experiência como prefeito somada às melhorias visíveis, como, por exemplo, concluir todas as obras paradas na cidade e o maior programa de recape já realizado na história da cidade.

Suas considerações finais

São Carlos tem que seguir em frente. Sou uma pessoa incansável, acordo pela manhã e vou à luta, sou assim desde pequeno, e não quero que esse trabalho pare, especialmente o meu trabalho voltado para as pessoas mais carentes da nossa querida São Carlos.