Menu
sábado, 08 de agosto de 2020
União faz a força

Pais são-carlenses mandam forças para filhos que estão nos EUA e pedem corrente de otimismo

03 Abr 2020 - 14h47Por Marcos Escrivani
Paola, em isolamento, em um 'ap' em Chicago, manda um recado sério: "fique em casa" - Crédito: DivulgaçãoPaola, em isolamento, em um 'ap' em Chicago, manda um recado sério: "fique em casa" - Crédito: Divulgação

Hoje, o epicentro da pandemia do novo coronavírus são os Estados Unidos, com milhares de mortos e infectados. Medidas rígidas foram adotadas pelo governo americano que fechou fronteiras, proibiu voos e obrigou toda a população a ficar em isolamento social (quarentena).

São Carlos tem dois filhos na terra do Tio Sam. Os irmãos Giovanni, 22 anos e Paola, 19. Ambos atletas e universitários, filhos dos são-carlenses Elder Fragalle e Cláudia Cury.

Giovanni pratica tênis e está em seu último semestre da Universidade em Oakland e Paola é apaixonada por vôlei e estuda em Chicago. Estudam nos Estados Unidos com bolsa atleta e podem além de estudar, praticar em alto rendimento o esporte que tanto amam. “Como pais sempre incentivamos eles, nos preocupamos em prepará-los e demos todo apoio nessa jornada de nossos filhos”, disse Cláudia que, diariamente, ao lado do marido, mantém contato com os filhos. “Entre uma situação e outra da vida, as mesmas nos pedem persistência, coragem além de foco e sabedoria”, contou com exclusividade ao São Carlos Agora.

Cláudia contou ainda que os filhos estão em isolamento social e cumprem rigorosamente as recomendações de segurança. “Isso nos deixa mais tranquilos! Por fim, o mais importante, temos fé que Deus está protegendo nossos filhos e nossa família! O que o ser humano realmente precisa não é de um estado livre de tensões, mas antes a busca e a luta por um objetivo que valha a pena! Que exista um sentido em potencial à espera de seu cumprimento”, ressaltam Elder e Cláudia.

DEPOIMENTO DE MUITA FORÇA

Solicitado pela reportagem do São Carlos Agora, Cláudia deixou um depoimento sobre a situação dos filhos em terras americanas. Mostrou a força de uma mãe, a esperança do pai e a certeza de um amanhã sereno, pleno em paz e muita luz.

Paralelamente pediu uma corrente de otimismo não somente para seus filhos, mas para todas as pessoas, salientando a certeza de que tudo voltará em breve à normalidade.

Abaixo, o depoimento de Cláudia:

“Durante essa caminhada, os sonhos foram confrontados com essa realidade desafiadora (Covid-19) e exigiu que nós também como pais, tivéssemos que ter clareza e equilíbrio emocional para orientar no que fazer.

Bem no meio do semestre, Giovanni que estava em sua última temporada de jogos, seu último semestre da Universidade em Oakland, formatura programada, família com viagem marcada para celebrar este momento que coroa toda uma jornada desafiadora que começou há muitos anos em São Carlos e de repente é pego de surpresa! O dia em que a Terra parou! Califórnia juntamente com Nova York e Washington foram os primeiros estados a fecharem fronteiras! A Califórnia foi um dos primeiros estados a declarar emergência, pois como é um estado turístico, o coronavírus se espalhou muito rápido por lá. Aula e Torneio sendo cancelados, escola sendo fechada, vai ao mercado e encontra as prateleiras vazias, e na sequencia vê seus colegas indo para suas casas, deixando o dormitório da escola aonde reside, quase que sem ninguém, vê acontecer um esvaziamento geral.

Todas as expectativas ...frustradas!

Pandemia!

Paola em Chicago, em seu segundo semestre da Universidade, em pré-temporada, também se viu diante de uma pausa forçada! Todos pra casa, Universidade evacuada e aulas online, treinos interrompidos! Além disso ela se recupera de uma lesão no pé, fazendo tratamento diariamente. Saindo de casa apenas para compras essenciais, ambos estão em isolamento social.

Para que não se sentissem desamparados nós nos falamos frequentemente, e sempre estamos atentos a qualquer sinal de alerta, e hoje a tecnologia vem ajudar muito nesse caso.  Isso já era um hábito que tínhamos durante o dia e nesse momento, intensificamos.

Em meio a muitas opiniões, todas de forma legítima, tivemos que ter tranquilidade e equilíbrio para resolver o que fosse melhor para os nossos filhos, pois em nossa jornada como família nunca deixamos ser pautados pelo medo, mas sempre procurando desenvolver, avaliar e ponderar os pontos positivos e negativos de situações que foram aparecendo.

Como diz Nietzsche: “Quem tem um por que viver, suporta quase qualquer como”!

comments powered by Disqus

Leia Também

Últimas Notícias