Menu
sábado, 10 de abril de 2021
Amor eterno de filha pelo pai que se foi...

“Ele era uma parte de mim. Era apegada a ele”; filha faz homenagem a Roni Silva, morto pela Covid-19

Thainá Cristina, emocionada, revelou os dias que antecederam o sofrimento daquele que era seu super-herói. “Não acredito que ele partiu”...

08 Mar 2021 - 12h28Por Marcos Escrivani
Roni e Thainá em selfie feita na passagem de ano: “Ele se foi. E levou um pedaço de mim. Descanse em paz meu eterno amado pai” - Crédito: DivulgaçãoRoni e Thainá em selfie feita na passagem de ano: “Ele se foi. E levou um pedaço de mim. Descanse em paz meu eterno amado pai” - Crédito: Divulgação

O inimigo invisível da humanidade, mas desacreditado por muitas pessoas, fez mais uma vítima em São Carlos. Poderia dizer até com “requintes de crueldade”, tal o sofrimento por ele proporcionado. Assim, o SARS-CoV-2 levou Ronivon Ferreira da Silva, ou apenas Roni, 44 anos. Ele morreu às 23h de sábado, 6, em um hospital de campanha em Araraquara. 

Emocionada e abalada, a primogênita de Roni, Thainá Cristina, 23 anos (que irá ser formar em Psicologia este ano), deu depoimentos marcantes ao São Carlos Agora. Lamentou a morte do seu super-herói, não escondeu as marcas que ele deixará com sua precoce partida. Mas foi franca ao definir as pessoas que não acreditam na infecção e a confundem com questões meramente políticas.

“Eu era apegada a ele. Era uma pessoa sempre presente, alegre e cativante. Nunca fez uma inimizade sequer e sempre que podia, confortava familiares e amigos. Onde estava, era a alegria em pessoa. Sempre brincalhão, amoroso e um cara família”. Com esta frase, Thainá definiu Roni Silva, que foi radialista por 24 anos, atuando sempre no Sistema Clube de Comunicação.

Casado com a dona de casa Katia Rosalino, 37 anos, madrasta de Thainá que tem como irmãs Gabi, 12 anos e Isa, de apenas 5. “Ele sempre foi preocupado em obedecer todos os protocolos de segurança”, garantiu a filha.

Residente no Cidade Aracy, nos últimos anos Roni era motorista de aplicativo. A necessidade do trabalho fez com ele fosse infectado pelo novo coronavírus e integrasse a perversa lista de vítimas da pandemia Covid-19.

39087623_512907889162697_6257211169187037184_nThayna em foto ao lado do pai.

O SOFRIMENTO

No dia 23 de fevereiro, após um dia de trabalho Roni (que sofria com a bronquite e asma – portador de comorbidades) começou a sentir (sem saber) os primeiros sintomas da infecção. “Sentiu dores pelo corpo, febre e tosse”, explicou Thainá. No mesmo final de semana passou a sentir falta de ar e começou a ir até a UPA Aracy onde passava por consultas e saturações.

Foi posteriormente até o centro de triagem localizado no ginásio municipal de esportes Milton Olaio Filho onde fez o teste para ver se havia contraído a doença e o resultado foi positivo e divulgado na terça-feira, 2. A sua esposa também testou positivo.

Na quinta-feira, 4, em estado crítico e mal conseguindo se locomover, o Samu foi acionado e encaminhou Roni até a UPA Aracy utilizando oxigênio para se manter vivo.

“Mas não havia leito disponível em São Carlos e na região. Um médico nos ligou e disse que se não conseguíssemos internação, iríamos perder nosso pai. Bateu desespero e cheguei a postar nas redes sociais um pedido de ajuda. Nos mobilizamos e fomos em busca de ajuda. O secretário de Saúde (Marcos Palermo) nos deu muita força e na noite de sexta-feira, 5, conseguimos um leito no hospital de campanha de Araraquara. Ele lutou pela vida. Ficou um dia internado, mas partiu no sábado, 6, às 23h”, lamentou Thainá, aos prantos. O sepultamento de Roni aconteceu domingo no cemitério municipal Nossa Senhora do Carmo.

COMOÇÃO

Querido na família e na imprensa são-carlense, a morte de Roni Silva causou comoção e foi alvo de homenagens nas redes sociais.

“Posso dizer apenas que ele deixou um grande vazio. É uma parte de mim que se foi. Me lembro dos momentos de amor intenso quando ainda era criança. Não acredito ainda que meu pai partiu, que ele foi levado dessa forma. O vazio que meu herói me deixou não será preenchido. Vai estar sempre presente e onde meu papai estiver, sempre sentirá muito orgulho de mim”, desabafou a emocionada filha.

EGOÍSTAS, IGNORANTES

Indagada sobre as pessoas que não acreditam na gravidade da infecção, Thainá não escondeu a indignação, salientando que falta empatia para uma boa parte da humanidade.

“Tem gente que acha que é brincadeira. Irá levar a sério quando alguém que ama morrer pela Covid-19. Eu sempre conscientizei meus familiares e amigos para usar máscaras, álcool em gel e manter o distanciamento. É uma questão de respeitar a vida. Vamos vencer a pandemia com um trabalho coletivo. Mas temos muitos egoístas e ignorantes que não obedecem os protocolos de segurança e levam o novo coronavírus para inocentes”, disse.

AMOR ETERNO... PARA ALÉM DA VIDA

A morte de Roni deixa marcas profundas em Thainá que reuniu forças e em sua página no Facebook fez um post junto com uma selfie tirada pelo pai justamente na passagem de ano.

Com frases marcantes e com muito amor, prestou uma homenagem que ficará eternamente gravada. Abaixo, a íntegra do post:

A HOMENAGEM DE THAINÁ NAS REDES SOCIAIS

“Para o meu querido e amado pai.

Essa foto foi tirada no ano novo de 2021. Jantamos juntos, cantamos juntos no karaokê que vc tanto amava, e todos pensamos e desejamos como esse ano seria diferente. Seria um ano de bênçãos para nós. Mas infelizmente você se foi, deixando uma dor e um vazio enorme em mim, e em nossa família. Uma pessoa alegre, esbanjava felicidade e simpatia, todos amavam você, todos gostavam de ficar perto de você. Quantas memórias lindas eu tenho de você, desde que eu era pequenininha e você imitava o robô cop toda vez quando eu chegava do trabalho pra poder me fazer sorrir. O tanto que você se doou em prol de sua família, dedicado, bondoso, trabalhador, cativante.

Nunca senti uma dor tão grande como essa, mas eu posso te dizer que eu lutei por você, e estava disposta a fazer o possível e o impossível, porque foi o que sempre fez por mim.

Nossa família e amigos choram nesse momento na sua ausência, como você fez falta Meu pai, e tudo que peço a Deus é que esteja cuidando de ti nesse momento ao lado dele, onde não há sofrimento e nem dor, e isso é o que de certa forma me conforta.

Você deixou suas 3 filhas, esposa, mãe, irmãos, família e amigos nesse plano, mas sei que daí do céu, sempre estará presente conosco.

Eu te amo pai, e pra sempre te amarei, o que eu mais quero é te dar orgulho, e eu vou fazer isso, eu prometo.

Descanse em paz meu eterno amado pai”.

comments powered by Disqus

Leia Também

Últimas Notícias