domingo, 14 de agosto de 2022
Artigo Rui Sintra

Tratamentos de pacientes com sequelas de Covid-19

18 Dez 2021 - 06h00Por (*) Rui Sintra
Tratamentos de pacientes com sequelas de Covid-19 -

A recente notícia da inauguração do “Centro de Desenvolvimento e Treinamento para Tecnologias e Procedimentos de Reabilitação de Pacientes Pós-Covid-19”, localizado no edifício do Centro de Inovação e Tecnologia em Saúde (Citesc), infraestrutura inserida no complexo do Instituto Inova, dedicado à reabilitação de pessoas portadoras de sequelas provocadas pela Covid-19, não poderia ter vindo em melhor momento. De fato, este projeto, iniciado há anos atrás, com a participação ativa do Prof. Glaucius Oliva (IFSC/USP) e recentemente consolidada através do Prof. Vanderlei Bagnato (IFSC/USP), dentre outros nomes importantes de nossa sociedade,  comprova junto da população o real valor que a ciência tem para atender as necessidades dos cidadãos, principalmente em um período tão difícil como o que vivemos desde há dois anos a esta parte.

Os equipamentos e protocolos desenvolvidos nos últimos dois anos pelas universidades, com destaque para o Instituto de Física de São Carlos, da USP, e dedicados a tratar as pessoas que ficaram com sequelas resultantes da Covid-19, são os frutos de décadas de pesquisa com técnicas que utilizam laser, ou seja, luz, para reabilitação em fisioterapia e em diversas outras frentes. Dentre essas, podemos destacar tratamentos de úlceras, tratamentos para dores musculares e deficiências respiratórias e circulatórias, recuperação de cirurgias e inflamações, bem como na vasta área odontológica, através de tratamentos de zumbidos nos ouvidos, parestesia facial, perda de paladar e de olfato, etc..

Esta grande ação envolve um número significativo de profissionais de saúde, entre médicos, enfermeiros, dentistas, fonoaudiólogos, fisioterapeutas, preparadores físicos, biomédicos, etc., todos eles com foco em uma única vertente: ajudar as pessoas que têm sequelas da Covid a readquirirem sua qualidade vida e suas tarefas cotidianas, seja em termos pessoais, seja igualmente ainda em nível profissional, através de um atendimento gratuito.

Tudo graças a uma parceria que se deseja duradoura, entre o Instituto Inova, Centro Parque Tecnológico Dahma, Citesc, Prefeitura Municipal de São Carlos, Santa Casa da Misericórdia de São Carlos, Universidade Federal de São Carlos e Universidade de São Paulo. E, para que não se pense que esta ação é isolada, alguns exemplos registrados no passado estão aí para que ninguém se esqueça deles: o trabalho voluntarioso do Prof. Horácio Carlos Panepucci (USP), que construiu e doou à Santa Casada Misericórdia de São Carlos, em 1999, um aparelho de tomografia por ressonância magnética, bem como, mais recentemente, o desenvolvimento de novos diagnósticos e tratamentos de câncer, tratamentos para as dores resultantes de fibromialgia, Doença de Parkinson, artrites e artrose, só para mencionar alguns. Portanto, esta é uma grande ação global da sociedade para a sociedade, cada um fazendo o que pode para atender as pessoas necessitadas.

O Prof. Vanderlei Bagnato teve a oportunidade de afirmar, recentemente, que sendo são-carlense - nascido, criado e estudado - sempre torce para que os poderes da cidade - todos eles! - trabalhem em harmonia em prol da sociedade. Quanto à população, Bagnato sublinha que ela tem que entender que não existe maior patrimônio do que aquele que consegue juntar o conhecimento gerado nas universidades, institutos e polos tecnológicos, com lideranças com vontade política adequada para que soluções apareçam no sentido de resolver os problemas da própria sociedade.

(*) O autor é Jornalista profissional / Membro da GNS Press Association (Alemanha) / Correspondente internacional freelancer. MTB 66181/SP.

Esta coluna é uma peça de opinião e não necessariamente reflete a opinião do São Carlos Agora sobre o assunto.

Leia Também

Últimas Notícias