domingo, 23 de janeiro de 2022
Artigo Rui Sintra

São Carlos - Mortes no trânsito

26 Nov 2021 - 06h00Por (*) Rui Sintra
São Carlos - Mortes no trânsito -

Um levantamento recente feito pelo Detran.SP - e que o “Portal São Carlos Agora” noticiou -, indica que nos últimos seis anos jovens entre 18 e 24 anos foram as maiores vítimas do trânsito na região Central da cidade de São Carlos, totalizando 18% dos óbitos registrados - 199 mortes. Por outro lado e como é indicado no mesmo levantamento, se ampliarmos os limites de idade para 18 a 34 anos, no mesmo período, as fatalidades atingiram 38% dos óbitos registrados, ou seja, 421 mortes. São números impressionantes e que devem ser devidamente analisados, por forma a se encontrar alguma solução. Não é novidade para ninguém que a indisciplina no trânsito está intimamente ligada com o número de acidentes e o índice de mortes, principalmente em veículos de duas rodas - motas e motorizadas. Se o leitor se detiver um pouco para observar os fluxos de trânsito nas principais avenidas e ruas da cidade de São Carlos, com especial incidência (mas não só) nos finais de semana, irá verificar e constatar aquilo que estou abordando. Excessos de velocidade, manobras perigosas, completo desrespeito pela sinalização e exibicionismos suicidas em plena via pública, colocam em risco, quase permanentemente, todos quantos utilizam a mesma, inclusive pedestres. Muitos opinam que devia haver mais campanhas de sensibilização, algo com o qual estou de acordo, mas só isso não basta: é necessário haver uma fiscalização eficaz - que não existe - para disciplinar o trânsito e diminuir o índice de óbitos na nossa cidade. O poder público tem a obrigação de prover essa fiscalização, que em qualquer lugar no mundo contribui para a segurança de todos, atendendo a que a legislação já existe, principalmente via Código de Trânsito Brasileiro (CTB). Enquanto o poder público continua de braços cruzados perante algo que é de sua inteira competência e responsabilidade, resta-nos assistir, impotentes, ao grotesco desfile de quem usa a via pública para seu próprio deleite suicida/homicida, impelido por algum tipo de adrenalina que ainda está para ser estudado e com a perfeita consciência que está contribuindo para a lista de candidatos ao necrotério.

(*) O autor é Jornalista profissional / Membro da GNS Press Association (Alemanha) / Correspondente internacional freelancer. MTB 66181/SP.

Esta coluna é uma peça de opinião e não necessariamente reflete a opinião do São Carlos Agora sobre o assunto.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Últimas Notícias