Menu
segunda, 25 de outubro de 2021
Colunistas

QUALIDADE DE VIDA: Doenças do Sistema Musculoesquelético

20 Dez 2017 - 01h24Por (*) Paulo Rogério Gianlorenço
Foto: Divulgação - Foto: Divulgação -

Olá espero que todos os nossos leitores estejam gostando da nossa coluna semanal, Qualidade de Vida. O que esperamos é que nosso público esteja por dentro das doenças que nos afetam, assim proporcionando um melhor entendimento sobre o assunto publicado e por gentileza compartilhem e indiquem nosso site para que possam fazer as leituras sobre os diversos assuntos aqui descritos a todos. Na coluna desta semana levarei ao conhecimento de nosso público as doenças relacionadas ao nosso sistema esquelético, farei um apanhado das mais conhecidas e assim nas próximas colunas falarei mais de cada uma.

Nosso sistema esquelético proporciona um enquadramento para os músculos e ajuda na função básica do movimento. No entanto, devido à idade e vários outros fatores, os ossos tornam-se fracos e frágeis, e pode ficar afetado por algumas doenças comuns.

O corpo humano é composto por cerca de 206 ossos que protegem e preservam a forma dos tecidos moles do corpo, o  nosso sistema esquelético compreende ossos e cartilagem de controle da pressão interna direta que proporcionam pontos de estabilidade  para outros tecidos moles. Os ossos do nosso corpo são unidos uns aos outros através de ligamentos que são  tecidos duros conjuntivos e os músculos estão ligados aos ossos através de tendões, juntos, ambos os músculos e os ossos formam o sistema que nos ajuda a mover-se e executar nosso trabalho diário.

O sistema esquelético não só protegem os órgãos vitais tais como cérebro, medula espinhal, coração, pulmões, fígado, rins, etc., mas também atua como um reservatório de minerais tais como cálcio e fósforo que são fornecidos para várias partes do corpo através do sangue, no entanto, os ossos tornam-se fracos devido ao envelhecimento, maus hábitos alimentares, a deficiência de nutrientes e minerais ou de um acidente ou lesão anterior.

Devido ao risco de fraturas e doenças, também se aumenta o risco de danificar os ossos, doenças do sistema esquelético não são sós  dolorosas, mas também dificultam atividades simples tais como levantar um lápis do chão ou curvar-se para amarrar cadarços de sapatos  que se torna extremamente difícil. Infelizmente nem todo mundo dá a devida atenção ao fortalecimento ósseo e isso pode trazer graves problemas. Neste artigo vamos falar sobre a osteoporose, escoliose e muitas outras doenças ósseas! Vejam quais são as características de cada doença e esteja sempre atento para qualquer suspeita, visto que vários problemas podem ser tratados com mais eficiência quando diagnosticados logo no início.

Doenças do sistema muscular e esquelético.

Bursite: É uma desordem que causa dor nas articulações do corpo principalmente nas articulações do ombro e do quadril devido à hiperatividade de braço ou perna. Bursite ocorre principalmente devido à inflamação das bursas que são pequenas bolsas cheias de líquido que age como lubrificante das superfícies para que os músculos movam-se sobre os ossos.

Osteoporose:  De muitas doenças do sistema esquelético, a osteoporose é a doença mais comum que resulta devido à perda de tecido ósseo. É mais comum e observada em idosos e em mulheres, e ocorre devido à menor deposição de cálcio e fósforo nos ossos.

Entorse: É uma lesão extremamente dolorosa para um ligamento ou tecido que cobre um conjunto. É o resultado de  uma dor súbita que se estende ou lesões nos tecidos dos ligamentos e causa inchaço na área afetada.

Spina bífida: É um defeito da coluna vertebral que está presente no momento do parto. Nesta, a medula espinhal não se desenvolve corretamente e as vértebras e pele são incapazes de moldar-se em torno dela. Ela resulta de um erro no desenvolvimento do embrião devido à ingestão de álcool, medicamentos excessivos ou a exposição ao calor extremo um mês depois que uma mulher fica grávida.

Artrite: É uma desordem comum da articulação caracterizada pela inflamação das articulações, dor, inchaço, rigidez e ternura na parte inchada. Pode ocorrer devido ao envelhecimento, ferimentos, infecções, deficiência mineral ou fatores hereditários. A artrite é normalmente observada em pessoas idosas como a cartilagem que cobre as articulações (para proteger os ossos de ficar danificados ou rompidos devido ao atrito) não se desenvolve adequadamente.

Escoliose: É uma doença esquelética em que a coluna da pessoa se curva de um lado para outro em forma de "s". A desordem se torna evidente durante a adolescência e geralmente afeta mais as meninas do que os meninos.

Osteomielite: É uma infecção óssea causada devido à infecção pelas bactérias de Staphylococcus que são transportadas pelo sangue para os ossos de áreas infectadas. A osteomielite é caracterizada por dor intensa no osso infectado, febre, calafrios, náuseas e fraqueza.

Talipes eqüinovaros: Também chamado de pé torto, é uma das muitas doenças ósseas presentes no momento do nascimento. É um distúrbio no qual o pé é dobrado para baixo e para dentro e a pessoa pode andar apenas sobre os dedos ou, por vezes, o pé é dobrado para cima e para fora e a pessoa pode usar apenas o calcanhar para caminhar.

Tendinite: Também chamada de reumatismo é uma inflamação ou irritação do tendão que envolve rigidez ou dor nos músculos e articulações.

Raquitismo: É uma doença do sistema esquelético que faz as pernas arqueadas em crianças devido à deficiência de vitamina D e cálcio. Osteomalacia: É semelhante ao raquitismo porque é causada por um defeito no metabolismo da vitamina D pelo corpo, mas afeta principalmente adultos. É caracterizada por ossos enfraquecidos e formação óssea anormal. Seus sintomas são geralmente dor ou fraturas nos ossos e fraqueza. Essa doença é uma das Doenças Ósseas Mais Comuns, também pode ser tratada com uma boa alimentação e suplementação, além de banhos freqüentes de sol.

Cifose: Também conhecida como corcunda, é uma flexão para frente da coluna vertebral devido à deformação dos ossos na parte superior da coluna vertebral. Doenças que podem levar a cifose é a tuberculose, a sífilis e artrite reumatóide.

Poliomielite: Muitas vezes conhecida como paralisia infantil ou poliomielite, é uma infecção aguda causada por um vírus que pode atacar as células nervosas da medula espinhal e do cérebro, causando paralisia.

Hérnia de Disco: A hérnia de disco é uma lesão que ocorre com mais freqüência na região lombar. Essa doença é a que mais provoca dores nas costas e alterações de sensibilidade para coxa, perna e pé, Por isso ela é considerada uma das Doenças Ósseas Mais Comuns. Aproximadamente 80% das pessoas vão experimentar a dor lombar em algum momento de suas vidas. A localização mais comum da hérnia de disco lombar é no disco que fica entre a quarta e quinta vértebra lombar (L4/L5) e no disco que fica entre a quinta vértebra e o sacro (L5/S1).

Lesão Meniscal: O joelho é uma articulação complexa que sofre flexão, extensão, rotação lateral e permite movimentos em 7 eixos. Os meniscos são essenciais para a biomecânica normal da articulação do joelho, agindo como lubrificadores, estabilizadores, amortecedores e distribuidores de carga dentro da articulação. Eles são cunhas semilunares móveis de fibrocartilagem, convexo na superfície femoral e plana no platô tibial.

Displasia Fibrosa: A displasia fibrosa é uma das Doenças Ósseas Mais Comuns que resulta em crescimento excessivo do osso ou inchaço devido ao desenvolvimento anormal de células. Existem vários tipos de displasia fibrosa, que afetam principalmente os ossos do crânio, face, costelas, braços, pélvis, coxas e canelas.

Doença de Paget: A doença de Paget é uma desordem das células chamadas osteoblastos e osteoclastos, que são responsáveis ??pela quebra e reconstrução do tecido ósseo. Essa condição faz com que os ossos se tornem mais espessos, mas também mais frágeis, em razão do desenvolvimento estrutural anormal.

Estes foram os distúrbios que podem ocorrer em pessoas de todas as faixas etárias. No entanto, seguindo uma dieta saudável enriquecida com vitaminas e minerais, inclusivamente a sustentação de peso, atividades de baixo impacto em nossa rotina diária de exercícios podem manter os ossos fortes e saudáveis. Em caso de suspeita de qualquer doença citada neste artigo, o mais indicado é buscar a orientação médica e realizar uma avaliação detalhada para conseguir um diagnóstico mais preciso.

O autor é graduado em Fisioterapia pela Universidade Paulista Crefito-3/243875-f Especialista em Fisioterapia Geriátrica pela Universidade de São Carlos e Ortopedia. Dúvidas e sugestões: paulinhok10@hotmail.com / Facebook Paulinho Rogério Gianlorenço.

Esta coluna é uma peça de opinião e não necessariamente reflete a opinião do São Carlos Agora sobre o assunto.

Comments system Cackle

Leia Também

Últimas Notícias