Menu
quinta, 27 de junho de 2019
Qualidade de Vida

Psoríase

30 Mai 2019 - 07h00Por (*) Paulo Rogério Gianlorenço
Psoríase -

psoríase é uma doença de pele bastante comum, que se caracteriza por lesões avermelhadas e descamativas, normalmente em placas. Essas placas aparecem com maior freqüência no couro cabeludo, cotovelos e joelhos, mas pés, mãos, unhas e a região genital também podem ser afetadas, a extensão da psoríase varia de pequenas lesões localizadas até o comprometimento de toda a pele.

A psoríase é uma doença crônica e autoimune em que o organismo se ataca ele mesmo, não contagiosa e que pode ser recorrente, tem gravidade variável, podendo apresentar desde formas leves e facilmente tratáveis até casos muito extensos, que levam à incapacidade física, acometendo também as articulações. De acordo com o Hospital Israelita Albert Einstein mais de dois milhões novos casos é constatado a cada ano só, Embora sua causa não seja completamente esclarecida, é possível que esteja relacionada ao sistema imunológico e à predisposição genética (herdada de gerações passadas em que familiares trazem DNA) se alguém da sua família tem, as chances de você desenvolver são grandes.

A Dra. Vanessa Metz, do Rio de Janeiro, esclarece como as lesões surgem na pele: “O sistema inflamatório acelera a renovação celular. Se normalmente a pele se renova a cada 10 dias, em pacientes com este quadro isso fica tão acelerado que a renovação e a descamação não passam despercebidas”, detalhou.

É cíclica, ou seja, apresenta sintomas que desaparecem e reaparecem periodicamente. Esse ciclo faz com que ambas as células mortas não consigam ser eliminadas eficientemente, formando manchas espessas e escamosas na pele, essa cadeia só é quebrada com tratamento.

Os sintomas variam de paciente para paciente, conforme o tipo da doença, a Psoríase se apresenta em vários tipos que irei descrever na próxima coluna publicada no site São Carlos Agora.

Os sintomas são: Manchas vermelhas com escamas secas esbranquiçadas ou prateadas, pequenas manchas brancas ou escuras residuais pós lesões, Pele ressecada e rachada, às vezes com sangramento, Coceira, queimação e dor, Unhas grossas, sulcadas, descoladas e com depressões puntiformes, Inchaço e rigidez nas articulações, Placas e descamações no couro cabeludo, cotovelos e joelhos.

O especialista que pode diagnosticar a psoríase é o dermatologista. O diagnóstico da psoríase é clínico, em que o médico faz um exame físico, analisando os aspectos da pele, unhas e couro cabeludo, e verificando se os sintomas realmente representam psoríase, também se pode pedir para o paciente fazer uma biópsia da pele afetada para confirmar o diagnóstico, estar preparado para a consulta pode facilitar o diagnóstico e otimizar tempo, você já pode chegar ao consultório com algumas informações e levar suas dúvidas para o consultório por escrito, começando pela mais importante com isso você garante que conseguirá respostas para todas as perguntas relevantes antes da consulta terminar.

Existem diversos tipos de tratamento para psoríase, mas todos têm pelo menos um dos seguintes objetivos, Reduzir a inflamação e formação das placas, fazendo com que as células da pele parem de crescer tão rapidamente, Regular e normalizar a aparência da pele.

Existem três opções de tratamento; tópico (cremes e pomadas), sistêmico e por fototerapia, o médico indicará qual o melhor tratamento. Normalmente é possível tratar pacientes que apresentam uma forma leve de psoríase, com pequenas e poucas lesões cutâneas, sem comprometimento das articulações, com medicações tópicas, além de orientações sobre os benefícios dos hidratantes e da exposição solar (leve e protegida) na psoríase, já os pacientes que apresentam formas de psoríase mais grave freqüentemente necessitam de medicamentos sistêmicos, que são os de uso via oral, subcutâneo, intramuscular, ou intravenoso, para o controle da doença.

Na fototerapia, que é um procedimento no qual a pele é cuidadosamente exposta à luz ultravioleta, ou a PUVA terapia, que é a utilização de psoralênicos mais fototerapia com ultravioleta A. A fototerapia para psoríase pode ser aplicada com luz ultravioleta A (UVA) ou ultravioleta B (UVB).

A psoríase pode ter um impacto significativo na qualidade de vida e na autoestima do paciente, o que pode piorar o quadro, o acompanhamento psicológico é indicado em alguns casos, fatores que impulsionam a melhora e até o desaparecimento dos sintomas são uma alimentação balanceada e a prática de atividade física.

O paciente nunca deve interromper o tratamento prescrito sem autorização do médico. Esta atitude pode piorar a psoríase e agravar a situação, um estilo de vida saudável pode ajudar na diminuição da progressão ou melhora da psoríase.

O autor é graduado em Fisioterapia pela Universidade Paulista Crefito-3/243875-f Especialista em Fisioterapia Geriátrica pela Universidade de São Carlos e Ortopedia, atua em São Carlos.

Esta coluna é uma peça de opinião e não necessariamente reflete a opinião do São Carlos Agora sobre o assunto.

comments powered by Disqus

Leia Também

Últimas Notícias