segunda, 17 de janeiro de 2022
Saúde Emocional com Tatiana Carlino

Por que algumas pessoas ficam deprimidas no final de ano?

21 Dez 2021 - 16h53Por Tatiana Carlino
Por que algumas pessoas ficam deprimidas no final de ano? - Crédito: arquivo pessoal Crédito: arquivo pessoal
As festividades de fim de ano geralmente representam uma época de diversão e celebração, mas para muitas pessoas isso nem sempre acontece. Enquanto a depressão doença pode acontecer em qualquer momento do ano, o estresse, a ansiedade e o estado depressivo atingem inúmeras pessoas nestes períodos de final de ano, provocando uma sensação de solidão e vazio.
 
Existe um detalhe que é o trabalho intenso das mídias durante o período de festas, destacando imagens e situações felizes e satisfeitas de forma exagerada – para não dizer forçada. As pessoas podem começar a questionar a qualidade da sua vida, e seus relacionamentos. A exibição constante de momentos felizes dos outros pode servir como um lembrete doloroso da felicidade e de amor que está faltando em nossas próprias vidas. Por esta razão, o mês de dezembro pode ser uma época particularmente difícil do ano para aqueles que lidam com conflitos familiares, perda, rompimento, divórcio, solidão e problemas de saúde mental.
 
Ainda temos as apresentações de comemorações e eventos em família estilo “comercial de margarina” que presenciamos tanto na mídia quanto nas redes sociais, sendo fatores que podem desencadear ou agravar o sentimento deprimido, e estado emocional negativo.
 
O isolamento social é um dos maiores preditores da depressão, especialmente durante as festas de final de ano. Pessoas que estão sozinhas ou que têm sentimentos de desconexão muitas vezes evitam interações sociais nesta época. Infelizmente, tal afastamento muitas vezes agrava os sentimentos de solidão e os sintomas de depressão.
Esses indivíduos podem ver outras pessoas passando o tempo com a família ou divertindo-se com amigos (principalmente nos dias de hoje, com a exposição excessiva da vida alheia) e se perguntam: “Por que não pode ser eu?” ou “Por que todo mundo é mais feliz do que eu?”.
Neste caso, a melhor solução é procurar interagir com outras pessoas, por mais difícil que isso possa parecer. É preciso encarar a solidão assim como encaramos a sede: procuramos inverter o quadro com uma atitude contrária à situação.
 
Veja a seguir, alguns fatores que causam tristeza no fim do ano e como lidar com eles:
 
1) CORRERIA
 
Existe um curto período de tempo para organizar festas, reunir os familiares e finalizar as mais diversas obrigações. E por mais que o estresse possa ser um fator motivador para algumas pessoas, há também aqueles que sentem estar carregando um fardo diante de tantos compromissos. Com isso, a expectativa de esperança e sonhos acaba se tornando um algo pessimista e negativo. As ocupações com as festividades produzem sentimentos negativos que desencadeiam ansiedade, angústia e depressão, sendo o estresse a fonte de todos esses males.
Para lidar melhor com o problema, é recomendável que não façamos as coisas de última hora, e aprendamos a delegar e pedir ajuda. Programe-se, faça uma lista de coisas para fazer de acordo com suas prioridades.
 
 
2) O PASSADO
 
Durante o fim do ano, não é apenas o presente que pode causar aflições. As experiências negativas do passado também exercem influência sobre a forma que nos sentimos. Alguns se sentem depressivos por não terem mais seus entes queridos, fator que desencadeia lembranças e, consequentemente, tristeza e melancolia. Outras pessoas terminaram relacionamentos, entre diversas outras situações tristes e traumáticas. 
O ideal neste momento é estar cercado de pessoas que gostamos, aumentando a interação com elas o máximo possível. Seja um amigo, um namorado ou um vizinho, é importante estar ao lado de companhias agradáveis.
 
 
3) PAIS DIVORCIADOS
 
Quando temos pais separados, saber com quem passar as datas comemorativas pode acabar desencadeando desconforto e até mesmo ansiedade. Para contornar a situação, podemos entender que os pais estejam preparados para dialogar sobre a situação de forma aberta com os filhos, sem supervalorizar ou vitimizar a questão.
Em casos de relações amigáveis, o ideal é deixar o cronograma preparado com vários meses de antecedência. Pode-se determinar em quais dias ocorrerá a viagem, em que festas a criança estará presente, entre outros combinados para evitar estresse. Há casos em que o ex-casal viaja para o mesmo destino e permanece em hotéis separados, assim as crianças podem dividir o tempo entre os pais.
 
 
4) AUTO COBRANÇA E COBRANÇAS EXTERNAS
 
É comum que no fim do ano, as pessoas comecem a fazer uma avaliação de tudo que as cerca. Com isso, podem surgir novas cobranças de ordem familiar, religiosa, profissional ou até mesmo internas.
 
As cobranças internas são formadas por metas que não fomos capazes de realizar. Todos estes fatores podem gerar uma crise. Entretanto, há formas de reduzir o mal-estar que isso causa.
 
Conhecer nossos próprios limites é um caminho para que sejamos mais gentis com nós mesmos. Tendo um maior autoconhecimento, conseguimos equilibrar o dia a dia, trabalhando a mente para sofrer uma menor influência de pressões e cobranças. Trabalhar nossa mente, em muitas vezes pode ser simplesmente “planejamento e disciplina”. Tendo foco em nós mesmos, é possível direcionar esforços para o que é prioritário, evitando desperdício de tempo e desgaste emocional.
 
5) SE ABRA PARA O NOVO
 
O final do ano é o momento de tentar superar o passado. "Como afirma Freud, o passado existe para ser ultrapassado. Portanto, esqueça as mágoas de infância que podem estar reprimidas em seu subconsciente". Na terapia passado e traumas são trabalhados de forma muito importante, para que as emoções e limitações sejam libertadas (ressignificar).
 
Ao ponderar os aspectos positivos e negativos de nossas vidas, meditar e alimentar o otimismo, é possível acreditar que o ano que está por vir será melhor. Use as datas comemorativas como uma nova chance de solucionar frustrações do passado que ocorreram nesta época ou em torno dela, pois dessa forma talvez você veja essas datas comemorativas de uma forma diferente.
 
É importante estar dispostos a nos auto analisar, alterando comportamentos prejudiciais.
 
6) FAÇA TERAPIA
 
Se apesar dos esforços você se encontra deprimido, ansioso ou com sintomas físicos como dificuldades para dormir, irritabilidade e aperto no peito, é preciso procurar ajuda profissional para reverter o quadro de Ansiedade ou depressão. Procure ajuda profissional, a terapia pode ser muito valioso para que seja possível superar de vez essa sensação tão angustiante que custa a passar.
 
Não deixe que as festas de fim de ano sejam desagradáveis e traumáticas. Ao invés disso, procure prevenir a depressão ao reconhecer os gatilhos que disparam a tristeza nessa época do ano e contorne a situação de forma planejada e sistemática.
 
A sua saúde física e emocional agradece!
tatianacarlino

Leia Também

Últimas Notícias