Menu
sábado, 25 de maio de 2019
Dia a Dia no Divã

Orientação Profissional

29 Abr 2019 - 07h00Por (*) Bianca Gianlorenço
Orientação Profissional -

No decorrer de nossas vidas apresentamos dificuldades em tomar decisões e realizar escolhas, pois nossas opções também determinam quem somos e quem seremos futuramente. E a principal pergunta que nos acompanha e atormenta em nosso desenvolvimento é: O que eu vou ser quando crescer?

 Passamos nossas vidas sendo determinados, minha mãe quer que eu seja medico, mas meu pai acha que levo jeito para ser advogado e conforme vamos atingindo a maioridade a dificuldade em tomar esta decisão aumenta, pois surgem outras opiniões: professores, familiares no geral, amigos e colegas.

Este é um dos principais motivos do aumento pela procura do auxílio do psicólogo na escolha profissional, desde jovens recém formados no ensino médio, que apresentam duvidas em optar pela área profissional que pretendem atuar, à profissionais que após anos descobriram-se insatisfeitos com sua escolha profissional e buscam auxilio para optarem e se restabelecerem em uma nova área de atuação.

Por tanto devido a esta busca por auxilio e autoconhecimento a Orientação Profissional, também conhecida como Orientação Vocacional, veem apresentando-se constante na atuação do psicólogo, porém muitos profissionais apresentam dificuldades em conhecer e utilizar os instrumentos direcionados a esta orientação. O objetivo é pontuar a estrutura dos encontros voltados para a Orientação Profissional, auxiliar o profissional ou interessados em buscar por esse serviço, a compreender os instrumentos que são utilizados quais as suas funções e relevâncias nos atendimentos.

O trabalho de Orientação Profissional é composto de aproximadamente 8 à 12 encontros, semanais no período de 50 minutos, tem como objetivo auxiliar no autoconhecimento do paciente e auxiliá-lo na escolha profissional. No decorrer dos encontros serão utilizados os seguintes instrumentos: entrevistas, atividades direcionadas/lúdicas e testes psicológicos.

Esses instrumentos são de fundamental importância no decorrer do processo pois através dos instrumentos o psicólogo realizara o levantamento das informações necessárias para auxiliar no norteamento da escolha profissional, é importante ressaltar também que os instrumentos podem variar de acordo com o paciente e o seu objetivo ao buscar a orientação.

Os instrumentos frequentemente utilizados são os testes psicológicos, devido a tratarem-se de mecanismos padronizados e fidedignos, que proporcionam resultados que fortalecem e comprovam os resultados obtidos com os demais instrumentos.

Logo se surgirem dificuldades no processo vocacional o psicólogo deve atentar-se para os conflitos internos e que devem ser elaborados no processo terapêutico, cabe por tanto ao psicólogo realizar o encaminhamento do paciente para o atendimento terapêutico e futuramente concluir a orientação, pois conflitos internos dificultam o autoconhecimento e a escolha profissional.

O psicólogo pode optar pela utilização da quantidade de testes que julgar necessário no decorrer dos encontros e ao finalizar o levantamento ele fornecerá ao paciente direções/opções de profissões embasadas nas opções apresentadas no início e nos resultados obtidos através da utilização de todos os instrumentos. A Orientação Profissional não determina uma opção e nem fornece uma resposta pronta, ela auxilia nas escolhas das opções e proporciona direções.

Lembrando que a aplicação de testes psicológicos é uma prática exclusiva dos psicólogos, portanto, certifique-se sobre o profissional que fará a orientação!

(*) A autora é graduada em Psicologia pela Universidade Paulista. CRP:06/113629, especialista em Psicologia Clínica Psicanalítica pela Universidade Salesianos de São Paulo e Psicanalista. Atua como psicóloga clínica.

Esta coluna é uma peça de opinião e não necessariamente reflete a opinião do São Carlos Agora sobre o assunto.

comments powered by Disqus

Leia Também

Últimas Notícias