segunda, 15 de agosto de 2022
Artigo Rui Sintra

O receio pelo surgimento de um novo vírus

29 Jul 2022 - 06h00Por (*) Rui Sintra
O receio pelo surgimento de um novo vírus -

Até meados de 2019 pouca importância se deu às (poucas e resumidas) notícias sobre o surgimento de vírus, ou a proliferação de doenças, pois na maioria das vezes tudo isso aconteceu bem longe de nós e sem interferir no nosso cotidiano. Até que apareceu a COVID-19, com origem na China, e que mudou o mundo, sendo que a partir daí a sociedade começou a ficar mais atenta às novidades e aos desenvolvimentos científicos relacionados com o combate a esse vírus e suas mutações e, claro,  ao surgimento de novas doenças, mesmo que o epicentro delas seja bem distante de nós. Sem querer causar alarme, mas não prejudicando a disseminação da informação pública, que é devida, a Organização Mundial de Saúde (OMS) anunciou no dia 17 deste mês um surto relacionado com o vírus Marburg, em África, no Gana, que originou as duas primeiras mortes e colocou em estado de alerta as autoridades daquele continente, com o receio de que esse vírus possa sair do controle, já que é ainda indeterminado o número de infectados.

Transmitido por morcegos frugíveros (que se alimentam principalmente de frutas), o vírus Marburg é uma febre hemorrágica viral extremamente contagiosa, da mesma família do terrível vírus Ebola, espalhando-se entre os humanos através do contato direto com os fluidos corporais de pessoas, superfícies e materiais infectados. Os sintomas começam de forma repentina, com febre alta, dor de cabeça intensa e mal-estar, desenvolvendo, na maioria dos casos, hemorragias graves num período de sete dias. Este é o segundo surto do vírus Marburg em África, havendo registros anteriores na Guiné, Angola, República Democrática do Congo, Quênia, África do Sul e Uganda. A OMS já iniciou protocolos com tratamentos potenciais, incluindo produtos sanguíneos, terapias imunológicas e terapias medicamentosas, bem como o desenvolvimento de vacinas.

Embora continuemos na senda de voltar com nossas atividades sociais à normalidade, o certo é que devemos estar sempre atentos ao que acontece não só no nosso País, como no mundo, tendo como base as notícias veiculadas por fontes seguras, neste caso relacionadas com saúde, sendo que é a partir delas que podemos nos prevenir e agir. Volta à ribalta a necessidade de termos todos a devida noção da importância do desenvolvimento da ciência e da tecnologia que se fazem por cá e no exterior. Vamos ficar de olho... Pela nossa saúde!!

O autor é jornalista profissional / correspondente para a Europa pela GNS Press Association  / EUCJ - European Chamber of Journalists / European News Agency) - MTB 66181/SP.

Esta coluna é uma peça de opinião e não necessariamente reflete a opinião do São Carlos Agora sobre o assunto.

Leia Também

Últimas Notícias