Menu
sexta, 03 de dezembro de 2021
Qualidade de Vida

Melhor Idade

28 Mar 2019 - 06h50Por (*) Paulo Rogério Gianlorenço
Melhor Idade -

O que é uma pessoa da 3ª idade? De que forma essas pessoas são diferentes? Quais suas necessidades?

Segundo a Organização Mundial Da Saúde, a expressão Terceira Idade é um referencial cronológico e que envolve todas as pessoas que ultrapassam os 60 anos de idade.

O processo de envelhecimento começa desde a concepção, então a velhice, é um processo dinâmico e progressivo em que há modificações tantos morfológicas como funcionais, bioquímicas e psicológicas que determinam a progressiva perda da capacidade de adaptação ao meio ambiente, ocasionado uma maior incidência de processos patológicos. Sabe - se que o processo de envelhecimento é acompanhado por uma série de alterações fisiológicas ocorridas no organismo, bem como pelo surgimento de doenças crónico - degenerativas advindas de hábitos de vida inadequados, Tabagismo; Ingestão alimentar incorreta; Tipo de atividade laboral, ausência de atividade física regular.

Na medida em que envelhecemos, é natural que ocorra um declínio das funcionalidades físicas e mentais em nosso organismo. Porém, em alguns casos, essas mudanças podem provocar problemas que afetam a capacidade de executar atividades do dia-a-dia, reduzindo a sociabilidade e contribuindo para o surgimento de patologias como a depressão.

Por isso, muito tem se falado em qualidade de vida em todas as fases, para que o processo de envelhecer seja o mais saudável possível. Sendo assim, muitas áreas se aperfeiçoaram e ampliaram-se, afim de trazer novos conceitos e técnicas quando o assunto é envelhecer, a Fisioterapia Geriátrica foi uma delas, que busca estudos constantes para compreender e melhorar a qualidade de vida de nossos idosos.

Por ser uma ciência em constante crescimento e desenvolvimento, a fisioterapia geriátrica tem trazido grandes novidades no que tange ao entendimento desse processo natural na vida de cada indivíduo. Quanto à atuação, a mesma busca reabilitar, prevenir e manter a funcionalidade do idoso em sua amplitude.

As técnicas utilizadas para a estimulação dos idosos incluem exercícios ativos que buscam a manutenção do equilíbrio (sendo esse o principal fator de acometimento e desenvolvimento de patologias devido ao grande risco de quedas nessa faixa etária) e da funcionalidade como um todo.

A capacidade funcional na dimensão motora é uma das características mais enfatizadas no processo de envelhecimento. A perda da capacidade associa-se à predição de fragilidade, dependência, institucionalização, risco de quedas, morte e problemas de mobilidade que são percebidos ao longo do tempo, a fisioterapia também tem atividade constante em idosos que já apresentem alterações funcionais, patologias ortopédicas, traumáticas, neurológicas, cardiorrespiratórias, ou quando o mesmo já se apresenta em fase terminal pela senilidade ou por patologias.

Dependendo de cada caso, a fisioterapia pode ser realizada em clínicas, instituições de longa permanência, hospitais e domiciliar, para que o acesso à mesma seja facilitado, possibilitando que o idoso tenha acesso ao recurso que promoverá sua melhora. Devido ao grande desenvolvimento, tem-se ampliado o acesso ao atendimento fisioterapêutico geriátrico, trazendo as mais diversas técnicas dentro da cinesioterapia, técnicas de mobilização, eletroterapia (analgesia quando necessário), além da recomendação da prática de atividade física assistida afim de ampliar os ganhos que a fisioterapia preconiza e como forma de manutenção do tratamento anteriormente iniciado.

Em virtude desses aspectos, acredita - se que a participação do idoso em programas de exercício físico regular poderá influenciar no processo de envelhecimento, com impacto sobre: A qualidade e expectativa de vida; Melhoria das funções orgânicas, garantia de maior independência pessoal; Um efeito benéfico no controle, tratamento e prevenção de doenças como: Diabetes, enfermidades cardíacas, hipertensão, arteriosclerose, varizes, enfermidades respiratórias, artrose, distúrbios mentais, artrite e dores crônica. Envelhecer não significa declínio físico. No entanto estão associadas alterações físicas e psíquicas: Diminuição da capacidade de memorizar, Diminuição da massa muscular; Aumento da massa adiposa; Diminuição do metabolismo; Os níveis hormonais baixam; Padrões de sono alteram-se; Os reflexos tornam-se mais lentos.

VELHICE- DOENÇA- AMBIENTE- Exercem efeitos sobre a capacidade motora do idoso.

INDIVIDUALIDADE- Cada idoso é diferente do outro, principalmente, sob o ponto de vista, funcional.

O objetivo Principal da Fisioterapia é: Melhorar a qualidade de vida, Promovendo o máximo de capacidade funcional e independência física e mental possível ao Paciente Idoso.

Retardar ao máximo a imobilidade, Melhorar a flexibilidade, Melhorar a capacidade cárdio-respiratória, Melhorar a postura, Restaurar a força muscular, para manutenção de suas atividades diárias, Promover a socialização e o lazer, Trabalhar a independência funcional, Melhora da cognição, Aumento da massa óssea, Diminuição do tecido adiposo, Melhora do humor, Ganhar ou manter ADM.

Os Mecanismos usados na Fisioterapia, para ter um Ótimo Resultado na Prevenção de Patologias Geriátricas são, Cinesioterapia, Hidroterapia, Alongamentos, Exercícios Físicos, Respiratórios, Caminhadas, Atividades de Raciocínio, Orientações aos Pacientes e Familiares, Fortalecimento de grupos musculares, Mobilidade de Articulações, Exercícios em Grupos Para Integração Social.

“Nenhuma doença tem um efeito tão devastador como a solidão e a inatividade.”

O autor é graduado em Fisioterapia pela Universidade Paulista Crefito-3/243875-f Especialista em Fisioterapia Geriátrica pela Universidade de São Carlos e Ortopedia, atua em São Carlos.

Esta coluna é uma peça de opinião e não necessariamente reflete a opinião do São Carlos Agora sobre o assunto.

Comments system Cackle

Leia Também

Últimas Notícias