Menu
segunda, 21 de junho de 2021
Resplandecente Alma

Janeiro Branco: Todo Cuidado Conta!

29 Jan 2021 - 15h57Por Anaísa Mazari
Janeiro Branco: Todo Cuidado Conta! -

A exemplo de campanhas comoSetembro Amarelo, Outubro Rosa e Novembro Azul, acontece em Janeiro a campanha Janeiro Branco. Criada em 2014 pelo psicólogo Leonardo Abrahão de Uberlândia – MG, a campanha coloca em evidência a saúde mental, trabalhando para conscientização e sensibilização para os cuidados cotidianos contributivos para o bem-estar emocional. A cor branca inspira para a possibilidade de novas organizações da rotina, das relações sociais, do cotidiano, hábitos, projetos de vida, para os quais culturalmente estamos mais sensíveis nos inícios de ano, como símbolo de entrada para novos ciclos. Um novo ano é como se fosse uma folha branca de papel onde podemos recomeçar a escrever a nova etapa de nossa história, o que pode ser realizado com intenções mais saudáveis para a construção de uma vida com muito mais qualidade.

O tema da Campanha em 2021 é Por uma Cultura da Saúde Mental – Todo Cuidado Conta! Muito relevante pensar e agir acerca da questão, uma vez que em torno da Saúde Mental, geralmente gravitam ainda maciços tabus que levam a estigmas que necessitam urgentemente de desconstrução. Por mais que se reconheça os avanços históricos relacionados à compreensão da saúde mental e da importância de seus cuidados ao longo das últimas décadas, os adoecimentos, as formas de lidar com as emoções e sentimentos, as dificuldades inerentes à trajetória existencial e suas demandas, que, diga-se de passagem, pertencem a todos nós, costumam ocupar um lugar muitas vezes coadjuvante na gama de nossas muitas preocupações e responsabilidades. A Saúde Mental, muitas vezes, torna-se objeto de cuidado ou “rouba a cena” apenas quando quadros clínicos, transtornos mentais leves, moderados ou graves se instalam comprometendo a qualidade de vida de forma significativa. Mesmo nesses casos, ainda são observadas esquivas consideráveis na busca dos tratamentos necessários. No imaginário de muitos ainda é feita a relação de que a busca por profissionais especializados como psicólogos, terapeutas ocupacionais ou psiquiatras,está atrelada à loucura – quando na verdade, assim como a saúde geral, saúde mental deveria merecer cuidados constantes para a manutenção de modos de vidamuito mais satisfatórios. Estender a conscientização para a Saúde Mental para a humanidade toda, visa criar um macrossistema saudável emocionalmente, com benefícios relevantes para a trajetória de todos. Inclusive um dos objetivos da Campanha também é inspirar para a compreensão de que qualquer pessoa pode ser agente de saúde mental para a vida de qualquer pessoa no contexto comunitário.

Todo Cuidado Conta! E como é importante essa visão do quanto o conceito ampliado de saúde abrange para a atenção a aspectos que vão muito além da ausência de doenças. Ou seja, cuidar da saúde mental não significa apenas procurar profissionais especializados quando sentimos que algo não vai bem. É importante o provimento de cuidados quando a necessidade é identificada, porém nossa responsabilidade é maior e deve ser exercida de forma contínua quando passamos a estar atentos aos modos de vida, aos hábitos, à importância de encontrar caminhos e estratégias cotidianas para uma rotina imbuída de possibilidades de lazer, boas relações sociais e familiares, autocuidado físico e emocional, prática de coisas aprazíveis.Ou seja, adoecimentos emocionais podem ser prevenidos através de um dia a dia saudável que passa a ser possível a partir do instante em que estamos conscientes da importância desses cuidados entrelaçados para uma boa qualidade de vida. Da mesma forma o entorno, a comunidade, as condições gerais de vida também estão relacionadas a aspectos favoráveis ou não para uma boa saúde mental. Algo para muito além das reflexões e atribuições do setor Saúde, devendo também estar presente nos diversos outros setores como educação, saneamento, habitação, esporte e lazer, cultura etc. O compromisso para com a Cultura da Saúde Mental para a humanidade deve ser global.

Ressalta-se ainda que a Campanha Janeiro Branco também provoca reflexões e chama a atenção das autoridades para a importância da construção, aprimoramento e execução adequada de Políticas Públicas que viabilizem o cuidado em Saúde Mental para muito além de serviços terapêuticos. As necessidades são promover melhorias nos serviços existentes que apresentam lacunas importantes desde a ausência ou escassez de profissionais até a promoção e oferta de atividades e recursos comunitários de demais setores que viabilizem a saúde mental de forma preventiva. A sensibilização para a importância da Cultura da Saúde Mental também deve estar nos ambientes de trabalho, na valorização dos profissionais e de seus respectivos saberes e fazeres, nas condições de trabalho,na promoção de climas organizacionais saudáveis e positivos,estabelecimento e fortalecimento da confiança, respeito e igualdade de direitos entre os funcionários. Nas empresas,assim como nos equipamentos públicos, ou seja, em qualquer instituição social.

O Conselho Federal de Psicologia, a partir do Janeiro Branco, propõe pensar a Saúde Mental e sua indiscutível relevância de janeiro a janeiro – Saúde Mental se debate o ano inteiro. De fato, principalmente considerando os impactos no contexto da pandemia, reconhecer a importância do cuidado em saúde mental desde a parte preventiva até as necessidades terapêuticas que precisarão ser atendidas e até mesmo pensar em relações mais humanizadas para o atravessamento desses difíceis momentos se tornam imperativos.Para maiores informações sobre o Janeiro Branco acesse janeirobranco.com.br.

Seguem algumas orientações básicas para o autocuidado em saúde mental:

- Separe um tempo na rotina para si mesmo (a) para fazer o que gosta de forma leve e descompromissada. Por você e para você. Ler um livro, expressar-se artisticamente, ver séries, filmes, meditar, relaxar. Sendo algo prazeroso e que faça sentido, está valendo.

- Pratique atividades físicas. Quando o corpo se movimenta, diversos hormônios são liberados, assim como são estimuladas conexões neurofisiológicas também relacionadas à sensação de prazer e bem-estar.

- Cultive bons relacionamentos e fortaleça bons vínculos.Faça sempre a sua parte para promover a Cultura da Saúde Mental através da gentileza, empatia, responsabilidade afetiva, reciprocidade. 

- Da mesma forma, evite relações tóxicas. Imponha os limites necessários e aprenda a se proteger nos vínculos que, algumas vezes, não podem ser rompidos. Mas saiba se posicionar nessas relações para não comprometer sua saúde mental.

- Fortaleça seu amor próprio. Fica muito mais difícil cuidar quando a gente não ama... amar-se é basicamente um motor para o autocuidado e para que este seja praticado com sucesso.

- Revisite sempre que necessário seu projeto de vida. Ao longo da trajetória vamos nos transformando. E pode ser que novos desejos, aptidões e vontades surjam. Nada melhor do que a motivação para coisas novas para recarregar as energias e trazer novos sentidos para acordar – e realizar – todos os dias. 

- Cure-se. A vida às vezes machuca sim e precisamos ser muito gentis para com nossas próprias feridas e necessidades. Nossas relações agradecem!


 

 

 

 

 

Comments system Cackle

Leia Também

Últimas Notícias