Menu
terça, 26 de maio de 2020
Qualidade de Vida

Espondilolistese (escorregamento de uma vértebra sobre a outra vértebra)

30 Mai 2018 - 05h32Por (*) Paulo Rogério Gianlorenço
Espondilolistese (escorregamento de uma vértebra sobre a outra vértebra) -

As complicações na coluna podem variar desde disfunções ósseas até complicações com músculos, nervos e ligamentos, o tratamento deve ser feito sempre com orientação médica e com cuidado, pois se trata de uma área de extrema importância, que oferece mobilidade e capacidade de movimento ao corpo. Complicações nessa área do corpo podem trazer além de muita dor e desconforto, prejuízos ao bom funcionamento do corpo em funções de membros superiores, inferiores e quadril, pois muitas das vezes obrigam outras articulações a trabalharem mais ou menos do que o necessário, dependendo de cada caso.

A Espondilolistese é uma doença da coluna na qual uma vértebra escorrega sobre a vértebra que se encontra abaixo, provocando o desalinhamento e causando instabilidade na coluna vertebral. O termo Espondilolistese é usado para descrever várias doenças da coluna onde uma vértebra escorrega saindo do alinhamento normal com a outra vértebra.

Muitas vezes esse deslocamento é de uma magnitude que acaba gerando uma compressão da cauda eqüina ou nervos espinhais, gerando sintomas radiculares irradiados para os membros inferiores, causando dor.

SINTOMAS: No geral, os pacientes sentem dor crônica na região, causada pela constante tensão dos músculos a dor se irradia para as nádegas e membros inferiores, causando alteração sensorial motora (dormência ou formigamento), aumento da lordose lombar, tensões e espasmos nos músculos posteriores da coxa, bíceps femoral, dor ciática, alterações na marcha, Citalgia – irradiação da dor para a perna, perda de força, sensação de peso nas pernas e dormência dos membros inferiores.

Além disso, o atrito de uma vértebra sobre a outra pode levar ao desgaste do disco vertebral podendo levar a uma hérnia de disco ou estenose de canal.

DIAGNOSTICO: Radiografia da coluna, uma panorâmica da coluna, Tomografia computadorizada  solicitada para melhor avaliação da lesão, Ressonância magnética lombar necessária quando o paciente apresenta déficit neurológico associado ou dor irradiada para membros inferiores, possibilitando uma melhor avaliação das estruturas comprimidas e cintilografia óssea para avaliar a consolidação.

Existem cinco causas que levam a Espondilolistese:

Istímica: Fratura por stress.

Degenerativa: o escorregamento ocorre por uma alteração degenerativa das facetas articulares que evoluem com uma frouxidão e perda da sustentação do alinhamento da coluna vertebral.

Congênita: Alterações importantes na coluna vertebral propiciando o escorregamento da coluna vertebral.

Tumor e infecções: Causando destruição em alguma estrutura da coluna vertebral propiciando o escorregamento.

Traumática: decorrente de algum tipo de trauma na coluna vertebral.

TRATAMENTO

O Conservador é através da Fisioterapia visando o fortalecimento da musculatura do tronco (abdominal, oblíquo e musculatura das costas), diariamente esses exercícios devem ser realizados e estabilização da região afetada, RPG E PILATES este também é uma forma de prevenção, é o que eu mais indico e musculação.

Cirurgia, Indicada na falha do tratamento conservador com persistência da dor nas costas ou dor irradiada para os membros inferiores.

O autor é graduado em Fisioterapia pela Universidade Paulista Crefito-3/243875-f Especialista em Fisioterapia Geriátrica pela Universidade de São Carlos e Ortopedia.

Esta coluna é uma peça de opinião e não necessariamente reflete a opinião do São Carlos Agora sobre o assunto.

comments powered by Disqus

Leia Também

Últimas Notícias