Menu
domingo, 28 de novembro de 2021
Artigo Rui Sintra

É escusado... Eles não aprendem... Nós não aprendemos...

27 Mar 2019 - 15h54Por (*) Rui Sintra
É escusado... Eles não aprendem... Nós não aprendemos... -

Ou são muito ingênuos - o que, sinceramente, não acredito nem um pouco -, ou então insistem em erros que já sabem que causam ruído na sociedade, indicando que aquilo que se propõem fazer já foi combinado previamente; assim, eles estão prontos para enfrentar críticas que, segundo seu ponto de vista, serão esvaziadas em curto prazo: ou seja, elas não são importantes.

Refiro-me, concretamente, à recente decisão dos vereadores da Câmara Municipal de São Carlos em aumentarem seus próprios salários a partir de janeiro de 2021, passando cada parlamentar a auferir R$ 8.960,00 – atualmente, o “salário” é de R$ 5.763,41. Como argumento, ou justificativa para esse aumento (se existe argumento e justificativa), o presidente da casa legislativa de São Carlos destacou publicamente que o motivo para esse aumento se deve ao fato de os vereadores não terem reajuste desde 2008. Assim, verifica-se que esse aumento agora aprovado é na ordem dos 55,45%, tendo em consideração que não houve reajuste desde 2008, uma aprovação que foi feita bem na calada, sem “oba-oba” (não fossem os lobos despertar). Mas, os lobos despertaram...

O que eu não entendo (talvez por ter uma cultura alienígena) é como um vereador ou um prefeito têm direito a salários, ao contrário do que acontece em países com os quais o Brasil se quer espelhar, ou ter como exemplo. Mas, vamos dar o benefício da dúvida – vamos tentar pensar bem ao estilo brasileiro, ou seja, para tudo se dá um jeitinho, principalmente na forma de pensar. Com uma cidade em perfeito estado de calamidade, completamente deteriorada, mendigando por vias de acesso decentes, por limpeza adequada, por mais e melhor iluminação pública (e, com isso, por mais segurança), por melhoras na saúde pública, por mais e melhor meio ambiente, aqueles e estes cuja responsabilidade é ter feito e preservado tudo isso desde 2008, resolvem aumentar seu próprio salário. Ou seja, se repararmos bem, eles se candidataram a um “emprego” na função pública e não a um cargo que deveria ser ao serviço do coletivo, da sociedade local.

E nós, verdadeiros “bouffons”, votamos neles! Em muitos países, vereadores regionais e prefeitos não têm salário, acumulando suas funções comunitárias com seus empregos, com suas profissões, isso ao serviço daquilo que se propuseram defender – sua cidade e sua população. Curiosamente, esses países detém o IDH mais elevado do mundo. Mas nós não somos esses países... Nós somos Brasil!!!!! (com eco tipo Galvão Bueno).

E, perante alguns atos circenses, ou através de discursos acalorados ensaiados defronte aos espelhos enquanto se barbeiam, ou mesmo por meio de poses anteriormente estudadas e de sorrisos esboçados na maioria das vezes com indisfarçável cinismo, esse lote de “otoridades” continua seu movimento uniforme de incompetência na gestão das casas legislativa e executiva de São Carlos, recebendo exatamente para fazer isso (ou seja, para fazer rigorosamente nada). É óbvio que para a população, para o cidadão comum, para o eleitor, principalmente o mais esclarecido e atento, a paciência está esgotada e as críticas começam a subir de tom de forma drástica. Com um país que possui níveis de desemprego extremamente altos, com a economia não mostrando sinais de recuperação, com muitos salários congelados, assistir a este episódio em São Carlos, cidade dos doutores, não é mole. É triste, pá!!!!

(*) O autor é Jornalista profissional / Membro da GNS Press Association (Alemanha) / Correspondente internacional freelancer.

Esta coluna é uma peça de opinião e não necessariamente reflete a opinião do São Carlos Agora sobre o assunto.

Comments system Cackle

Leia Também

Últimas Notícias