Menu
segunda, 21 de outubro de 2019
Qualidade de Vida

Dermatite de Contato

10 Out 2019 - 07h00Por (*) Paulo Rogério Gianlorenço
Dermatite de Contato -

A dermatite de contato é uma reação inflamatória na pele decorrente da exposição a um agente capaz de causar irritação ou alergia.

Existem dois tipos de dermatite de contato a irritativa e a alérgica:

Irritativa: causada por substâncias ácidas ou alcalinas, como sabonetes, detergentes, solventes ou outras substâncias químicas. Pode aparecer na primeira vez em que entramos em contato com o agente causador, o que ocorre com um grande número de pessoas, as  lesões da pele geralmente são restritas ao local do contato.

Alérgica: surge após repetidas exposições a um produto ou substância. Depende de ações do sistema de defesa do organismo, e por esse motivo pode demorar de meses a anos para ocorrer, após o contato inicial, essa forma de dermatite de contato aparece, em geral, pelo contato com produtos de uso diário e frequente, como perfumes, cremes hidratantes, esmaltes de unha e medicamentos de uso tópico, entre outros, as lesões da pele acometem o local de contato com a pele, podendo se estender à distância.

Alguns produtos causam reações somente após exposição solar concomitante, como o sumo de frutas cítricas e perfumes, outros itens podem entrar em contato com a pele quando carregados pelo ar, como inseticidas em spray, perfumes para ambientes, bijuterias e até mesmo plantas. As dermatites de contato podem ocorrer tanto no ambiente doméstico como nas atividades de lazer e no trabalho neste último, é chamada de dermatite de contato ocupacional.  

Substâncias que podem causar alergia:

Plantas. Metais: níquel ou outros presentes em bijuterias, relógios e adornos de roupas ou calçados, Látex.

Medicamentos tópicos: antibióticos,anestésicos, antifúngicos. Cosméticos: perfumes, xampus, condicionadores, cremes hidratantes e esmaltes de unha, Fragrâncias ou aromas, Maquiagem.

Roupas ou sapatos. Produtos de limpeza doméstica, Detergentes, sabonete e solventes; Adesivos;  Cimento, Óleos, Graxas e Tinta de parede.

Hera venenosa, que contêm um óleo fortemente alergênico (urushiol). Castanha de caju, que contêm uma substância quimicamente semelhante ao urushiol encontrado em hera venenosa.

Antibióticos, anti-histamínicos ou antissépticos aplicados na pele. O formaldeído e outros produtos químicos.

Sintomas da dermatite de contato podem variar se ela for alérgica ou irritativa. No entanto, os sinais mais comuns são: Erupção cutânea ou inchaços, Vermelhidão, Coceira, que pode ser grave, Rachaduras e manchas vermelhas secas, que podem se assemelhar a uma queimadura, Bolhas e crostas em reações graves, Erupção cutânea limitada a uma área exposta, por exemplo, diretamente sob uma pulseira, Dor ou sensibilidade.

A dermatite de contato geralmente ocorre em áreas do corpo que foram diretamente expostas, por exemplo, um brinco que desencadeia alergia na orelha. Mas algumas reações não se correlacionam exatamente com áreas de contato direto.

Por exemplo, você pode aplicar uma loção por todo o seu rosto e apenas algumas áreas sofrerem reação.

Se você desenvolveu sensibilidade a algum agente alérgeno, pode ser que na próxima vez que você entre em contato com ele tenha uma reação nas mesmas afetadas pela exposição original ou então em mais partes do corpo.

Dermatite irritativa; Neste tipo de dermatite, os sintomas são mais discretos, com pouca coceira e sensação de dor e queimação. Ela torna a pele seca, vermelha e áspera, sendo que fissuras podem se formar no local.

Dermatite alérgica; A dermatite alérgica provoca uma erupção vermelha no local em que a substância entrou em contato. A reação alérgica surge de 24 a 48 horas após a exposição. A pele lesionada por ficar avermelhada, inchar, apresentar pequenas bolhas ou formar crostas espessas.

Dermatite ocupacional; Os sintomas para dermatite de contato irá depender da forma com o paciente adquiriu a doença, como irritativa ou alérgica.

A chave para o sucesso do tratamento da dermatite de contato é identificar o que está causando os sintomas, o médico irá examinar sua pele para observar o padrão e a intensidade de sua erupção cutânea. O diagnóstico pode ser esclarecido pelo teste alérgico de contato (patch-test) que consiste na aplicação de 30 á 40 substâncias na pele das costas, esses adesivos ficam na pele por 48 horas, depois se observa se causaram alergia no local, de acordo com a substância testada, pode ser sugerida a causa da dermatite de contato.     

No momento do contato, lave o local com água corrente, de forma a não deixar nenhum vestígio do agente alérgeno ou irritante em sua pele. Evitar o agente que causa dermatite de contato é a chave para a prevenção, deve-se identificar o que está motivando esses sintomas e eliminar a exposição.

Nos casos leves a moderados, medidas como o uso de cremes contendo corticosteroides ou a aplicação de compressas úmidas pode ajudar a aliviar a vermelhidão e coceira. Em casos graves, o médico pode prescrever corticosteroides orais para reduzir a inflamação, ou recomendar anti-histamínicos para aliviar a coceira intensa, somente um médico pode dizer qual o medicamento mais indicado para o seu caso, bem como a dosagem correta e a duração do tratamento.

Deve-se identificar o agente irritante ou alergênico que desencadeou a dermatite e evitá-lo.

A dermatite de contato não possui cura, mas tem tratamento. A extensão da doença irá determinar se o tratamento será local ou com uso de medicação oral ou até mesmo injetável.

O autor é graduado em Fisioterapia pela Universidade Paulista Crefito-3/243875-f Especialista em Fisioterapia Geriátrica pela Universidade de São Carlos e Ortopedia.

Esta coluna é uma peça de opinião e não necessariamente reflete a opinião do São Carlos Agora sobre o assunto.

comments powered by Disqus

Leia Também

Últimas Notícias