Menu
terça, 02 de março de 2021
Colunistas

Coluna no Divã: Bom humor salva relações

20 Set 2016 - 14h07Por (*) Karina Younan
Foto: Divulgação - Foto: Divulgação -

A psicologia já sabe: quanto mais bem-humorado você é, mais bem-humorado você fica. Isso por que endorfinas e serotoninas agem emnosso cérebro melhorando e ativando reações mais relaxadas e otimistas. Bom para você, melhor ainda para quem está ao seu lado.

Ter bom humor não significa ser inconveniente ou buscar fazer graça onde não existe. Uma piada ou um comentário fora de hora, pode ferir profundamente a outra pessoa. É possível evitar isso, procurando compreender como o outro se sente. Evidentemente até mesmo uma genuína expressão mal humorada não é pior do que o mais largo, porém falso, sorriso. Mas para o suíço Alain de Botton, que fundou a "School of Life"e sabe melhor do que ninguém traduzir cenas do cotidiano, saber lidar com situações corriqueiras com humor é um valioso aprendizado:

 "Imagine que seu parceiro fica demasiadamente agitado ao menor sinal de sujeira na cozinha. Em resposta, poderíamos acrescentar mais gravidade ao problema dizendo: "Vamos cometer suicídio sobre as migalhas de pão em cima da pia: você tem razão, viver assim já não vale a pena" ou "Que tal comprar uma cartela de sedativos na farmácia mais próxima ou cortar asafena com a faca de pão? Assim, não precisaremos mais nos preocupar com essa bagunça. Pode ser divertido!" É importante estar alegre e descontraído, adotando uma expressão facial engraçada ao elaborar os detalhes técnicos. Como bem sabem os comediantes, tudo depende do tom.

O humor é a forma mais eficaz de criticar alguém sem despertar raiva ou arrogância. Rir não significa apenas que a pessoa está se divertindo; é sinal de que ela percebeu o recado.

Se as pessoas tendem a ficar irritadas quando são criticadas em um tom mais sério é porque não conseguem perceber que suas atitudes estão desproporcionais e desequilibradas. Elas são incapazes de identificar o erro de forma madura. Então o gesto cômico consiste em exagerar o aspecto problemático do outro - o que ajuda no reconhecimento do problema, enquanto, ao mesmo tempo, oferece a sensação de alívio por não se tratar de alguma coisa grave.

A comédia nos ensina que o melhor caminho para que uma pessoa perceba seus desequilíbrios é evitar a seriedade dos sermões. É abordar repetidamente o problema até que o exagero seja reconhecido e passe a despertar o riso. Assim, teremos aprendido a criticar por meio do humor - e nossos relacionamentos serão muito mais seguros, especialmente quando permitirmos que o nosso companheiro também faça piadas com nossos defeitos."

http://media.saocarlosagora.com.br/_versions_/uploads/coluna_nodiva_b620.jpg

 

comments powered by Disqus

Leia Também

Últimas Notícias